Nasci para ser "boca de Deus"

Dunga
Foto: Wesley/CN

Quando você compõe uma música, uma peça, chega uma hora que você precisa mostrar isso para alguém, mas é bom que você tenha aquele sentimento de constrangimento, de vergonha, de timidez, porque você está mostrando algo que não é seu, é Deus mais uma vez colocando algo precioso em suas mãos e com aquilo você vai servir ainda mais as pessoas. Então veja bem, não é seu, está com você, e é para servir os outros e aí você passa a ser reconhecido pelos outros, os elogios, as fotos e tudo mais acaba sendo para você, pois as pessoas não vêem a Deus, mas você entende que isso deve ser repassado a Ele.

Precisamos reconhecer que é graça de Deus que nossos dons de cantar, de tocar. A diferença entre nós e os artistas seculares é que nós sempre transportaremos aquilo que recebemos para Deus e muitos deles retêm para si mesmo. Na Canção Nova nós temos dois grupos de cantores, os que aprenderam a cantar na raça e eu faço parte deste grupo, e temos outros que vieram depois de nós que estudam música, fazem faculdade para tornarem melhor nosso canto.

Deus faz tudo para que nós nos tornemos sua boca, nós somos chamados para sermos “boca de Deus”. Seja em um microfone, em uma bateria, em um violão, Deus quer que sejamos apenas sua boca e Ele vai fazer com que sejamos boca D´Ele. Para isso existe um caminho, aqui nós não iremos ensinar você a cantar, ou a tocar, mas nós queremos ensinar vocês aquilo que nossa fundador monsenhor Jonas nos ensinou, que sendo santos cantaremos melhor, se soubermos separar o que é bom do que é ruim serviremos melhor.

Então vamos à Palavra que está em Jeremias 15, 19: “Por isso, assim disse o SENHOR: “Se tu te converteres, eu te converterei, e na minha presença ficarás. E se souberes separar o que tem valor daquilo que não presta, serás a minha boca, eles passarão para o teu lado e tu não passarás para o lado deles.” Deus quer nos transformar no que Ele quer, Ele um dia desejou nos tornar em algo, um grande cantor, um grande artista, um grande instrumentista.

Muitas vezes lá atrás em nossas vidas nós abandonamos aquele sonho de Deus e depois de alguns anos nós esbarramos com Deus, nós encontramos com Ele e quando isso aconteceu nós nos convertemos. Você mudou a direção da sua vida e esta mudança de direção te trouxe aqui na Canção Nova e então em sua vida se realizou a primeira parte desta Palavra “Se tu te converteres”. Você se converteu! Deus sempre vai contar com sua liberdade e você livremente tomou essa decisão de se converter.

Você continua sendo limitado pecador, vulnerável, continua precisando da graça de Deus, mas tem que assumir que já se converteu, então não fique na periferia, continue este processo, mergulhe nessa conversão, mergulhe na Palavra de Deus, na adoração e Deus vai te transformar no que Ele quiser. Deus em minha vida começou a me mudar, me transformar e hoje sou cantor católico porque Deus me quis assim, sou limitado, meus irmãos de comunidade me conhecem, mas Deus me quis cantor como sou e isso é vontade de Deus.

Então deixe Deus fazer o que Ele quer com você, se Ele quiser te transformar em um “pop star da música católica”, deixe que Ele faça isso com você. Aceite que a primeira parte da Palavra já se realizou em sua vida. E se você mergulhar de cabeça neste processo Ele fará muito em você. Você quer ser uma ferramenta de Deus, um microfone de Deus, então você tem aprender a separar o que é bom do que é ruim em sua vida e isso é caminho de santidade.

Se você souber separar o que é bom do que é ruim é lógico que você vai sempre optar pelo que é bom. Já conheci pessoas maravilhosas que cantavam bem, tocavam bem, mas que caíram feio e até hoje não se levantaram, porque não separaram o que era bom do que era ruim e na hora de escolher acabaram escolhendo o que era ruim e por isso pecaram e como o pecado leva a morte, morreram, talvez não fisicamente, mas morreram nos relacionamentos saudáveis, morreram nos projetos, nos sonhos, porque optaram pelo pecado.

"Nós somos chamados a ser “boca de Deus”", diz Dunga
Foto: Wesley/CN

Nós somos pessoas inteligentes e sabemos discernir quando as coisas tem unção, quando está bem ensaiado e tem unção, quando não está bem ensaiado e também não tem unção. Nós vamos sendo “boca de Deus” já, aqui e agora, mas precisamos ter visão do futuro, nossa visão não pode ser curta, quando se tem uma visão curta, nos frustramos, nos desentendemos, não entendemos as humilhações que nos vem para nos formar. Ninguém nasceu humilde, o que vai nos tornar humildes ao longo da vida são as humilhações e por isso precisamos saber viver estas humilhações, onde Deus nos forma e vê o nosso esforço.

Estaremos sempre em ordem de batalha, as vezes fugir faz parte da estratégia de uma batalha, em uma situação de pecado, por exemplo, você vai precisar saber fugir, você sabe sua fraqueza, então em uma situação onde você sabe que não vai agüentar, fuja! Pode fugir, não perca a noção da batalha que enfrentamos, das seduções do diabo, saiba bem separar o que é bom do que é mal e assim você será “Boca de Deus”, quando você tocar, cantar, escrever, interpretar e você será usado por Deus e estará falando ao coração das pessoas.
É uma coisa linda quando nós começamos da nossa vida particular, na nossa oração pessoal, começamos a separar as coisas boas das ruins. Talvez você não tenha nenhum bom lugar para tocar, para representar, para cantar, mas é ali onde te deram um espaço, seja ele como for, que Deus falará com as pessoas através de você. É muito bom quando através da sua arte, você percebe que as pessoas não estão vendo você, mas estão vendo ou sendo tocadas por Deus através de você. As vezes os câmeras pegam uma pessoa chorando e eu, olhando, eu entendo, não são para mim aquelas lágrimas, Deus está falando com ela!

As vezes em uma pregação você percebe que uma frase que você falou foi como uma flecha no coração das pessoas e isso alegra o nosso coração porque sabemos que fomos “boca de Deus”. Que desastre quando você fala, fala, canta, canta e nada acontece, ninguém é tocado, isso já aconteceu comigo. Isso acontece quando saímos para fazer algo em pecado, sem separar bem as coisas, com tantas coisas confusas em nossas vidas e não conseguimos pregar, cantar, tocar e aí neste caso temos que reconhecer que aquele dia foi um dia perdido.

Temos que ter consciência disso existem momentos em que nada acontece, porque não demos ao nosso ministério, a nossa vida, o peso necessário, acabamos não vivendo a santidade como deveríamos e por isso nada aconteceu. Eu comparo nosso ministério, como a profissão de um anestesista, nós ministros de música temos a incumbência de preparar os corações para serem “cirurgiados” pela Palavra de Deus que o pregador trás, pois aquele que prega vai nos trazer verdades que muitas vezes são doloridas que precisam ser declaradas para nós e se não estamos preparados não suportaremos.

"Saiba bem separar o que é bom do que é mal e assim você será 'boca' de Deus", diz Dunga
Foto: Wesley/CN

Você vai estar anestesiado por alguma droga? Não! Mas por uma música, por uma cena, por uma poesia, por algum acorde de um instrumento, por algum tipo de arte e assim os corações vão sendo transformados, curados.

Em Eclesiástico 32, 7 e 8, diz assim: “Como pedra de esmeralda em ornamento de ouro, assim é o concerto de músicos num banquete com vinho; como, num engaste de ouro, avulta o sinete de esmeralda, assim é o conjunto dos músicos com o vinho alegre e moderado.” Hoje é comprovado que através da música acontecem curas, libertações. Na Palavra nós somos comparados a preciosidades.

A música acompanha a nossa vida desde que estávamos na barriga de nossas mães, depois na nossa infância, na nossa adolescência, e em todas as fases da nossa vida e podemos dizer que a música tem poder de nos tocar. Isso aconteceu comigo em um encontro onde o diácono Nelsinho cantava e eu fui tocado de uma tal forma que chorava, chorava e naquele dia a maconha saiu da vida. Tocado pela música, eu nunca mais senti vontade de fumar maconha. E é para isso que Deus te chama, usando de nós, mesmo nas nossas limitações, nas nossas misérias Deus quer usar de nós para transformar um povo.

Quando eu era pequeno ganhei um disco dos Beatles e junto a um primo, cantávamos em cima da cama, até que um dia meu pai disse: “Não dá mais, de hoje em diante vocês vão cantar no galinheiro” e cantávamos lá. Em um dia desses eu falei ao meu pai: “Pai um dia eu cantarei na terra dos Beatles”, e ele riu e disse que era um sonho, que era muito longe, mas um dia eu pude realizar este sonho. Deus quer realizar através de você muita coisa, se converta, continue este processo, não pare, pois Deus diz se tu te converteres eu te transformarei no que eu quero.

Deus já colocou em seu coração sonhos, coisas desde sua infância, que hoje elas podem se concretizar se você se converter. Hoje eu sei quem eu sou, eu sei que Deus me quis assim e hoje estou tentando fazer a mesma coisa com você e você pode descobrir isso, Deus tem um plano fantástico para tua vida, mas para isso é preciso que você se converta e Deus te converterá no que Ele quer, e com certeza você será “boca de Deus”.

Transcrição e adaptação: Flávio Pinheiro

Veja também:
:: Divulgue sua paróquia na Canção Nova
:: Conheça o conteúdo Canção Nova disponível no iPhone

:: Faça parte do grupo "Eu acesso o cancaonova.com"
:: Escolha um canal e acompanhe a CN on line


Acompanhe as pregações pelo twitter @cancaonova
e retuite a mensagem que mais falar ao seu coração.


Adquira essa pregação pelo telefone
(12) 3186-2600

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo