"Nele eu coloco as minhas delícias"

"Nele eu coloco as minhas delícias"

Padre Roger Luís. Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

“Nosso mal é nos conformarmos com a nossa fraqueza e acharmos que nunca daremos conta de uma vida correta e de luta”, alerta padre Roger Luís.

No salmo 36 há muita graça e muitas promessas de Deus. O Senhor Deus mostra uma realidade que precisamos viver. Nós olhamos para os maus, para os ímpios, e os vemos prosperando, enquanto nós, muitas vezes, estamos sofrendo. E nós achamos que há alguma coisa fora do lugar; e nos questionamos pensando: “Não sou quem deveria estar numa situação benéfica e de destaque em vez de fulano?” Nós, humanamente, nos questionamos. Mas o salmo resume o que é a verdade da nossa fé. Traz-nos o sentido do nosso sofrimento, que não está aqui nesta Terra, mas na Terra que Deus nos prometeu. Este trecho bíblico quer tirar nossos olhos da materialidade da vida e colocá-los numa promessa do Altíssimo: na vida eterna.

O ano de 2014 ainda existe? Não existe nada, já passou. Nada se transformou quando o relógio mudou das 23h59 para à zero hora. A única coisa que mudou foi o calendário. A vida continua. Mas eu quero dizer algo importante: o ano novo não vai ser novo se você continuar o mesmo. Só será novo se nós permitirmos que Deus transforme o nosso coração, a nossa vida, nossa história e nossa caminhada. Do contrário, tudo continuará o mesmo. Não é porque mudou o ano que as situações vão mudar, tudo continua a mesma coisa! Só mudou o calendário. Mas o ano só vai ser novo se nós nos permitirmos viver uma vida nova. Se permitirmos que o Senhor entre e transforme a nossa vida e faça tudo novo em nosso coração, em nossa vida.

O versículo 4 desse salmo diz “põe no Senhor as tuas delícias e os desejos do teu coração Ele te atenderá. Confia ao Senhor a tua sorte, espera Nele e ele agirá“. A proposta para sermos novos passa por essa dimensão. Precisamos entender que essa proposta de confiar em Deus e caminhar com Ele é aquilo que o Catecismo da Igreja Católica (CIC) diz: nós somos capazes de ter amizade com Deus, de nos relacionar com Ele, pois foi Ele mesmo quem colocou no nosso coração um desejo de Deus, do infinito! Nós somos chamados a nos relacionar com Ele, há um desejo no nosso coração, está lá, não tem como ser arrancado. Somente no Senhor encontramos a verdade, a felicidade que nós buscamos em 2014 e precisamos continuar a buscando em 2015!

O CIC ainda nos mostra quais são os meios para conhecermos a Deus, sendo um deles a obra da criação (do mundo e do ser humano). Há paisagens que parecem pinturas de Deus de tão perfeitas que são! Não tem como olhar para essas realiades e achar que Deus não existe! É espetacular vê-las, tocá-las e percebê-las. Deus só pode ser Deus! O ser humano reflete a beleza, a presença e a certeza da existência de Deus, como nos diz a Igreja. Diante de tudo isso, nós temos ainda um sinal na nossa alma que diz: Deus existe.

"Nele eu coloco as minhas delícias"

Fiéis participam da pregação do padre Roger Luís. Foto: Daniel Mafra/ cancaonova.com

A nossa alma veio de Deus, viemos d’Ele e voltaremos para Ele. Precisamos, portanto, conhecer Aquele no qual colocaremos a nossa confiança em 2015. Existe uma causa primeira e essa causa primeira é Deus, querendo os cientistas, os intelectuais, os filósofos ou não. Se o princípio de tudo se deu com uma molécula ou com uma explosão, então essa molécula ou essa explosão vieram de Deus. Esse Deus que quer sonhar os seus sonhos junto com você no ano de 2015, que quer fazê-lo feliz neste ano, é Ele a causa primeira de nossa existência.

Nosso Deus não é indiferente, Ele desce para se encontrar o Seu povo. Às vezes achamos que Ele nos abandonou, que Ele não age na nossa vida, mas isso não é verdade. O Senhor desce até nós para nos ajudar, Ele se compadece de nós, vê nossos temores e quer nos ajudar e nos abençoar. Durante toda a história da humanidade, Deus foi conduzindo e direcionando Seu povo para o bem, para a paz, para a felicidade. Você pode ler no Pentateuco (os cinco primeiros livros da Bíblia) essa mão poderosa do Senhor ajudando o homem, conduzindo-o, direcionando-o, cuidando dele. Deus envia homens e mulheres para guiar Seus filhos, porque o povo é meio débil. Nós somos assim: sabemos o que é certo e o que é errado, mas passam-se os dias, passa-se o ano novo e nós nos esquecemos dos favores de Deus! Isso é narrado muitas vezes na Sagrada Escritura. O povo sofria, se arrependia, clamava a ajuda de Deus e Ele mandava um juiz para ajudá-lo.

Da mesma forma, constantemente o Altíssimo envia homens e mulheres para nos ajudar, mas depois de um tempo nós nos esquecemos da ajuda d’Ele e voltamos a praticar o mal. O povo fez a opção de abandonar e desobedecer a Deus, como narra o livro de Juízes. Mas toda vez que esse povo clamava ao Senhor, Ele intervinha na situação de dor em que estavam. Porém, depois esse mesmo povo voltava a abandonar o Senhor. Essa realidade é narrada em todo o Antigo Testamento.

O ponto principal para o nosso ano ser um ano verdadeiramente abençoado está nisto: tirar do nosso meio os “deuses estranhos”, quebrar tudo aquilo que não é de Deus, como foi feito pelo povo de Deus no livro de Juízes. Em que hoje na sua casa você precisa dar um basta? Não fique enganando a Deus, coloque um ponto final nas coisas erradas! Você sabe o que é certo!

Vamos sair da ilusão: Deus não abençoa aquele que não quer lutar, aquele que está dividido entre as coisas boas e as más! Como o Altíssimo vai abençoar o erro!? Nosso Deus é maravilhoso, tremendo, incrível, mas servi-Lo é exigente; não dá para a nossa vidinha continuar a mesma. Ou nós mudamos ou não conseguiremos tocar e ser tocados por esse Deus que nos ama loucamente, que nasceu, viveu, morreu, ressuscitou e está no meio de nós. DEUS ESTÁ NO MEIO DE NÓS!

Um programa de televisão fez uma chamada dizendo que o swing salvou o casamento de um casal. Como você pode deixar que esse lixo, que  esse esgoto entre na sua casa? Eu não prego contra pessoas, mas contra o mistério da iniquidade que está entrando dentro da nossa casa. Eu quero, junto com você, testemunhar lá fora que Jesus é o Senhor e que só Ele tem a salvação para os iníquos que se arrependerem de seus pecados. Os iníquios só não se converteram ainda porque nós não somos o que Deus quer que sejamos: cristãos de verdade! Que dizem “sim” à castidade, à vida, à família, aos mandamentos de Deus. Nós poderemos ver o mundo transformado quando eu e você formos os cristãos que Deus quer que sejamos. Mas é preciso sê-lo de verdade, é preciso destruir o que não é de Deus e acabar com os ídolos. O Senhor se compadecerá de nós se, verdadeiramente, nos arrependermos de nossos pecados.

Nosso mal é nos conformarmos com a nossa fraqueza e acharmos que nunca daremos conta de uma vida correta e de luta. Deus nos dá a graça, é nisso que precisamos crer! Você quer vencer a carne, o diabo e o esgoto oferecido pelo mundo? Jejue! Desse modo você vai educar o seu corpo. Precisamos lutar com as armas espirituais de que dispomos para vencermos. “Põe as tuas delícias no Senhor e os desejos do teu coração Ele atenderá”. Nós somos chamados a entregar as delícias do nosso coração ao Senhor. O que lhe é mais caro entregue para o Senhor. Entregue tudo o que você tem, o que faz, entregue sua vida, sua família, seu trabalho, seus bens, seus talentos. Esse mesmo Deus que caminhava, de forma espiritual, com Seu povo veio morar conosco. Ele é o Emanuel! Ele quer encaminhar sua vida para o bem! Precisamos ter uma reação! Precisamos sair da mística mentirosa que afirma que muda o ano quando muda o calendário, quem precisa mudar somos nós. Precisamos ser melhores. E ser melhores é acreditar que, ao entregar tudo a Deus, Ele cuidará de nós e nós teremos que aprender a esperar. É crer que “tudo concorre para o bem dos que amam a Deus” (Romanos 8, 28).

Transcrição e adaptação: Aline Carbonari 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo