Nossa Senhora, mestra da cura interior

Elias Dimas dos Santos
Foto: Wesley Almeida/ Fotos CN
Neste mês, a Igreja se volta a Nossa Senhora e de modo particular para a Festa de Pentecostes.

“A uma virgem desposada com um homem que se chamava José, da casa de Davi e o nome da virgem era Maria. Entrando, o anjo disse-lhe: Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo. Perturbou-se ela com estas palavras e pôs-se a pensar no que significaria semelhante saudação. O anjo disse-lhe: Não temas, Maria, pois encontraste graça diante de Deus” (São Lucas 1, 27-30). “Maria conservava todas estas palavras, meditando-as no seu coração” (São Lucas 2,19).

A Santíssima Virgem Maria guardava todas as palavras em seu pensamento, ela pensava, meditava e as guardava em seu coração, transmitindo-as para as mãos e para os pés: pondo-se a caminho, pois nossa religião não pode ficar só na boa intenção. Monsenhor Jonas, ao conceber a obra Canção Nova em pensamento, a colocou em seu coração e depois a transmitiu em obras.

O que você tem guardado em seu pensamento? Você tem guardado bons sentimentos? A Virgem Maria nos ensina a ter uma vida saudável, a exemplo dela podemos repelir do pensamento toda ira e indignação. Um pensamento sadio é um corpo sadio.

Quando criança uma frase me intrigava: “Mens sana in corpore sano”, que significa "Uma mente sã num corpo são", ou seja, uma mente que sabe cultivar coisas boas. Hoje, parece que as doenças da alma são mais frequentes que as do corpo, são as enfermidades modernas, como a depressão e o estresse. Estamos com a mente estragada, quantos têm câncer há por uma decepção? Na Renovação Carismática se lida com maus pensamentos quando estes não foram curados, pois podem se tornar doenças. Quantas pessoas, pela força do pensamento, acabaram “driblando” enfermidades graves.

Doutrinas orientais sabem lidar com a força do pensamento, que é uma fonte de graça, mas que pode ser uma fonte de desgraça também. Qualquer tipo de meditação ficará apenas no âmbito da matéria, do corpo.

"A confissão vale mais do que as meditações orientais, pois a cura não é no físico"
Foto: Wesley Almeida/ Fotos CN

A confissão vale mais do que as meditações orientais, pois a cura não é no físico. Não duvidamos que essa prática [meditação] traga a cura, mas nós cristãos não podemos pensar em uma cura temporal. A Virgem Maria sempre teve em mente a Palavra de Deus, ela tinha os Salmos da Bíblia impregnados na alma, não tendo espaço para processar maus pensamentos. Precisamos, como a Mãe de Deus, aprender essa prática de absorver o bom pensamento e repelir tudo o que é negativismo, para manter a saúde perfeita.

"Nossa Senhora é a grande mestra da cura interior"
Foto: Wesley Almeida/ Fotos CN

Nossa Senhora é a grande mestra da cura interior, precisamos nos exercitar a guardar todas as palavras boas, sonhando com Deus noite e dia, assim teremos a saúde perfeita. Como a Virgem Maria, no Cenáculo, com os apóstolos, o que você tem conservado em seu pensamento? Qual o objeto de seu pensamento? Uma cabeça que vive pensando em novelas? Filmes? Em problemas? Quando nosso pensamento está tomado pelo pecado, não conseguimos rezar sem pensar nele [pecado].

“O nome de Jesus é fonte de cura para o pregador e para quem o ouve” (São Bernadino).

No Eclesiástico está escrito: “Não te deixes atormentar pelos maus pensamentos”. Dê nome aos seus pensamentos e os entregue a Jesus.

Transcrição e adaptação: Thaís Capucho


ADQUIRA ESTA PALESTRA PELO TELEFONE:
(12) 3186 2600


Elias Dimas dos Santos


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo