O amor divino vence o maligno

Luzia Santiago
Foto: Wesley Almeida/Fotos CN

'Sem o Espírito Santo a vida cristã não acontece'. Clamemos o Espírito Santo sobre nós, sobre nossas famílias.

No DVD 'Livrai-nos do mal' eu pude rever a minha história, e fui vendo o meu pai e minha mãe que nunca desistiram um do outro. E hoje, em Cristo, nunca desisti e nunca desistirei do Eto. Sei que as diferenças entre mim e o Eto são grandes, assim como as existentes entre meus pais. Deus tem criatividade nas diferenças.

Meu nome é Luzia, porque morava na roça, no interior de Minas Gerais e minha irmã 'Dinha' ficou doente, então mamãe rezou e pediu a intercessão de Santa Luzia, e minha irmã foi curada, e por isso, eu, que estava no ventre de minha minha mãe, me chamei Luzia.

O diabo não tem a ver com tudo que acontece de mau no mundo, mas ele é astuto e está nos rodando como leão a nos devorar. E hoje, olhando a minha história, vejo que Deus se manifestou nos conselhos dos meus pais.

Quando tinha 11 anos, minha mãe estava com depressão, meu pai reunia os filhos e rezávamos o terço para mamãe ser curada, e ela foi curada dessa enfermidade pela força da oração.

Hoje sofro também por vocês. Rezo por você, pelas suas lutas, pelas suas dores. Eu creio na civilização do amor, na transformação das pessoas.

Meu pai nunca tomou coca-cola sem a mamãe, ele achava que tinha que saborear junto com a mamãe.

Dias atrás monsenhor Jonas, no Acampamento "Revolução Jesus" disse: 'Jovens, vocês me veem bem aparentemente, mas dentro de mim saibam que eu ainda estou passando pelo vale escuro, mas eu sou 'Revolução Jesus'". Jovens, é deste jeito que vamos vencer o mal.

"Ser homem e mulher de Deus é a nossa missão"
Foto: Wesley Almeida

Na minha adolescência, mamãe recebeu um bilhete – e digo: cuidado com os bilhetes, e-mails – e nele estava escrito: "O Chiquinho está te traindo". Mamãe nos mostrou o bilhete e nosso mundo caiu. O papai não reagia, só dizia que ele amava somente ela, e ele se colocou em oração. Naquele momento eu acreditei no meu pai, pois eu o conhecia. Meu pai não correu atrás de provar a minha mãe que aquilo era mentira. E eles viveram juntos, mamãe passou pelo caminho do perdão. E passados os anos, a verdade triunfou sobre a mentira, era tudo por causa de inveja. Os meus pais completaram 50 anos de casados, padre Jonas, na celebração, disse que ouviu a confissão do papai, e depois da confissão o papai disse a ele que mamãe foi única mulher da vida dele.

Minha luta é para deixar as coisas da carne e abraçar as coisas do Espírito. São João diz quando uma alma está revestida de fé o demônio não vê. E o inimigo quer entrar na nossa constância na oração. Não é possível agradar a Deus sem o dom da fé.

Precisamos pedir a Deus alguns dons, por exemplo, se queremos ser humildes o Senhor nos deixa passar pela humilhação. Não foi à toa que com 40 dias de casada perdi meu esposo com 23 anos, mas não tomei isso para minha vida como uma desgraça, pois a partir daí tive o meu encontro com Deus.

As pessoas que convivem conosco precisam ver em nós a face de Cristo. Lembremos que o amor se faz de bobo para viver, e o amor se faz de bobo para vencer. Só pela força do amor vencemos o mal, o demônio tem horror de quem ama. O amor venceu, o amor é Jesus Cristo! O amor vencerá. Só o amor vence o mal.

“O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá.”

O amor venceu na cruz, o amor tem um nome: é Jesus.

Assista trecho desta pregação:
 

 

 

Transcrição e adaptação: Elcka Torres

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo