O Amor é mais forte do que o pecado

Estamos na festa da misericórdia que é a festa de Cristo ressuscitado, pois a imagem de Jesus misericordioso é a imagem onde os raios da misericórdia de Jesus tem para nós um significado, onde Jesus explicou para Santa Faustina que os raios vermelhos significam a vida que justifica as almas e a água significa segundo a tradição Joanina seguida por São João Crisóstomo, os sacramentos; do Batismo, da Eucaristia, o sangue significa a Eucaristia e o papa João Paulo II em sua segunda encíclica define a misericórdia de Deus como; Amor mais forte que a morte, Amor mais forte que o pecado.

Padre Antônio Aguiar
Foto: Robson Siqueira

Na pregação do Monsenhor Jonas ele disse que precisávamos aprender a viver, acolher a misericórdia de Deus, e para viver, basta que acolhamos esta misericórdia. Santo Francisco de Sales disse que para apanhar moscas, é melhor um barril de mel do que um de vinagre. E, me vinha no coração que precisamos abraçar a misericórdia do Senhor. Em Icor13, 4-7 diz: “A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante. Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor. Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”, onde a primeira coisa é que o Amor de Deus é paciente;

Vai passando os dias, vão passando os anos e apesar das bençãos que o Senhor já realizou em sua vida, parece que você permanece do mesmo jeito, parece que você não muda, parece que eu não modifico. O Senhor vai utilizando da paciência para que eu e você possamos entender o Amor que ele tem para comigo e contigo, acolhendo este Amor, reconhecendo os meus limites, olhando para minha realidade como ela é. Significa não querer tapar o sol com a peneira, onde temos medo de ser o que somos na frente de Deus. E, muitos vivem uma fantasia, vivem de uma maneira, mas, se comporta na frente de Deus de outra, onde não sou capaz de aceitar aquilo que são os limites de minha natureza.

Jesus sempre procurou andar com aqueles que eram considerados pecadores. Ele andava com eles para que pudesse dizer: “ide, não quero sacrifícios, e sim misericórdia” . Podemos olhar Jaqueu, que era considerado pecador, onde Jesus fez questão de estar na casa, não como alguém que estava ali para condenar, mas para mostrar para Jaqueu, que experimenta a misericórdia de Jesus, sendo acolhido com o perdão que o Senhor lhe oferecia, passando por um processo tão profundo, mudando de vida; “Senhor vou devolver 4(quatro) vezes mais, àqueles que eu roubei.” Não importa se você está em pecado ou não, Jesus te ama do mesmo jeito. Mesmo que você não o veja, mesmo que não queira a sua presença. E, está aí para dizer a você que têm alguém que está ao seu lado, onde às vezes pessoas diante do seu pecado se afastam de você, ficam escandalizadas, sentindo-se melhores. Ao invés de Jesus se afastar de você, Ele se achega para estar junto contigo; assim como acolheu aquele homem na cruz que estava ao seu lado. E, aquele homem, ao contemplar o que Jesus dizia, via jorrar do seu coração a sua misericórdia através de suas palavras, podendo Jesus ainda dizer: “Pai, perdoa-lhes, pois, eles não sabem o que fazem!”

"O amor do Senhor é capaz de cobrir uma multidão de pecados, diz padre Antônio.
Foto: Robson Siqueira

Às vezes você faz o mal que não queria fazer, e tenta fazer o bem, mas não consegue e ainda sim Jesus está contigo, como aquele ladrão ao lado da cruz que exclama: “Senhor, lembra-te de mim quando começares a reinar!” e ele experimenta a misericórdia de Jesus e recebe o amor que foi dado através da paciência. O amor do Senhor é capaz de cobrir uma multidão de pecados, e precisa acontecer contigo e comigo o mesmo com o filho pródigo, onde ele se voltou para o pai, reconhecendo a sua miséria e voltando ao amor de Deus. "Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como o escarlate" (Diário de Santa Faustina, nº. 699) E "Quanto maior o pecador, tanto maiores direitos tem à Minha Misericórdia" (idem nº. 723) "Que a alma fraca, pecadora, não tenha medo de se aproximar de Mim, pois, mesmo que os seus pecados fossem mais numerosos que os grãos de areia da terra, ainda assim seriam submersos no abismo da Minha Misericórdia" (idem nº. 1059), este é o objetivo da festa da misericórdia em nossa vida, Ele quer estreitar os laços entre nós e quando estamos em pecado nos sentimos indignos de aproximar-se d'Ele. Começam a vir pensamentos de indignidade, de não aceitação, e vai brotando em nós um medo de Deus, como se Deus não quisesse aproximar-se de nós por sermos pecadores. Deus não quer que você tenha medo de se aproximar d'Ele, onde o Amor d'Ele ultrapassa qualquer barreira. Ele disse que “veio para os pecadores, não para os sãos” ,, e só vamos ficar livres do pecado quando morrermos, e vamos lutando contra o pecado enquanto tivermos vida e vou lutando para não cometer pecados e mesmo que esteja em pecado vou me aproximando de Jesus para que na sua misericórdia, vá me purificando dos pecados.

"Amor mais forte que a morte, Amor mais forte que o pecado. (Papa João Paulo II)
Foto: Robson Siqueira

Você só vai mudar, quando acolher o Amor de Deus em você, pois não nos consideramos dignos, e não somos, mas, quanto maior seja o pecador, mais direito tem-se à misericórdia de Deus. A festa da misericórdia é uma realidade onde Deus quer que nos aproximemos d'Ele e foi por Amor que ele decidiu experimentar o sofrimento, a dor, a ressurreição; por Amor. E, pelo batismo o Amor de Deus está em nós, porque ele o quis e pode gerar em nós a transformação através deste Amor.

 

 

 

Transcrição: Rogério Viana


Padre Antônio Aguiar


Sacerdote divulgador da devoção à Divina Misericórdia

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo