O amor me faz um vencedor

Padre Joãozinho scj
Foto: Wesley Almeida/ Foto CN
Esta quinta feira de adoração começou com muita amorosidade e vimos que Paulo foi um líder amoroso. Jesus tinha a palavra da ternura, mas também tinha a palavra do vigor e Paulo também era assim, de vez em quando tinha que puxar a orelha do povo.

Paulo disse que o amor tudo desculpa, tudo espera e tudo suporta, nós devemos amar com gestos concretos, o amor é dar a vida por alguém, o amor não pode ser somente afetivo, mas também efetivo, nosso amor deve ser inteligente.

Pedro passou três anos com Jesus e passou por diversas provas para chegar a ser o primeiro Papa, pois ele respondeu a muitas questões de Jesus e acertou, porém em outras ocasiões ele também errou. Pedro após a ressurreição de Jesus recebe outra pergunta de Jesus quando os dois se encontram, Jesus diz a ele: “Pedro tu me amas?” e ele responde: “Tu sabes que te amo!”, mas logo depois Pedro quer impedir Jesus de seguir seu caminho e Jesus lhe repreende.

Jesus pergunta a mesma coisa novamente a Pedro, “Pedro tu me amas!”, pois Jesus na verdade queria saber se ele teria coragem de dar a vida por Ele, e Pedro responde novamente: “Tu sabes que te amo!”. Pedro foi sincero ele sabia que não era amoroso ao ponto de dar a vida por Jesus, ele só tinha o amor “Philia” por Jesus, o amor de amizade.

O amor tem que ser efetivo, mostrado com os gestos silenciosos, assim como Pedro fez quando foi para a cruz ele não permitiu que o crucificassem do mesmo jeito do seu mestre Jesus. Ele fez seu gesto silencioso de amor no último momento de sua vida, pois entendeu o que era o amor.

Jesus não fazia sinais e curas espetaculares, eram sinais e curas amorosas, era um transbordamento do amor. Certa vez uma mãe me perguntou se era certo bater no seu filho e eu perguntei a ela: “O que você acha?” e ela me disse: “Ás vezes eu fico com raiva e dou umas palmadas nele.” e eu disse a ela, “Se for para bater, dê palmadas amorosas!”, hoje em dia nós não aprendemos a amar como devemos.

O amor deve ser resiliente, ou seja, aquilo que após sofrer algum impacto tem a capacidade de voltar à sua forma normal. Nós somos seres resilientes, por exemplo, quando morre alguém na família nós temos a impressão de que não suportaremos, é um verdadeiro impacto, mas nós depois de algum tempo conseguimos superar aquele impacto e continuar a vida.

"O problema do mundo não é uma crise econômica e, sim, uma crise de amor"
Foto: Wesley Almeida/ Foto CN

Muitas vezes nós queremos ser resistentes e não somos resilientes, acontece muito mais com as mulheres, quando surge uma doença, ou vamos suportando muitas coisas e chega uma hora que quebramos, pois não agüentamos, neste caso até fomos resistentes e mas não resilientes.

Na África, as pessoas pegam macacos com a seguinte tática, colocam uma frutinha em uma cumbuca, o macaco é atraído e coloca a mão na cumbuca para pegar a fruta e fecha a mão e não consegue mais tirar a mão dali, pois não tem a capacidade de raciocinar e abrir a mão para soltar a fruta e se livrar. Há muita gente vivendo assim de forma egoísta, existem maridos metendo a mão na cumbuca e não abre a mão para nada, preso ao seu “eu”.

O problema do mundo não é uma crise econômica e sim uma crise de amor, precisamos dar a vida, alguém precisa dar a vida, você que cansou de remendar as coisas, de remediar as coisas, você que quer se unir àquele que deu a vida para salvar o mundo, dê o primeiro passo, o amor é feito de passos.

O amoroso é um combatente e é também um vencedor, pois o amor nos faz um vencedor!

Transcrição e adaptação: Elcka Torres


ADQUIRA ESTA PALESTRA PELO TELEFONE (12) 3186 2600

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo