O amor que constrói

Nós vivemos situações de impaciência no dia a dia, mas, Deus nos dá a oportunidade de a utilizarmos para nosso crescimento espiritual, manifestando o verdadeiro amor, que é paciente.

Muitas vezes, nos irritamos pelo imediatismo, principalmente nós mulheres, não sabemos compartilhar o tempo do nosso companheiro. Confundimos o sentido do amor quando esperamos algo em troca, ao querermos a pessoa moldada ao nosso querer e não reconhecendo suas virtudes.

Mazinho e Celiane
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

E é na paciência que vamos reconhecer as limitações das pessoas e, a partir disso, ser suporte na vida delas. Entenda: ser suporte é muito diferente de suportar, pois aquele que suporta simplesmente aceita, sem esperar o melhor do outro, mas aquele que assume ser suporte na vida do outro é capaz de lutar pelo melhor.

O amor é bondoso. E, agora, pare e pense: Quantas vezes você tomou uma atitude no seu lar como forma de “punir” um ente querido? Quantas vezes você deixou de auxiliar sua esposa em uma tarefa doméstica, simplesmente por não estarem bem um com o outro?

São pequenos exemplos de pequenos problemas que podem ser o primeiro passo para gerar situações muito maiores. E, nesse momento, em vez de ser combustível para essa possível discussão, você deve ser humilde, reconhecendo o erro e se colocando como uma mão amiga para essa pessoa.

O relacionamento começa a ruir quando o orgulho e a inveja passam a imperar no seu lar, pois esses dois pecados são responsáveis pela desunião, pela indelicadeza, incompreensão, ira e, talvez, a pior delas: pela indiferença.

Quem é orgulhoso não se dobra nem diante do próprio Deus. E aquele que não é capaz de reconhecer a importância de Deus na sua vida não será capaz de fazer isso com a própria família.

"Quem é orgulhoso não se dobra nem diante do próprio Deus." diz Mazinho
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Não podemos exigir uma postura que acreditamos ser um direito se não estamos em dia com os nossos deveres. É como aquele marido que, ao chegar em casa do serviço  e não encontrar a comida pronta, se irrita com a esposa, mesmo sem saber como foi o dia dela e o porquê de a refeição não estar na mesa.

O egoísmo quer ter posse sobre o outro, mas o único direito que eu tenho sobre ele é o compromisso de levá-lo para Deus. Quando nos fechamos em nós, nos esquecemos de todas as promessas que foram feitas no sacramento do matrimônio.

O verdadeiro relacionamento é aquele que proporciona saudade. É aquele que quando o marido sai para o trabalho, não vê a hora de voltar ao lar, ou aquele em que os filhos contam os minutos para estar em casa junto de seus pais no fim do dia.

Você precisa fazer da sua casa um local de encontro com Deus. Se Ele é amor, sua casa precisa ser local do amor manifestado. Nossas casas estão sendo destruídas, porque estamos nos esquecendo de que o amor é bondoso, sabe esperar, que ele se alegra com a justiça e, acima de tudo, é doação.

Deus poupou o filho de Abraão, mas como prova do Seu amor para conosco não poupou o próprio Filho. Essa é a maior prova de que o amor é entrega e doação. Será que estamos tendo a mesma atitude sacrificando nossa vida por aqueles que estão em nosso lar? Este é um compromisso que você precisa assumir diariamente.

 
Transcrição e adaptação: Gustavo Souza

Mazinho e Celiane


Missionários da Comunidade Canção Nova

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo