O amor transforma tudo

O Ser humano parece que não foi feito para lidar com a saudade, nós lidamos com o câncer, com medos, mas é um grande desafio superar a saudade, pois ela não vai embora, os anos passam, e nós aprendemos a viver sem as pessoas que nós amamos, mas a saudade não passa.

A vida cristã, a nossa santidade nos ensina a sermos “alegres na esperança”, porque é duro esperar no Senhor, esperamos um ano, dois, 10, 20 anos e nada muda. Esperamos, mas precisamos esperar alegres, porque a alegria é o maior exorcismo contra o demônio, a pessoa triste não tem imunidade contra doenças, a pessoa triste é mais fácil de entrar em depressão. Por isso, sorria. Eu rezo sorrindo, experimente rezar com um sorriso nos lábios, pois a alegria é um exercício. A virgem do Sorriso, nos ensina isso “Alegres na esperança”, ela viveu isso na sua carne, a dor do nosso filho é a nossa dor, imagine nossa Senhora aos pés da cruz vendo Jesus ser morto, Nossa Senhora como ninguém precisa ser nosso modelo.

Eu não tenho marido alcoólatra, mas eu imagino como é viver como um marido alcoólatra, por isso eu peço que você reze pensando na sua família. O amor é um mistério que transforma tudo, tudo o que toca(Santa Faustina). Toque o seu filho, beije seu marido, mesmo se ele te traiu, ele é teu, lute, toque, abrace, dê um beijo de perdão, porque amar quem nos ama, que recompensa há nisso? Difícil é amar quem me maltrata, quem me julga, fala mal de mim.

Por que você julga tanto? Por que é tão fácil falar de quem você não conhece? Porque há em nós a mulher velha, que quer tomar conta de nós, que é uma atleta, por mais que não queiramos, ela vem para fora, e fazemos coisa que não queríamos, por isso precisamos estudar a palavra de Deus. Tem uma coisa que fere muito o ser humano, a injustiça, porque a maior injustiça conhecemos é Jesus na cruz. A injustiça é uma coisa que causa impacto em nós igual a bomba atômica. Portanto precisamos viver o amor.

Santa Faustina num diálogo com Nossa Senhora, recebe as revelações das virtudes mais caras e agradáveis a Deus: humildade, humildade e mais uma vez humildade; a pureza, para o puro todas as coisas são puras; e por fim o amor a Deus. Não tem receita para sermos “alegres na esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração.” Rm12,12. Nos arriscamos a amar, não é apontando o dedo e xingando que você vai consertar alguém, é o amor que toca, é difícil tocar num doente. Você está disposto a salvar alguém, toque-o. O que você toca, muda de cheiro, muda de cor, porque você tem mãos santas.

Precisamos nos prostrar na frente de Jesus, ter coragem de dizer que o Senhor cresça e eu diminua, pois se você está na altura de Deus, não consegue contemplá-lo. A revolução da mulher é a revolução do amor. Eu nada sou, Jesus vem ser em mim, eu não consigo “Ser alegres na esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração.” Rm12,12. Mas eu quero, pelo poder do nome precioso de Jesus.

Eu declaro que Deus tem vida plena para mim, que os meus sonhos de santidade se realizarão. Deixa Deus ser Deus. Faça o compromisso com Jesus de buscar ser “alegres na esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração.”

Madre Teresa ria dos sofrimentos, ria das dores, ela dizia quando via alguém de cara fechada “ela está negando alguma coisa a Jesus.” Portanto, sorria, sorria muito!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo