O Arcanjo Rafael e a cura

Frei Elias Vella
Foto: Maria Andréa/cancaonova.com
Espero que você conheça, na Bíblia, o livro de Tobit e Tobias. Tobit era um homem muito bom e vivia numa terra estrangeira; neste lugar, os judeus não eram bem-vindos, por isso, quando morriam, seus corpos não podiam ser enterrados. Mas Tobit era um homem temente a Deus e, à noite, sorrateiramente, enterrava os judeus já mortos.

Um dia, Tobit ficou cego e sua esposa caçoou dele, perguntando-lhe: “Este é seu Deus, que o tornou cego?” Mas ele permaneceu fiel ao Senhor.

Alguém, de uma terra distante, devia dinheiro a Tobit. Então, ele mandou seu filho Tobias buscar essa quantia. Durante a viagem, Tobias encontrou-se com alguém que queria acompanhá-lo pelo caminho. Era o Arcanjo Rafael.

Rafael, que significa, a “medicina de Deus”, ajuda-nos em nossa cura. Ele disse a Tobias que fosse pescar um peixe, pegasse o intestino deste e o coloque sobre os olhos de seu pai. Deus, deste modo, recuperou a visão de Tobit. Por isso Rafael é chamado o “remédio de Deus”.

Se todos nós precisamos de Miguel, porque somos atacados pelo espírito do mal; se precisamos de Gabriel, pois ele nos traz a mensagem de Deus e nos ajuda na evangelização; também precisamos de Rafael, porque todos precisamos de cura, precisamos que Jesus coloque Suas mãos sobre nossas feridas e nos cure.

Podemos olhar para cura de diversos pontos de vista, inclusive a partir dos nossos problemas físicos. Mas alguns se perguntam: “Será que Deus tem interesse em minha cura física?” Pensar deste modo é um erro. O Senhor mandou Jesus para nos curar, para nos fazer íntegros: “Eu vim para que tenhais vida e a tenham em abundância” (cf. João 10,10). Portanto, Jesus não veio para salvar apenas a alma, mas também a nossa humanidade, para tocar no homem por inteiro.

O Senhor nunca disse a ninguém que não estava interessado nas curas físicas, mas impôs sua mão sobre as pessoas e curou a todas.

Quando mandamos “ide”, essa é a missão da Igreja, e quando falamos de Igreja, falamos de nós mesmos, portanto, cada um de nós é mandado para curar de modo diferente, seja com um sorriso ou uma mensagem. Às vezes, você pode curar alguém com um e-mail, um abraço que demonstre amor.

Jesus é a Boa Notícia da nossa vida, o Salvador. Não podemos guardar para nós essa Boa Nova, mas anunciá-la pelo mundo, curando uns aos outros, curando os enfermos. A cura é uma missão da Igreja, e se ela ignorar isso, estará traindo Jesus.

"Precisamos fortalecer os pontos fracos da nossa personalidade para não sermos atacados pelo inimigo." (Frei Elias Vella)
Foto: Maria Andréa/cancaonova.com

A evangelização sem cura e libertação torna-se uma bela teoria, mas ninguém vai se importar. Tenha cuidado, porque se nos mantivermos apenas na cura e libertação, sem usá-la para a evangelização, para trazer as pessoas a Jesus, seremos discípulos de Cristo, o qual cura e liberta.

Jesus estava interessado na cura de Tobit, por isso lhe enviou o anjo, a fim de que recuperasse a visão.

Talvez, você tenha câncer, doença do coração, pressão sanguínea alta ou baixa, diabetes, problemas no fígado, nos rins ou nos pulmões. E você acha que Deus não está interessado em você? O Senhor conhece todos seus problemas.

Há também a necessidade da cura psicológica. Jesus veio também para nos curar psicologicamente. Ele curou a samaritana, curou Pedro depois deste tê-Lo negado. Jesus olhou para o apóstolo com amor.

O Senhor curou Maria Madalena. Ele nos chama pelo nome, e essa já é uma cura psicológica.

Talvez, muitos de vocês tenham raiva de alguém e já tenham uma pedra nas mãos para jogar em seu inimigo, na sua sogra, no seu cunhado… Jesus não lhe pede para não atirá-la; Ele apenas lhe diz que você o faça se estiver sem pecado. O Senhor nos conhece por dentro e por fora; não podemos nos esconder d'Ele. Ele é o único que pode nos curar, perdoar nossos pecados.

A outra cura é a libertação. Todos nós, de alguma forma, somos atacados pelo espírito do mal. Não o somos da mesma forma, porque o demônio tenta sempre encontrar nossa área de fraqueza, e não somos fracos da mesma maneira. Como um general esperto, ele ataca as áreas da nossa fraqueza.

Precisamos fortalecer esses pontos fracos da nossa personalidade. Pode ser a inveja, a raiva, a agressividade, a violência, a luxúria, a perversão sexual, o ódio contra alguém, a falta de perdão. Podem ser tantas coisas! Mas se você for esperto, vai fortalecer esta área, pois é, nela, que o demônio vai tentar atacá-lo.

Muitas pessoas se sentem fracas, porque entram em pânico diante de uma situação.

Também no livro de Tobias, vemos que, durante a viagem, Tobias encontrou-se com a mulher de sua vida: Sara.

O Arcanjo também está presente na vida de Sara, esposa de Tobias, pois ambos estavam tentando encontrar a companhia adequada. O pai Tobit tinha muito medo de que seu filho encontrasse uma esposa de outra religião; por outro lado, Sara também estava com medo, porque já tinha tido sete esposos e todos haviam morrido na noite do matrimônio. Isso parecia ser um sinal de Deus, de que ela não deveria se casar. No entanto, o Senhor provê, por meio de Rafael, o encontro entre Sara e Tobias.

Deus também enviou Rafael para proteger Tobias durante sua viagem, diante de seu encontro com o devedor de seu pai. Muitas vezes, em nossa viagem, encontramos acidentes e percebemos que, facilmente, poderíamos estar envolvidos nele. É aí que percebemos o quanto Deus nos protege.

Hoje, queremos pedir que Jesus que desamarre as amarras que o demônio coloca em nós.

Transcrição e adaptação: Michelle Mimoso


Frei Elias Vella


Franciscano e exorcista

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo