O derramamento do Espírito Santo

Monsenhor Jonas Abib
Foto: Deividson Francisco/ Fotos: Canção Nova

Nós ouvimos, logo no início da celebração, a Oração da Coleta; realmente, ela coleta as coisas da liturgia. Nessa oração diz: “Que o vosso povo espere, com plena confiança, o dia ressurreição!”

Meus irmãos, no primeiro momento, algumas vezes, isso passa sem percebermos, mas é muito importante, para nós, aquilo que a liturgia nos pede. O Evangelho que proclamamos acontece logo depois da ressurreição de Cristo. No dia em que aconteceu o Pentecostes, os demais estavam reunidos no cenáculo; e hoje a Igreja manda anunciar que esperemos, com plena confiança, o dia da ressurreição acontecer.

Por um lado, dizemos: “Vinde, Senhor Jesus!”, e por outro lado: “Que eu vá, Senhor Jesus.” Para irmos é preciso estarmos vivendo santidade de vida. No dia que a morte vier, é preciso que estejamos vivendo a santidade . Santidade não é apenas para os santos, mas para todos nós. Santidade de vida é para todos nós, e precisamos viver em santidade de vida todos os dias de nossa vida! Eu estou insistindo nesse "todos os dias da nossa vida", porque não temos como improvisar isso. Ou eu estou em estado de graça ou não vai ter como eu sair correndo para tentar viver aquilo que eu não vivi até agora. Pelos problemas e pecados, mesmo nos arrastando, precisamos viver como santos constantemente, todos os dias de nossa vida! Hoje não tanto como ontem, mas não tanto como amanhã, porque amanhã precisaremos vivê-la muito mais.

O Evangelho de hoje é muito conhecido. Os discípulos, que se põem a caminho, estão tristes, desanimados, abatidos, mas também decepcionados com Jesus. No diálogo eles diziam: “Nós esperávamos que ele fosse libertar Israel, mas, apesar de tudo isso, já faz três dias que todas essas coisas aconteceram!” Já fazia dois dias que tudo havia acontecido. Desanimados, eles contam com o pessimismo. Também estavam desesperançados, à beira da incredulidade. Jesus estava ao lado deles, mas não O reconheceram de tão abatidos e decepcionados que estavam. Quando chegaram em Emaús, Jesus entrou com eles na casa, tomou o pão e o partiu. Nessa hora os olhos deles se abriram, perceberam que era Jesus, logo depois o Senhor desaparece. Chegaram à conclusão de que: “Enquanto falava, o nosso coração se abrasava”. A Sagrada Escritura é de capital importância para encontrarmos Jesus, por isso devemos nos alimentar dela e caminhar com Deus por intermédio de Sua Palavra.

"Recebei o Espírito Santo!”, clama monsenhor Jonas Abib
Foto: Deividson Francisco/ Fotos: Canção Nova

Jesus quer nos esclarecer a Palavra de Deus, e isso é muito importante, porém, é preciso que procuremos escutá-la com atenção, lê-la para entender. Lermos a Bíblia! Jesus é a Palavra.

Penso que todos devem conhecer a Lectio Divina. Quando eu comecei a comunidade, escrevi o livro: “A Bíblia foi escrita para você”, e foi mesmo para você. Havia uma senhora analfabeta que começou a ler a Bíblia mesmo sem saber ler na época. Jesus Palavra se evidenciava a ela, abrindo-lhe os olhos, a mente e o coração. Não somente ela lia, como também compreendia a Bíblia. É importantíssimo a leitura das Sagradas Escrituras. Não podemos ficar “bicando a Palavra”, precisa ser uma leitura com método. O povo me chama de "Padre Jonas da Bíblia", e isso não é à toa, porque o povo sempre me vê com a Bíblia não mão, lendo-a.

A primeira leitura  de hoje é exatamente o primeiro Querigma que aconteceu em Pentecostes, quando começaram a falar em línguas, e o mais importante: todos ficaram cheios do Espírito Santo. O barulho foi tão grande que, saindo dali, não pararam de orar em línguas, e aqueles que não tinham o dom da interpretação diziam: “Estão todos embriagados”, e Pedro disse: “Não! Estão cheios do Espírito”. Como está escrito na profecia de Ezequiel.

O Querigma foi feito com tanto poder, que no final diziam: “O que devemos fazer?” Pedro disse-lhes: “Convertei-vos e crede no Evangelho, e recebei o Espírito Santo.” No Querigma que Pedro faz, ele diz: “Deus ressuscitou mesmo Jesus”. Meus irmãos, isso foi Pentecostes. O Senhor quer que esse mesmo derramamento aconteça na Igreja hoje. Assim como aquelas três mil pessoas foram batizados, o Senhor quer fazer em nós um verdadeiro derramamento no Espírito Santo. Que a chama do Espírito Santo, derramado sobre nós, nos inunde e nos encha por inteiro. O avivamento, que o Senhor quer trazer para todos nós e para o Brasil, são os dons do Espírito, sem medo.

"Santidade não é apenas para os santos, mas para todos!", exortou Monsenhor Jonas
Foto: Deividson Francisco/ Fotos: Canção Nova


Retomo com você a profecia de Joel: “Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel: Nos últimos dias acontecerá, diz Deus, Que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne; E os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, Os vossos jovens terão visões, E os vossos velhos sonharão sonhos; E também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e as minhas servas naqueles dias, e profetizarão; E farei aparecer prodígios em cima, no céu; E sinais em baixo na terra, Sangue, fogo e vapor de fumo. O sol se converterá em trevas, E a lua em sangue, Antes de chegar o grande e glorioso dia do Senhor; E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. (Atos dos Apóstolos 2:16-21)

Essa profecia é para todos. Receber os dons do Espírito Santo é para que a salvação possa acontecer! Façamos de tudo para que o avivamento aconteça em nós e em toda a Igreja. Vem, Espírito Santo!
 

Transcrição e adaptação: Jakeline Megda D'Onofrio


Monsenhor Jonas Abib


Fundador da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo