O dom mais excelente do Senhor

Márcio Todeschini e Eliete Neves
Foto: Wesley Almeida
Estou no nono ano do noviciado, Deus nos colocou um na vida do outro. Viemos para a Canção Nova exclusivamente para servir a Deus, e Ele nos apresentou, nos guardou um para o outro.

Aqui na Canção Nova, antes de namorar, conhecemos a história um do outro para depois dar o passo do namoro. Deus tem a capacidade de ir além do que pedimos, Ele é generoso e não temos a noção do que Ele faz em nossas vidas.

"Havia nos arredores uns pastores, que vigiavam e guardavam seu rebanho nos campos durante as vigílias da noite. Um anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor refulgiu ao redor deles, e tiveram grande temor. O anjo disse-lhes: Não temais, eis que vos anuncio uma boa nova que será alegria para todo o povo: hoje vos nasceu na Cidade de Davi um Salvador, que é o Cristo Senhor. Isto vos servirá de sinal: achareis um recém-nascido envolto em faixas e posto numa manjedoura. E subitamente ao anjo se juntou uma multidão do exército celeste, que louvava a Deus e dizia: Glória a Deus no mais alto dos céus e na terra paz aos homens, objetos da benevolência (divina). Depois que os anjos os deixaram e voltaram para o céu, falaram os pastores uns com os outros: Vamos até Belém e vejamos o que se realizou e o que o Senhor nos manifestou. Foram com grande pressa e acharam Maria e José, e o menino deitado na manjedoura. Vendo-o, contaram o que se lhes havia dito a respeito deste menino. Todos os que os ouviam admiravam-se das coisas que lhes contavam os pastores. Maria conservava todas estas palavras, meditando-as no seu coração. Voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, e que estava de acordo com o que lhes fora dito" (Lc 2, 8- 20).

Esta Palavra nos comunica uma grande alegria: "Nasceu para nós o Salvador, que é Cristo o Senhor". Muitas vezes, em nossas vidas, ficamos diante de um impasse, assim Deus se manifesta, se revela.

'Precisamos entender o coração do outro'
Foto: Wesley Almeida

Queremos partilhar a nossa história: a proposta do nosso namoro de viver na castidade, junto com os desafios. O matrimônio vivido em Deus nasce do namoro vivido n'Ele. Um namoro correto proporciona frutos bons, os quais são colhidos no matrimônio. O respeito um pelo outro foi conquistado no namoro, por isso esse tempo deve ser bem vivido.

Vemos muitas situações tristes, são inúmeros términos de casamentos, mas Deus tem o poder de ir além do que pedimos. Não queremos dizer que somos perfeitos, pois se não for Deus nos sustentando, o príncipe deste mundo quer destruir nossas famílias.

Devemos colocar o Senhor no lugar que só é d'Ele. O que será amanhã? Não sabemos, as escolhas implicam renúncias. Sou um missionário, pois Deus quer que eu o seja. Se não estamos firmes na convicção de que não somos artistas, estas coisas nos seduzem e o inimigo de Deus sabe se aproveitar disso; o Senhor nos escolheu e demos nossa resposta.

São desafios, para que possamos trazer o céu para a realidade em que vivemos, precisamos dar uma resposta. Dê o seu "sim" a Deus, você não tem nada a perder, esta alegria tem um caminho duro a percorrer.

Podemos dizer que com Deus é tudo mais lindo, as tensões vão existir, pois Ele quis que fôssemos diferentes. Devemos usar a criatividade quando vêm a dificuldade e a diferença, para que elas não gerem um problema. Por que tantos casais se separam dizendo que são muito diferentes? As diferenças não podem levar ao desrespeito, ao egoísmo, à imposição, tudo isso é matéria para o diálogo, precisamos entender o coração do outro.

'O matrimônio vivido em Deus nasce do namoro vivido n'Ele'
Foto: Wesley Almeida

Quando estávamos nos preparando para nos casar, montando a casa, Márcio queria colocar uma antena e me explicava o porquê desse desejo. Eu achava isso desnecessário, por essa razão, perguntei a Dom Alberto: "Eu penso uma coisa, ele pensa outra" e Dom Alberto disse que Deus não estava preocupado com a antena, mas que a Sua vontade é a nossa comunhão e isso ficou no meu coração. Se existe o amor entre o casal, estes limites desaparecem, quando você sede, o outro também sede. Concordar é quando os corações se unem, precisamos ter Deus no relacionamento, pois Ele é o fim.

Quando tenho uma necessidade, a primeira coisa que faço é partilhar com a Eliete, até na questão financeira. É necessário haver partilha, o que meu é dela e vice-e-versa.

Deus se manifesta em coisas pequenas, em detalhes. Dentro do relacionamento, quando existem tensões, esta é uma grande oportunidade para buscar a reconciliação, precisamos dialogar sobre o que aconteceu, pois você está diante de quem você ama. O Todo-poderoso está presente em uma conversa, quando levamos o filho ao médico, no momento da relação sexual e como é lindo viver com o método natural, sem métodos artificiais. O Senhor está em nosso relacionamento, o método natural é tão lindo que você pode até escolher o sexo do bebê, mas é claro que Deus é Deus.

O Senhor está presente em nosso relacionamento, em nossas vidas. Nada vivemos sem uma meta: a minha meta e a do Márcio é o céu, a vida eterna com Deus. A minha felicidade não é o Márcio, mas ele complementa a verdadeira felicidade, que é o céu. Viver a castidade não é fácil, pois a nossa carne grita e somos invadidos por maus pensamentos, mas o que faremos com isso? Olhar para Cristo, o modelo da castidade e da paciência, para que nossas paixões fiquem na cruz.

 
Transcrição e adaptação: Thaís Capucho


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo