O Espírito Santo caminha conosco

Nós somos uma família que vive pela graça do Espírito Santo, sob a condução d’Ele. Muitas vezes, erramos, mas sempre estamos recomeçando.

Percebi que o Espírito Santo sempre caminhou conosco. E nesse ano de 2006, foi diagnosticado que eu estava com câncer de mama. É algo que é muito sofrido. Quando o médico me disse isso, eu tive a sensação de que o chão acabou. Mas comecei a ver que em todos os momentos o Espírito Santo de Deus estava comigo.

Muitas pessoas dizem: “Você é muito forte”. Eu digo a elas que meu temperamento é forte mesmo, mas essa força que viam em mim não era minha, era do Espírito Santo. Foi Ele quem me inspirou na hora em que eu decidi não murmurar e não reclamar.

Quando descobrimos que estamos doentes queremos ser curados. Mas, no meu caso, não foi assim. Eu falei assim: “O Senhor me pede para eu passar por isso”. Não fiquei brigando com Deus, mas é claro que tive os meus momentos de dor e de lágrimas. Olhando para isso, só posso dizer que foi o Espírito Santo, que eu recebi no dia do meu batismo e que foi reinflamado num grupo de oração, que me deu esta força. E a deu para minha família também.

Comecei a namorar o Laércio com 15 anos. Acho que não sei viver sem ele. A gente descobriu a vida juntos. Quando veio o diagnóstico do câncer, o Laércio sofreu, mas se segurou graças ao Espírito Santo.

Eu estava aqui e me lembrei de um amigo, que era "cameraman" e que faleceu de câncer. Ele me deu tanta força. Eu decidi que eu ia continuar vivendo porque eu estava passando por um tratamento. Não é fácil. Eu tinha de mostrar para as pessoas que, – mesmo com o tratamento do câncer –, era possível viver e estar com as pessoas.

Eu sinto que Deus quer caminhar assim com todas as pessoas. O Senhor me escolheu para estar aqui na Canção Nova. Eu nunca escolheria isso por mim. Mas Ele me chamou e eu vim para cá. Foi um chamado d’Ele. Todos nós podemos viver assim.

Eu tenho uma mãe que veio de uma família católica. E como eu percebo o Espírito Santo agindo nela! Nós precisamos aprender a conversar com Ele. Todos nós, independentemente da idade, precisamos pedir essa luz vinda do céu e que vai transformar a nossa vida. Vai virar você pelo "avesso", mas você vai perceber que está fazendo a vontade de Deus, os desígnios d’Ele para a sua vida.

Quando eu comecei a fazer quimioterapia, vi que ela derruba a gente. Não pense que é moleza não! Na época da doença, eu não tinha força para viver todas as coisas. Eu rezava muito: “Cura-me, Senhor, e serei curada. Salva-me, e serei salva, porque Tu és o meu título de glória. Dá-me força, Senhor, para eu viver a radioterapia”, e também rezei muito esta frase. “Ajuda-me, Senhor!” Há momentos da doença em que é só nós e Deus. Havia momentos em que o meu marido, por mais que me amasse, não podia estar comigo. Eu só podia contar com Deus. E essas orações vinham nesses momentos.

Passar por este caminho foi uma coisa muito importante. Quando começamos a "via-sacra" pelo consultório do Dr. Wilton, na mesa dele havia muitas biópsias. E eu pensava: “Meu Deus, ali tem uma pessoa e uma família”. Começamos a rezar pelas pessoas. Eu vi que o meu caso não era o pior. Existe muita gente que passa por situações mais difíceis do que você.

Infelizmente, nós temos a mania de olhar para nós mesmos, para o que estamos vivendo, e que o pior acontece conosco. Eu descobri isso fazendo a quimioterapia. A minha vida mudou. Coisas que eu não falava, eu, hoje, falo e faço. É ver Jesus no outro. E isso, eu só consegui experimentar pela força do Espírito Santo.

Eu nunca mais vou esquecer o ano de 2006. Marcou a minha vida e a das minhas filhas, mas como eu senti a presença de Deus e do Espírito Santo!

Pense numa irmã: Rosa. Ela ia, fazia arroz, carne, tudo. Outra pessoa maravilhosa, que descobri, foi minha irmã de sangue. Depois do câncer, nós nos encontramos mais.

Quantos casais nos ajudaram nesse tempo. Minha mãe dizia: “Não fica triste, minha filha, pois é pior para o tratamento”.

Eu tenho um Deus que me ama, que cuida de mim! Houve momentos de desilusão, de decepção também, eu não escondo isso de ninguém. Há uma irmã de comunidade, que um dia, nos sentamos e ela me disse assim: “Eu vi que você estava chateada”. Hoje estamos muito bem, mandei um beijinho para ela. Somos muito transparentes.

Eu tenho amigos nesse Brasil afora! Quantas pessoas rezaram por mim…

Deus está aqui para cuidar de você. Há alguma coisa por que você está sofrendo muito? Já brigou com Deus? Saiba que Ele ama você e aprenda a contar com o Espírito Santo. Isso não é só para nós da Canção Nova. Essa promessa é para você, para sua casa, sua família. Ainda hoje, eu disse ao meu marido que, um dia, vamos ver todos os nossos na Igreja. A gente não pode sofrer em vão. Cada um tem a sua dor. Há alguns que passam como eu passei por ela, mas ninguém pode desprezar a dor do outro.

O Espírito Santo é para todos nós. Você tem se colocado diante do Espírito Santo? É bom a gente pedir e receber a oração, mas nós precisamos pedir a graça de Deus, essa força que vem do alto. Se não fosse o Espírito Santo, eu não teria condições de passar pelo que eu passei.

Eu fiquei careca na casa de uma amiga em Jaú, no estado de São Paulo. Eu consegui entrar no “território do calçado”, mas nada tinha graça para mim. Voltando dessa cidade, passei em Campinas e disse a uma amiga que eu precisava de uma peruca. Ela me levou a um lugar onde só se faz perucas. Ela disse que era para ficar mais bonita do que era com o cabelo. Quando eu cheguei ao camarim, cheguei animando a galera, porque eu não queria saber de depressão. Eu sempre estava sorrindo. Às vezes, não era fácil. Quando eu não estava muito feliz, eles me animavam. Como meus irmãos de comunidade me ajudaram! As crianças da comunidade me ajudaram muito. Eu não escondia das pessoas o que eu estava passando, e que eu precisava de ajuda.

Por que eu consegui viver assim? Por causa do Espírito Santo. Quantas mães vêm pedir oração por causa do filho, da filha, do casamento… O segredo está no Espírito Santo, na força do alto. Eu não podia viver acreditando só em mim, tinha de acreditar em Deus. Eu venci por causa do Espírito Santo!

Como o inimigo ataca os casais… Mas pela força do alto, você vai encontrar forças para este problema pelo qual você está passando.

[Glória diz ao esposo] Eu quero te agradecer por ter sido o meu companheiro. Eu pude acreditar em você.
Na quimioterapia, os hormônios param. Imagine uma mulher assim. Não tem vida sexual, não tem nada. E nesse momento, ele foi fiel por causa do Espírito Santo. Foi a ajuda do céu.

Transcrição: Maurício Rebouças


Glória Amaral


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo