O lugar da reconciliação

Monsenhor Jonas Abib
Foto: Elcka Torres

Nós estamos diante do Evangelho maravilhoso, principalmente para terminar esse encontro dedicado às novas comunidades, chamadas pelo Papa de 'Primavera para a Igreja'.

Mas aquilo que falamos a respeito de comunidade, se aplica a todos nós, porque a primeira comunidade – célula mãe – é a comunidade família. Então, se aplica totalmente à nossa realidade concreta do dia-a-dia.

“Se o teu irmão pecar contra ti, vai corrigi-lo, mas em particular, a sós contigo! Se ele te ouvir, tu ganhaste o teu irmão.” Mateus 18,15
É preciso que haja correção. O Evangelho não retira a necessidade da correção, mas ela precisa ser feita em particular. Pessoa a pessoa. Não é diante dos outros, nem aos gritos, com briga, mas em particular.

“Se Ele te ouvir, tu ganhaste o teu irmão.”

Seja ele quem for. De sua comunidade, marido, esposa, irmão, pai, mãe…
Entre marido e mulher também é necessário que haja essa correção. Mas o mais importante é isso: 'Se Ele te ouvir, ganhaste o teu irmão.'

Todo esse Evangelho não é para pôr o irmão para fora. Ao contrário, é para ganhar a pessoa, trazê-la de volta para o bom caminho. Nós não podemos perder ninguém, nunca. Precisamos ganhar o irmão. Mesmo sendo uma pessoa que não nos é simpática. Isso se aplica ao trabalho, repartição, comunidade ou família. Erramos sim, mas é preciso aprender. O Evangelho é para corrigir a gente também.

“Se ele não vos der ouvido, dize-o à Igreja. Se nem mesmo à Igreja ele ouvir, seja tratado como um pagão ou um pecador público”. Mateus 18,17
Como que Jesus tratava os pecadores e os pagãos? Temos inúmeros exemplos no Evangelho: Mateus, Zaqueu, Maria Madalena, Simão Pedro. Jesus os tratava com muito amor e perdão.

Na prática, nós acabamos fazendo tudo ao contrário. Primeiro, já falamos para todos, menos à pessoa interessada. Nós falamos demais e de maneira errada. Quanta esposa fala mal do seu marido para todo mundo? Quanto marido expõe sua esposa, seus filhos? Jesus não fez assim com ninguém. Não podemos sair falando por aí.

O importante é não perder o irmão, o marido, a esposa, o filho, a filha. Não perder ninguém
.

“De novo, eu vos digo: se dois de vós estiverem de acordo na terra sobre qualquer coisa que quiserem pedir, isso lhes será concedido por meu Pai que está nos céus. Pois, onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou aí, no meio deles”.
Mateus 18,19-20
Isso quer dizer que tudo isso é questão de oração. De muita oração.
Hoje Ele diz para você: vá ao encontro das ovelhas perdidas de sua casa. O amor preferencial é para as 'ovelhas negras' de sua vida. É preciso cercar essa pessoa de oração e paciência. Faça penitência pelas pessoas 'erradas' da comunidade, para não perdê-las.

"Vá ao encontro das ovelhas perdidas de sua casa. É preciso cercar essa pessoa de oração e paciência"
Foto: Elcka Torres / Fotos CN

'Essa é a vontade do Pai, que eu não perca nenhum daqueles que Ele me deu'

Deus te deu seu marido, sua esposa, seus pais, seus filhos, cunhados, sogra, primos, irmãos. Que você não perca nenhum daqueles que o Pai lhe deu.

Cada um procure corrigir em si as atitudes e modos de ser que não constróem a vida fraterna, a vida em família.

O exercício do perdão é fundamental, porque somos todos limitados.
Cada um precisa aprender a pedir e a receber o perdão.
Se nós temos que aprender a perdoar, precisamos também aprender a pedir perdão, senão a coisa vai se endurecendo igual a concreto. Aprenda a reconciliar-se.

A comunidade sobrevive, não quando desaparecem os erros e pecados, mas quando cada um aprende a perdoar 70×7.

O único jeito de você ter as mãos limpas, é lavando-as. A gente vive reconciliado, se reconciliando.

Transcrição e adaptação: Nara Bessa


Monsenhor Jonas Abib


Fundador da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo