O mais belo dos filhos dos homens!”

Padre Roberto
Foto: Robson Siqueira

Nesta Quinta-feira de Adoração ao Santíssimo Sacramento, queremos pedir ao Senhor que a nossa alma, que o nosso interior possa aprender a viver cada momento, cada experiência, daquilo que Ele tem feito e realizado em nós. A alegria de poder ver o Senhor. Como Ele se manifesta e como é belo poder ver Jesus no Santíssimo Sacramento, a sua beleza escondida, única, real, pessoal! E é esta experiência que queremos viver neste dia. Experiência que vivemos na Santa Missa e a Igreja rompe o tempo e se me permitem dizer: quase que o [tempo] “desrespeitando”.

Quero começar com uma passagem que os Santos Padres sempre meditavam em suas cartas: “Sois belo, o mais belo dos filhos dos homens” (Salmo 44/45,3). Esta passagem é muito anunciada no tempo da Paixão de Jesus, pois nós católicos temos uma admiração pelo ‘Mistério Eucarístico’ dentro de nós: adorar a Deus no véu do Sacramento. Se nós católicos não temos uma admiração e sentimos alegria num culto supremo de adoração, nenhum mistério vai parar dentro de nós.

Esta admiração por Ele, que é mais belo entre os filhos dos homens, é confirmada por São Paulo: “Sendo ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens” (Filipenses 2,6-7), assumindo a natureza humana menos o pecado.

Nós queremos hoje nos encontrar com o Senhor, a nossa alma está aqui, queremos levantar aqui hoje um culto de adoração e dizer: “Jesus, és Filho mais belo entre os homens!”

Eu repito: se você, católico, perdeu o encanto, a alegria por Jesus no Sacramento pode ter certeza de que vai perdendo, perdendo, perdendo cada vez mais essa admiração. Muitos não se alegram mais com a presença de Jesus no Sacramento, não se importam em buscá-Lo, não desejam mais vê-Lo, estar na presença d’Ele e adorá-Lo.

Esta passagem do Salmo é uma passagem Eucarística e nos dá o encanto do coração do Senhor, a alegria de estar na presença d’Ele; e nos dói o coração quando os católicos perdem a graça, perdem o encanto e a felicidade por ver e estar com Ele.

Imagine se eu – como sacerdote – subisse ao altar para consagrar o pão e o vinho e não tivesse a alegria de estar com Nosso Senhor Jesus Cristo Senhor? Ali está Aquele que pode encher o meu coração [referindo-se a Jesus]. Mas parece que a dureza do coração vai se fazendo presente nos meus irmãos; os tabernáculos vazios, as Santas Missas frias, Jesus esquecido, abandonado, tanto que chegará um tempo em que tudo o que é belo para o Senhor será proibido; tudo que alegra o coração do Senhor será proibido!

Tudo isso é tão apartado, negligenciado, por tão sublime presença e chegará um tempo em que um sacerdote bem paramentado vai ser zombado ao celebrar a Santa Missa… E, hoje, infelizmente isso já acontece, de forma que parece ter valor aquele sacerdote que celebra de qualquer maneira. É por isso que eu disse que a Carta aos Filipenses é a alma de Jesus no altar, Ele é o alimento vivo, palpitante em sua vida! Não podemos deixar que o coração fique gélido na presença d’Ele!

Por isso que um católico – que não tem mais admiração pelo mistério [da consagração do Corpo e Sangue de Cristo e de toda a Igreja] –, como vai entender a dor (e creio que você está entendendo o que digo ao seu coração), como vai entender o sofrimento dos pobres se não entende como o Cordeiro [Jesus Cristo] é sacrificado no altar?

Conversando com Dom Cláudio, ele disse que estava triste, pois houve uma secularização na vida consagrada feminina também, perdeu-se o amor, perdeu-se o mistério da vida consagrada e o amor por Jesus. Está se retirando o mistério de tudo, também na vida do leigo a cada dia se está retirando o mistério, deixando-o cada vez mais gélido. Você precisa alimentar a sua fé, precisa acreditar no mistério, tem de ir não com a razão, mas com a emoção e sentimentos.

Ora, um homem consagrado, uma mulher consagrada, que perdeu o desejo de comungar o mistério da fé, como pode entender a sua vida de consagrado? Você precisa entender o caminho da dor, o caminho do abandono, por isso a Santa Missa é ato de sacrifício, embora alguns teólogos queiram dizer que esta é um simples ato, um rito. Quando você participa da Celebração Eucarística, faz parte “contemporânea” com Jesus, o que significa ser do mesmo tempo, da mesma época em que vivemos, hoje. Por isso a Missa é um ato do Senhor.

Se você está com vontade de chorar, chore; se está com dor, coloque-a no altar, e lembre-se de que você não é inocente como Jesus; só Ele é inocente. Muitos ateus, quando morre um amigo deles, colocam a culpa em Deus e julgam que ninguém tem direito de sofrer.

Você deve entender que o Senhor é a única resposta da sua dor. Faça d’Ele a razão da sua vida! Eu sei que você está entendendo isso no coração: O mais belo do Filho dos homens está ao nosso redor. É Ele que vem e entra dentro de nós, que nos alimenta e só Ele é o Inocente entrando na sua vida para lhe dar sabedoria – diante tantos momentos que você vive e de tantos questionamentos, como: “Por que meu filho de 12 anos foi morrer assim?” ou “Por que meu filho está doente?”, etc. Quantos são os casais que aprenderam a amar por terem filhos com Síndrome de Down, lembrando-se de que Jesus é o Inocente, o Cordeiro, pois não abriu a boca contra aqueles que O maltrataram. Ele era o mais belo do Filho dos homens e ninguém queria olhar para Ele diz o profeta Isaías [após a flagelação e morte].

Filhos e filhas, é neste ponto que lhes falo do caráter sacramental da Santa Missa. Guardem primeiro a passagem: “Tu és Filho mais belo…” na qual podemos crer no Cordeiro, que entra em nossas vidas, alimentando-nos a alma; e que o católico, a católica, que perdeu a graça, não conseguirá chegar a algum lugar. A Igreja espera o seu coração sedento pelo Véu do Sacramento do Filho dos homens. No sorriso dos inocentes está Jesus Cristo.

Dom Cláudio disse que está difícil trabalhar com as vocações, pois o mistério foi esquecido e na nova igreja de São Pio na Itália Nosso Senhor Jesus Cristo está abandonado, jogado, ultrajado, esquecido no segundo andar em uma capela fria.

Tomem o profeta Isaías no capítulo 53, versículo 2, que diz: “Cresceu diante dele como um pobre rebento enraizado numa terra árida; não tinha graça nem beleza para atrair nossos olhares, e seu aspecto não podia seduzir-nos”. Até parece que o profeta fala contra o salmista, mas não é. O profeta diz que Jesus era o mais belo passando pelo sofrimento; quantos O tratam com zombaria…

Quando você quer fazer o sacrifício e é ultrajado é quando tem de continuar. E bendito seja Deus pelos sacerdotes que têm continuado a tratar Jesus como Ele merece! Pois casa, carro, o “fundador santo” não são o bastante para se encontrar com Jesus. O Senhor deu para nós Sua graça e a Sua beleza no sofrimento e nós as temos, pois o Espírito Santo nos dá a graça e a beleza de Jesus.

Jesus, és Filho mais belo entre os homens, afirma Padre Roberto
Foto: Robson Siqueira

Sem Jesus no Véu do Sacramento não se pode viver e duvido se um católico verdadeiro vive sem a presença do Sacramento! Que venham aqueles que não têm vergonha por causa de Jesus Sacramentado! E padres que desejam, ardentemente, celebrar com fervor o mistério Eucarístico!

Esta expressão de amor o conduz ao sofrimento dos inocentes. Hoje por causa da recessão dos Estados Unidos, por causa do Iraque, entre outros, quantos não vão morrer de fome! A morte dos inocentes, como o pobre de rua, aquele que não tem atendimento médico nem uma palavra de amor. Como um casal que tem a ‘graça’ de ter um filho com Síndrome de Down, ambos transformam o amor presentes neles e potencializam esse sentimento.

A Santa Missa é a celebração suprema. Jesus é a beleza do Pai. Há a alegria de poder ver Jesus Sacramentado, pois após a consagração não há mais pão, mas é o meu Senhor que se faz presente no altar. Se você não tem mais encanto pelo Sacramento, você vai perder tudo, até sua própria vida. Tenha certeza de que não irá se desviar dos caminhos que Deus tem para você, nem perca a inocência, hoje um dom tão precioso e raro. Precisamos voltar a crer no amor puro, voltar a acreditar na lealdade do coração dos outros e que há homens e mulheres santos na sua vida, assim como que Jesus está em nosso coração!
Filipenses 2,6: Nela estão contidas duas passagens que eu usei na pregação: “Sendo ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus […] assemelhando-se aos homens.” Sem deixar de ser Deus, Cristo aniquilou-se e na celebração da Santa Missa Ele não se torna pão, mas sim, um sacrifício, no qual podemos “comer” Deus. Ele é comido por toda a Igreja, Ele é degustado e isso não é simbolismo. Muitos tentam torná-Lo um simbolismo, mas a verdade é que Jesus foi dado em sacrifício perfeito. Na Santa Missa, você se torna servo, ela não forma orgulhosos, ela forma servos. Largue o orgulho de não dar direito a um pecador recomeçar; o orgulho de não querer ser humilhado, por isso a Missa perde o valor para alguns católicos, que se afastam de Jesus por não estarem junto d’Ele.

Eu convido você para nunca perder a graça e o encanto por Jesus no Véu do Sacramento. Lembrando que a Santa Missa é um culto de sacrifício, que nos escolhe e nos torna servos perfeitos, conduzindo-nos e preparando-nos para a vida eterna. Quando eu vejo um fragmento de Hóstia Consagrada, que se perde, eu digo à minha alma: “Tu és o mais belo entre todos”; no menor fragmento está o mais belo de todos os homens! E se eu perder a beleza pelo menor fragmento, vou perder a graça por todo o Sacramento: do sacerdócio, da minha vida.

 

 

Transcrição: Rogério Viana 


Padre Roberto Lettieri


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo