O ministério de Jesus

Pe. Rufus Pereira
Foto: Robson Siqueira/Cancaonova.com

A parte mais importante das doenças é aquela que afeta o nosso coração. Como sabemos se temos uma doença emocional? E como cuidar?

No Evangelho Jesus disse: “Venha a mim quem tem o coração ferido”. Deus nos quer curados profundamente. Muitos dos nossos problemas estão em nosso inconsciente por causa de situações dolorosas que vivemos. Mas você só vai saber isso se olhar para si mesmo, olhar para os sintomas. E pelos sintomas vemos se precisamos ou não de cura interior.

Os nossos principais problemas estão nos relacionamentos com as pessoas, e um dos sintomas é quando não nos sentimos amados pelas pessoas que amamos.

E quantos problemas estão ligados ao sentimento de culpa. Muitas vezes, não nos achamos dignos do amor dos outros e de Deus porque somos pecadores.

Outro bloqueio para a cura acontecer ocorre pelo sentimento de medo que temos desde a infância. Leve o seu problema à luz de Jesus, vá à raiz dele. É preciso achar a raiz da sua doença. E não é só achar o problema e as causas; também é preciso removê-los. E um dos empecilhos para a cura acontecer é a falta de perdão; é preciso perdoar a quem nos feriu.

Outro bloqueio para nossa cura é a nossa falta de arrependimento do mal que fizemos. Há tantos casos nos quais só a confissão os resolve. O sacramento da confissão é o sacramento da cura total, e começa com a cura espiritual. Temos que levar a sério o que Deus nos diz na Bíblia.

"A primeira coisa que devemos nos convencer é de que o demônio existe", afirma padre Rufus
Foto: Robson Siqueira/Cancaonova.com

E outro bloqueio [para a cura acontecer] é a falta de renúncia às falsas religiões. As pessoas, muitas vezes, têm vergonha de falar sobre a religião que praticaram no passado, mas só rezo quando dizem a verdade.

Jesus não permitia que as pessoas doentes fossem embora sem ser curadas. Eu acredito que todas pessoas que vão ao grupo de oração precisam ser curadas.

O que o Brasil precisa, mais que outro país, é saber sobre o ministério da libertação. O início do ministério de Jesus e da Igreja é o mesmo.

Jesus foi por toda parte fazendo o bem. Cristo não foi por aí construindo grandes igrejas ou construindo escolas, Ele passou a vida curando as pessoas, curando as que estavam sob o poder de satanás. Esse era o ministério de Jesus, e Ele o levou a sério.

Assim como Jesus chorou na morte do amigo Lázaro, ontem eu também tive vontade de chorar.

Por que precisamos desta oração de libertação para nós e para os outros? Depois precisamos saber como rezar e depois como saber se fomos libertos?

A primeira coisa que devemos nos convencer é de que o demônio existe, e satanás é nosso inimigo, ele gosta de nos ouvir.
A Bíblia diz que o demônio existe, afirma isso no primeiro livro e em outros. Aquele que nega a existência do demônio é um ateu e não acredita em Deus.

O ensinamento na Igreja é muito claro: ensina que o demônio existe. Paulo VI perguntou, numa das audiências gerais: “Qual é a maior necessidade da Igreja hoje?” E o Sumo Pontífice respondeu isso, não pense que minha resposta é tola ou supersticiosa, a grande necessidade da Igreja é saber como se proteger e se defender do mal, ao qual a Bíblia chama de satanás. Não é o padre Rufus que diz isso, é a Igreja!

A grande necessidade de todos nós é saber como nos defender e nos proteger do demônio; ele que é o nosso inimigo.

Temos um inimigo, que é o demônio. A razão que creio que satanás existe é também por causa do meu ministério, eu vejo os casos.

Nestes dias tive um caso que nunca tive, que me faz acreditar que o demônio existe.

 


"Temos um inimigo, que é o demônio", ensina padre Rufus
Foto: Robson Siqueira/Cancaonova.com

“Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.

Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.

Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; E calçados os pés na preparação do Evangelho da paz; Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos, E por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com confiança, para fazer notório o mistério do evangelho” (Efésios 6:12-19).

Por outro lado, não podemos ver o demônio em todas situações.

O demônio é como um leão que está procurando destruir cada pessoa. E Pedro diz: “Sede vigilantes! E sóbrios”, porque satanás não dorme. Precisamos colocar a nossa confiança em Deus e não ter medo.

Transcrição e adaptação: Elcka Torres

:.Veja ainda estrevista exlusiva com padre Rufus Pereira: Mitos da possessão 


Padre Rufus Pereira


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo