O mistério da ressurreição

Monsenhor Jonas Abib
Foto: Renan Félix

Nós acabamos de ouvir a parábola do Semeador e todos nós a conhecemos muito bem. Veja que Jesus mesmo deu a explicação. Esta Palavra deve cair no terreno preparado, e nós precisamos ouvir, porque aqueles que estão pelo caminho o inimigo vem e lhes tira a Palavra. O inimigo quer nos tirar a Palavra para que não acreditemos e não sejamos salvos.

Cada um de nós devemos nos perguntar que terreno tem sido o nosso coração. Quantas vezes acolhemos a Palavra e acabamos voltando atrás. Jesus diz na parábola que aquelas sementes que caíram entre os espinhos foram sufocadas, enfim, somente as que caíram em terra boa permaneceram e deram bons frutos.

Meus irmãos, nós precisamos ser um bom terreno porque o que nos espera é a vida eterna, o que está em jogo é a nossa vida eterna.

Veja que na primeira leitura, São Paulo que era como um bandeirante, que ia a frente levando a Palavra de Deus, – e em Corinto onde ele ficou apenas seis meses – ele falou sobre a nossa ressurreição. Para São Paulo era difícil pregar a ressurreição porque o povo não entendia como o corpo ia ressuscitar. Paulo dizia: “Se Cristo não ressuscitou, então o que pregamos é mentira”. Mas não! Cristo ressuscitou como primícia dos que morreram, ele centraliza em Cristo, porque lá no céu já está também um outro corpo, o corpo de Maria que foi arrebatada para o céu. Assim compreendemos a nossa união com Cristo que ressuscitou e por isso nós ressuscitaremos.

Nós não podemos nos desligar de Cristo, e só a Ele devemos servir. A solução dos nossos problemas está em Nosso Senhor Jesus Cristo.

Alguns ressuscitarão para o prêmio da vida eterna e outros ressuscitarão, mas para a condenação; por isso eu não posso me desligar de Jesus Cristo.

“Eis que vos revelo um mistério: Nem todos morreremos, mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta (porque a trombeta soará). Os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados” (I Corintios 15, 51).

"Precisamos ser um bom terreno porque o que nos espera é a vida eterna", diz monsenhor Jonas
Foto: Renan Félix

"Nós seremos transformados", quem são esses "nós"? Aqueles que estiverem vivos por ocasião da vinda de Jesus e ligados, unidos e vivendo em Cristo. Veja o importante: "Estão vivendo em Cristo". Daí você percebe: "Ou Jesus vem, ou a gente vai".

A morte está colhendo gente todos os dias. Se você morre, se eu morro unido a Cristo na graça de Deus, vivendo n'Ele, para Ele; se já não estou mais no reino das trevas e sim no reino da luz e deixo que a Palavra de Deus faça efeito na minha vida, perseverando, lutando, nesta luta que não é fácil, principalmente no mundo de hoje, onde nadamos contra a correnteza, como num rio lodoso, se nós morremos ligado a Cristo, com certeza, ressuscitaremos. Se Cristo me encontrar lutando eu ressuscitarei para a vida eterna, para o prêmio eterno e não para a condenação.

Se Jesus vem, ou você é colhido pela morte antes da vinda de Jesus, quem não estiver ligado a Cristo, quem não se deixou arrancar do poder das trevas, como está na Palavra de Deus, a ressurreição será para a condenação.

Você sabe muito bem da razão pela qual o Senhor escolheu você, porque Ele amou você, e não foi para te condenar, mas para que você seja salvo. Porque o Pai não enviou o seu Filho para condenar e sim para salvar.

Para ficar mais claro São Paulo na primeira evangelização que ele fez em Tessalônica, ele já falou da segunda e definitiva vinda de Jesus, "Quando for dado o sinal, à voz do arcanjo e ao som da trombeta de Deus, o mesmo Senhor descerá do céu e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro" (I Tessalonicense 4,15).

Irmãos, é uma verdade, está aqui é Palavra de Deus. Essa Palavra de Deus hoje precisa cair no terreno bom e preparado do seu coração, e o diabo não pode arrancar. O fato das suas preocupações do dia a dia, da cobiça, da busca de riquezas não pode abafar a Palavra de Deus. A sua falta de raízes, falta de profundidade de quem leva uma vida cristã de qualquer jeito não pode abafar e deixar perder esta Palavra de Deus.

É certo o Senhor virá. Como eu costumo dizer, se Ele não vier nós iremos, mas tudo indica que a vinda do Senhor não está longe, é só olhar a situação do mundo. Primeiro a devassidão em que o mundo está, parece que a humanidade se pôs contra o seu Deus desobedecendo, e pior ainda, legislando contra a lei de Deus, contra aquilo que ficou claro na Palavra de Deus, e isso acontece em todos os países e já chegou no Brasil. É uma humanidade que se colocou contra o seu Deus, contra o seu Senhor, o seu criador. Isto é um sinal claro que a vinda do Senhor está se aproximando cada vez mais. Hoje mais do que ontem e amanhã mais do que hoje estaremos mais perto da vinda do Senhor. Quando Ele virá nós não sabemos, mas como Ele disse no Evangelho Ele virá como um ladrão quando menos esperarmos. Mas nos diz também no evangelho de São Lucas, para não cairmos no desânimo e não ficarmos assustados, pelo contrário, nos enchermos de esperança porque a nossa salvação está cada vez mais próxima, o que interessa meus irmãos é perseverarmos no Senhor.

"Depois nós, os vivos, os que estiverem ainda na terra, seremos arrebatados juntamente com Ele sobre nuvens ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor". Como nós poderemos ser arrebatados? Como São Paulo explicou: "Num abrir e fechar de olhos receberemos um corpo glorioso".

Eu serei arrebatado ao encontro do Senhor nos ares, para permanecer com Ele para sempre. É por isso que eu e você precisamos levar muito a sério a vida cristã.

Transcrição: Célia Grego


ADQUIRA ESTA PALESTRA PELO TELEFONE:
(12)3186-2600


Monsenhor Jonas Abib


Fundador da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo