O nosso corpo é templo do Espírito Santo

Padre Rafael Solano
Foto: Daniel Mafra/ Canção Nova

Hoje, de forma especial, vamos falar da coisa mais linda e bela da nossa vida: a nossa sexualidade. Evangelizar a minha e a sua sexualidade.

Muitos de nós temos uma ideia completamente errada e negativa da sexualidade que Deus nos deu. Cada um de nós, como um ser sexuado diante de Deus, criado à Sua imagem e semelhança, pode expressar a sua vida, os seus afetos, o seu amor e a riqueza que vem de Deus. Seria tão bom se cada um de nós, hoje, colocasse nas mãos de Deus a alegria da sua própria vida. Alguém tem medo do seu corpo? Vamos refletir e meditar um texto de São Paulo aos Corintios.

“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma. Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos; Deus, porém, aniquilará tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a fornicação, senão para o Senhor, e o Senhor para o corpo. Ora, Deus, que também ressuscitou o Senhor, nos ressuscitará a nós pelo seu poder. Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo, e os farei membros de uma meretriz? Não, por certo. Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne. Mas o que se ajunta com o Senhor é um mesmo espírito. Fugi da fornicação. Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que fornica peca contra o seu próprio corpo. Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.” 1 Coríntios 6:12-20 Paulo a partir desse capítulo até o capítulo oitavo vai trazer a proposta à vocação a castidade. A comunidade de corinto era muito desordenada segundo os estudiosos bíblicos e parece que no campo da sexualidade também . Hoje vivemos numa sociedade bem questionada pela sua sexualidade. Como é triste ver que o mundo perdeu a valorização do seu corpo. E na cidade de Corinto se passava pela mesma situação. Paulo vai dizer na sua carta: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma. Quando tudo me é permitido eu coloco a disposição da minha liberdade. Tem coisas que não me convém, tem realidades que afeta na minha vida. E a primeira coisa que Paulo vai dizer é o que tem haver com o corpo: “Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos; Deus, porém, aniquilará tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a fornicação, senão para o Senhor.”

Que declaração de amor mais bela, mais forte! Na nossa vida, assim como o povo de Israel, jamais tínhamos ouvido essa coisa tão bela: “O corpo é para o Senhor”. Para falarmos da evangelização da sexualidade é preciso falar do corpo. Por isso eu perguntei: “Alguém se sente bem com seu corpo?”. 

Todas as vezes que começamos um tema sobre a sexualidade, começamos a falar da beleza do corpo, das virtudes da sexualidade, desse corpo que nós somos. Muitos de vocês estão vivendo a experiência da conjugalidade, o seu corpo fala imediatamente para o seu cônjuge. Você não disse uma palavra, mas seu esposo lhe pergunta: “Você está bem?”. Você pode dizer: “Estou bem”, mas, na verdade, seu corpo está dizendo outra coisa.

Cada um de nós expressa a grandeza da sua sexualidade por meio do corpo. Uma das coisas que mais têm me preocupado, hoje, é o fato de o corpo estar sendo manipulado. Há muitas pessoas que não aceitam o seu corpo, porque são muito gordos ou muito magros. Muitos de nós não aceitamos nosso corpo como um espaço de salvação. Que beleza quando cada um de nós começa a reconhecer a ação de Deus no próprio corpo! Não existe um corpo perfeito, um corpo deficiente e não existe um corpo diferente. 

"Ora, Deus, que também ressuscitou o Senhor, nos ressuscitará a nós pelo seu poder. Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo?" (1Cor 6,14-15). Será que nós temos consciência total de que cada membro do nosso corpo faz parte do corpo de Cristo? Os nossos membros, que muitas vezes não conhecemos, fazem parte do corpo do Senhor.

A minha vida mudou a partir do momento que comecei a aceitar o meu corpo. Cada membro do nosso corpo é importante e expressa o que somos. Como é bom perceber que cada parte de nós se uni ao corpo da comunidade! É tão lindo ver uma pessoa que revela a beleza de Deus! É belíssimo ver quando uma criança, no processo de amadurecimento, vive e descobre a riqueza do seu corpo; quando os namorados vivem o esplendor do seu corpo, preparando-se para uma vida conjugal. Quando o casal descobre, a cada dia, a riqueza da intimidade no seu corpo; quando um rapaz ou uma moça decidem viver o celibato ou a virgindade e, por meio do seu corpo, glorificam o Senhor. O nosso corpo não pode ser motivo de escândalo.

Corpo e alma se forma em uma única realidade. Olha o que vai dizer Paulo: “Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne. Mas o que se ajunta com o Senhor é um mesmo espírito.” 1 Coríntios 6:16-17

Três coisas belíssimas, acaba de dizer o apóstolo:

1ª – Somos membros do corpo de Cristo
2ª – O nosso corpo é do Senhor
3ª – O nosso corpo é templo.

Agora, eu pergunto aos casais: "Quando um casal começa a usar o método contraceptivo, perde a sacralidade do corpo, porque todos os métodos fecham o casal para a vida. Quando um casal se ama de verdade e querem viver uma sexualidade vivida no Senhor, começam pelo método natural. Esse é um alimento primordial da sacralidade do corpo. Este não pode ser maltratado. O método natural não exige um curso na faculdade, mas a dignidade do casal. Que lindo seria se todos os casais tivessem a dignidade no casamento! 

Não sei por que muitos pensam que a sexualidade não vem de Deus. “Os vossos corpos são para o Senhor.”

"O nosso corpo faz parte do corpo de Cristo", disse Padre Rafael Solano
Foto: Daniel Mafra/ Canção Nova

Vamos falar agora sobre o celibato e o sacerdócio. Há uma coisa que me preocupa muito na Igreja: as famílias cristãs não estão promovendo a vida consagrada dos filhos, elas rezam assim: “Senhor, envie muitos sacerdotes. Senhor, envie muitas consagradas, mas que estes não saiam da minha casa!”. Se o nosso corpo é do Senhor, viver o celibato é uma coisa maravilhosa, pois este não é abstinência do ato sexual, mas a entrega da sexualidade por um bem superior. Por isso, a força de tudo o que sou está direcionada para Deus. A virgindade não é a negação do feminino, e também não é o aniquilamento da possibilidade de não ser mãe. Quando uma moça se decide pelo celibato, pela virgindade, decide entregar-se ao Senhor, ela está sendo o exemplo mais vivo da comunidade eclesial e daquilo que viveremos na eternidade. Ser celibatária e virgem é um dom de Deus. Assim como os casais vivem a sua sexualidade, desde o caráter unitivo, desde a fidelidade, desde o amor conjugal, os celibatários que decidem pela virgindade descobrem a alegria do seu ser em Cristo Jesus.

Talvez, muitos casais estejam aqui suplicando ao Senhor: “Como nós podemos viver melhor a nossa sexualidade? Como fazer para que meu corpo possa transmitir o rosto de Deus? É triste ver como o nosso país vive a sexualidade de forma tão negativa! A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), com o lema da campanha deste ano – o tráfico humano –nos faz pensar sobre o número de pessoas que vivem a triste realidade da prostituição. Será que não podemos dizer um 'basta' à prostituição? Será que não estamos destruindo a condição de templo? O nosso corpo não é para nós, ele não é para o prazer! Quando o homem e a mulher vivem bem o sacramento do matrimônio, eles transmitem a vontade de Deus.

Não podemos continuar traficando crianças, não podemos continuar com essa realidade de prostituição! Nós somos chamados por Paulo a glorificar a Deus com o nosso corpo, e quando assim fazemos, o nosso corpo é capaz transmitir Deus. Eu o glorifico com o meu olhar, que transmite Deus para as pessoas. Eu o glorifico com meu jeito de andar, que revela a beleza de Deus. Vamos fazer de tudo para que o Senhor faça a Sua obra em nós e por meio de nós.

O corpo de um encéfalo glorifica o Senhor, o corpo de uma pessoa com Síndrome de Down glorifica o Senhor. Um corpo escultural glorifica o Senhor. Você cuida do seu corpo de forma equilibrada? Um corpo perfeito nos leva à vaidade. Um corpo perfeito, colocado num outdoor, não glorifica o Senhor. Quantas pessoas perdidas não glorificam o seu corpo! 

Transcrição e adaptação: Jakeline Megda D'Onofrio.


Padre Rafael Solano


Sacerdote da arquidiocese de Londrina -PR

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo