O olhar de Jesus que cura

            Ricardo Gaiotti

Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Nós esperamos tanto de Deus, mas, muitas vezes, não colocamos nossa vida disposta para que Ele realize Sua obra em nós. Características como a impulsividade e o destempero nos deixam expostos diante de decisões que precisamos tomar.

Precisamos estar atentos para perceber as ações de Jesus em nossa vida. Muitas vezes, por estarmos fechados para o que é divino, deixamos passar despercebido o convite d'Ele para vivermos nossa verdadeira vocação.

Devemos estar dispostos a aceitar a intervenção da Palavra de Deus em nossa vida. Precisamos confiar n'Aquele que nos amou primeiro, pois não pode haver mais certeza de êxito na vida do que aquele que segue a Jesus.

Assim como perguntou a Pedro, Jesus lança hoje essa pergunta para nós: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Será que, assim como Pedro, estamos dispostos a assumir o Senhor como o Filho de Deus vivo?

Deus quer nos curar e mostrar um caminho novo. E Ele não espera ver homens inabaláveis, muito pelo contrário, Ele sabe que nossa vida é feita de quedas, erros e até mesmo a negação da existência d'Ele. Mas embora nossa vida seja repleta de quedas e ascensão, é preciso que façamos a escolha por Deus, o único que quer nos recolocar no caminho da fé e santidade. Cristo é capaz de nos dar uma direção, mesmo nos nossos piores erros.

Não aceite o julgamento de outras pessoas, você não é um bêbado! Não é um dependente químico! Você é filho de Deus, o Nosso Salvador. Somos filhos da luz, não há nada que Deus não seja capaz de fazer para nos ver vivendo a verdadeira felicidade.

Pedro experimentou essa mão que resgatava. Ele colocou sua fé à prova quando se pôs a caminhar sobre o pecado, que, nas Sagradas Escrituras, é apresentado como as águas turbulentas em que Jesus caminhava quando se apresentou diante de Pedro e seus amigos.

"Não aceite o julgamento de outras pessoas, você não é um bêbado! Não é um dependente químico! Você é filho de Deus"
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com
 
Mas assim como acontece com o apóstolo Pedro, é impossível caminharmos sozinhos sobre o pecado sem nos deixar contaminar. Precisamos não só acreditar nas palavras de Deus, mas também caminhar ao lado d'Ele, como filhos obedientes. Nós somos olhados por Deus e, neste momento, precisamos olhar de volta para Ele, com ternura, amor e, principalmente, confiantes do nosso chamado. Jamais devemos nos envergonhar diante de outras pessoas por vivermos segundo os ensinamentos de Deus, pois só Ele tem palavras de vida eterna.

Não somos vistos por nossas quedas, mas sim pelas vezes em que somos capazes de nos reerguer, sem permitir que nossa fé se abale.

Deus nos amou primeiro, mas por mais que esse amor seja desinteressado, Ele quer saber se O amamos, não em frases feitas, mas sim em atos e palavras vindas do espírito. Quando nos colocamos diante de Deus Pai, dispostos a ser instrumentos de Sua vontade, somos capazes de ver as verdadeiras maravilhas que Ele pode realizar em nossa vida.

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo