O papa e a fé da Igreja

Prof. Felipe
Foto: Arquivocn/Cancaonova.com

Primeira coisa que eu queria dizer que a gente não precisa se assustar, porque na história três papas já renunciaram e o Código Canônico da Igreja permite que o Santo Padre anuncie a sua renúncia.

O bento XVI ele renunciou por um motivo de doença e estou aqui com este pronunciamento oficial: Caríssimos Irmãos, convoquei-vos para este Consistório não só por causa das três canonizações, mas também para vos comunicar uma decisão de grande importância para a vida da Igreja. Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idôneas para exercer adequadamente o ministério petrino. Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando. Todavia, no mundo de hoje, sujeito a rápidas mudanças e agitado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e anunciar o Evangelho, é necessário também o vigor quer do corpo quer do espírito; vigor este, que, nos últimos meses, foi diminuindo de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade para administrar bem o ministério que me foi confiado. Por isso, bem consciente da gravidade deste ato, com plena liberdade, declaro que renuncio ao ministério de Bispo de Roma, Sucessor de São Pedro, que me foi confiado pela mão dos Cardeais em 19 de Abril de 2005, pelo que, a partir de 28 de Fevereiro de 2013, às 20,00 horas, a sede de Roma, a sede de São Pedro, ficará vacante e deverá ser convocado, por aqueles a quem tal compete, o Conclave para a eleição do novo Sumo Pontífice.

Caríssimos Irmãos, verdadeiramente de coração vos agradeço por todo o amor e a fadiga com que carregastes comigo o peso do meu ministério, e peço perdão por todos os meus defeitos. Agora confiemos a Santa Igreja à solicitude do seu Pastor Supremo, Nosso Senhor Jesus Cristo, e peçamos a Maria, sua Mãe Santíssima, que assista, com a sua bondade materna, os Padres Cardeais na eleição do novo Sumo Pontífice. Pelo que me diz respeito, nomeadamente no futuro, quero servir de todo o coração, com uma vida consagrada à oração, a Santa Igreja de Deus".

O papa deixa claro que não tinha condições físicas, mas nos temos que entender que as atividades de um Santo Padre são intensas. Como por exemplo o Bento XVI estava com viaja marcada para vir ao Brasil para JMJ Rio 2013, mas agora com esta decisão é convocado o colégio cardinalício para iniciar o conclave.

Para o papa ser eleito ele precisar receber dois terços dos votos, assim os fiéis ficam na Praça de São Pedro aguardando sair uma fumaça branca e o anúncio oficial da escolha do novo Pastor da Igreja. Nós precisamos acreditar que quem governa a Igreja é o Espírito Santo, porque nada escapa da unção do Espírito Santo.

Segundo informações que ouvi na mídia hoje pela manhã o papa Bento XVI continuará morando nas proximidades do Vaticano. Tenho certeza que com a bagagem que Bento XVI possui ele terá muitos conselhos para passar para o seu sucessor. Ele foi um grande Pastor da nossa Igreja.

Bento XVI deixou para nós três encíclicas importantes: Deus Caritas Est (Deus é amor), Spe Salvi (Salvo pela Esperança) e Caritas in Veritate (Caridade e Verdade). Nós não demos conta de ler tudo o que este Santo Padre escreveu, assim ele nos deixou um acervo espiritual muito rico. Ele deixou para o novo papa duas missões importantes que é Jornada Mundial da Juventude e o Ano da fé.

Bento XVI gostaria que refletíssemos sobre os 50 anos do Concílio Vaticano, o nosso Ano da Fé, e os 20 anos do Catecismo da Igreja. O Papa Bento XVI falou muito da importância do catecismo para este ano da fé e a importância deste concilio para a Igreja.

A fé é a porta que nos faz entrar na Igreja e nos coloca em comunhão com ela. Devemos ter os olhos fixos em Jesus Cristo, pois a nossa fé não é simplesmente a bíblia e nem um documento da Igreja porque Deus é nosso guia. O papa nos diz que os fundamentos da Igreja estão baseados dentro do seu catecismo, por isso precisamos conhecer profundamento estas doutrinas.

'Ele foi um grande Pastor da nossa Igreja', disse Prof. Felipe Aquino
Foto: Arquivocn/Cancaonova.com

Outra recomendação que ele nos deixa é o Concilio Vaticano II, assim precisamos nos atentar a estes ensinamentos. Bento XVI aplaudiu este concílio, porque durante esta reunião do Papa com os Cardeais ele esteve presente como assessor de um dos bispos presentes. Os textos deixados pelo concílio não perdem a sua beleza e seu valor já reforçava o beato João Paulo II.

A grande graça que beneficiou a Igreja no século XX foi o Concílio Vaticano II. Com estes documentos vieram uma primavera para Igreja trazendo os novos movimentos e as novas comunidades como os grupos de jovens e a Renovação Carismática.

Quero reafirma e reforçar nesta pregação o pedido do papa Bento XVI para que pudéssemos estudar estudar e aprender o Catecismo da Igreja. Nós precisamos conhecer a historia da Igreja, porque precisamos conhecer para amar a Igreja.

Bem irmãos nós estamos no Ano da fé, assim vamos refletir juntos a Carta dos Hebreus 11. Este trecho da Palavra do Deus nos traz um capítulo todo falando sobre a força da fé. Diante dos sofrimentos da vida quem tem fé pode derrubar lágrimas, mas não se desespera.

A fé é o fundamento da esperanças, pois ela é uma certeza daquilo que não conseguimos ver. Muitos não acreditam em Deus, porque não vem o Senhor. Quem nós faz acreditar em Deus e os nossos olhos da fé. O autor sagrado nos mostra muitos homens e santos que em nome de Jesus Cristo morreram, mas que tinha a certeza da existência do Senhor. Foi pela fé que o Papa Bento XVI entregou a sua vida a Igreja até os 85 anos é um ato de coragem e humildade, assim ele renunciou e quem escolherá seu sucessor será o Espírito Santo.

É necessária a perseverança para fazer a vontade de Deus e alcançar os bens prometidos. Para os cristãos fazer a vontade de Deus é o caminho para a santidade, portanto não podemos desanimar e deixar de ser perseverantes com a graça do Senhor. (Cartas dos Hebreus 10, 36)

O justo vive da fé, pois sem ela é impossível agradar a Deus. Quem não age pela não consegue entender, porque as coisas e as exigências de Deus você nunca irá entender se não tiver fé. Quando você se abandona nas mãos do Senhor ele te dá forças e coragem para seguir adiante não te deixando desanimar.

Precisamos fortalecer e cultivar a nossa fé, porque é como se fosse uma plantinha que se a gente não cuidar dela como deve ser ela morrerá. A nossa fé é como se fosse uma planta que precisa ser cuidada e adubada, portanto para fortalece-lá é preciso confessar, comungar e fazer a leitura da bíblia.

Transcrição e adaptação: Alessandra Borges


Prof. Felipe Aquino


Doutor em engenharia mecânica, pregador e escritor

Facebook
Twitter
Blog

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo