O sentido da família e do matrimônio

Felipe Aquino
Foto: Robson Siqueira/CN

Meus irmãos, é muito importante meditarmos e rezamos pelas famílias. Na pregação de hoje, quero conversar sobre o sentido da família e do matrimônio.

Quando Deus uniu Adão e Eva – o primeiro casal – Ele disse: “Crescei e multiplicai-vos” (cf. Gn 1,28). Isto é o que Deus quer da família. Primeiro crescer, um ajudar o outro a ser melhor, mais paciente, bondoso, ter mais fé… e, depois, Deus disse multiplicai-vos.

Ao criar o homem, Deus foi buscar dentro Dele, sua imagem e semelhança… Deus não olhou para a pedra, para os pássaros, para os animais para nos fazer… Ele olhou para Si mesmo. Nós sabemos a nossa dignidade, fomos criados a imagem e semelhança Dele, com uma alma.

E como é que o ser humano vai existir no mundo? Através da família.

Se formos analisar os casos de abortos, veremos que por trás de cada um, faltava uma família. A mãe solteira, o rapaz que gerou a criança e desapareceu… Eu nunca vi um animal abandonar sua cria, mas já vi muitos homens abandonar seu filho… Quem gera um filho e não o assume não merece ser chamado de homem, é um covarde… Essa criança vai crescer sem uma família, um lar, uma estrutura.

Onde existe uma família, a criança não é abortada. Porque ali se protege a vida, se ama a vida… Desde o ventre materno até o leito da morte, a vida está ameaçada.

Cada um de nós precisa arregaçar as mangas e trabalhar pela família. “Não pode existir uma paróquia onde não exista o Movimento de Casais”. Quem disse esta frase foi o Papa João Paulo II. Porque quando você trabalha a família você trabalha com todo mundo. Salva todo mundo. A família é a Igreja doméstica.

Muitas coisas têm tentado destruir as famílias, o adultério, as famílias “alternativas”…

Eu gosto de dar esse exemplo: um engenheiro ao projetar um ventilador, vai especificar no manual de instruções todos os detalhes, a voltagem, como ele deve ser instalado. Não adianta chegar outra pessoa e tentar ligar o ventilador que é 110V em 220V para que ele fique mais potente, porque ele vai queimar. Ele não foi feito para isso.

Mas é isso que estamos fazendo com o ser humano. Deus criou o homem e lhe disse: “vou lhe dar uma ajuda adequada”, e fez a mulher.

"Se a família não dar o amor, os jovens irão se perder…"
Foto: Robson Siqueira/CN

Em Eclo 26, 1-3 diz: “Feliz o homem que tem uma boa mulher, pois, se duplicará o número de seus anos. A mulher forte faz a alegria de seu marido, e derramará paz nos anos de sua vida. É um bom quinhão uma mulher bondosa; no quinhão daqueles que temem a Deus, ela será dada a um homem pelas suas boas ações”.

Uma mulher boa, que ama seu marido. Ninguém pode ajudar tanto um homem quanto a mulher que o ama, e vice-versa… Santo Agostinho explicava que, ao criar a mulher, “Deus não tirou um pedaço do calcanhar do homem, porque a mulher não é para ser pisada, e nem tirou do cérebro, porque ela não foi feita para mandar no homem. Mas tirou do lado, da costela, para ser companheira”.

Se não vivermos de acordo com o projeto de Deus, a humanidade vai sofrer muito. Se a família não dar o amor, os jovens irão se perder… porque não tiveram o colo de um pai, de uma mãe. Não podemos deixar nenhuma criança abandonada.

O Papa João Paulo II disse na Carta às Famílias que as pessoas que não fizerem uma experiência do amor nunca serão felizes, porque fomos feitos para o amor.

É no calor familiar que você trata dos seus problemas. Não tem tratamento melhor para a depressão do que a própria família, ajudar essa pessoa, saber amá-la, acolhê-la… e quando não tem família, essa pessoa vai chorar na rua, no psiquiatra…

O casamento é tão importante que Deus o transformou em sacramento do matrimônio. Ele quis que a união natural do homem e da mulher fosse transformada em uma graça especial.

Quando Jesus entrou no mundo, Ele entrou pela família, pela instituição que o Pai já havia criado. Quando José quis abandonar Nossa Senhora, o anjo lhe apareceu dizendo para ele não ter medo. Deus quis que José fosse o pai de Jesus.

E Jesus viveu 30 anos na família de Nazaré, obediente a seus pais, trabalhando como carpinteiro… e só saiu daquela família para viver a paixão e morte para nos salvar.

Uma família não começa de repente… tudo começa num bom namoro. O namoro é a época da escolha, de conhecer os valores, ver as afinidades. Não é todo mundo que combina com todo mundo… Muitas vezes as paixões nos cegam e escondem a realidade do outro. Aí depois de casados, parece que você está com uma pessoa desconhecida… você se assusta e quer se separar… porque você não conheceu aquela pessoa.

Viva seu namoro com seriedade porque é o primeiro alicerce que você está colocando em sua casa, que vai sustentar toda a casa…

"Se o casal não buscar a Deus, não vai ter forças para ser fiel e amar por toda a vida"
Foto: Robson Siqueira/CN

Jesus disse: “amai-vos uns aos outros”. Mas não parou aí, Ele disse ainda: “como eu vos amei”. E como Ele nos amou? Através da cruz.

Amar não é só quando estamos apaixonados, o romance, o carinho… Isso não é amor, são manifestações do amor… Amar é muito mais, é a disposição de morrer pelo outro se for preciso.

São Paulo disse em suas cartas: “Maridos amai vossas esposas como Cristo amou sua Igreja e se entregou por ela”. É esse amor que falta entre os casais, o amor de Deus.

Os jovens estão levando para o casamento uma caricatura do amor… mas um casamento não se sustenta com isso. O amor de Deus é diferente do amor dos homens. É o amor que se doa pela felicidade do outro… não tem jeito, se eu quiser dizer sim para você eu tenho que dizer não para mim… O amor é assim, dizer não para mim mesmo para dizer sim ao outro…

A pior coisa que existe num casamento é o um casal egoísta. É como duas bolas de bilhar que só se encontram para se separar… O casal precisa ser uma só carne, se entender, caminhar juntos… ser uma unidade profunda… não vai haver rivalidade entre vocês… serão um projeto só.

No casamento só existe a primeira pessoa do plural: “nós”. Não pode existir o “eu”, o “meu”, mas sim, o “nosso carro”, a “nossa casa”, as “nossas alegrias”, “nossos problemas”, “nossos sonhos”, “nossos projetos”…

Se você misturar um pouco de arroz e feijão cruz em um prato, é muito fácil de separá-los. Porque embora eles estejam juntos, não estão unidos. Mas se você misturar em um copo, café com leite, não há nada que os separe depois, porque estão unidos. Formaram um outro produto. É assim que Deus quer seu casamento.

A unidade se faz com o Amor de Deus… o amor é mais forte que a morte, esse foi exemplo de Jesus – o amor de Jesus por nós foi mais forte do que a dor que Ele sentiu na cruz.

Se o casal não buscar a Deus, não vai ter força para ser fiel e amar por toda a vida.

A beleza do casamento é construir o outro. Amar não é querer alguém pronto, mas é construir alguém que você ama, que você escolheu. Só o amor constrói, não tem outro instrumento. Deus vai nos agradecer muito. Quando você chegar lá no céu, Ele vai dizer: “eu te dei um homem complicado, mas parabéns, sua fé, paciência, amor, seus 'joelhos dobrados' mudaram esse homem”.

Crescer é você ver o tempo passar, os filhos crescerem, e ver que você continua do lado daquela pessoa… Não é fácil você amar a mesma pessoa todos os dias, mas você jurou fidelidade a ela… É muito fácil você jogar fora as alianças nas dificuldades, mas o que você vai dizer a Deus quando estiver diante Dele?

Fidelidade é a coluna vertebral do casamento, da família… Não posso desejar outra mulher, outro homem, que não é o meu… Não posso ficar de brincadeirinha com outra pessoa na internet… traindo meu cônjuge, minha família… meus filhos…

O convite mais comum hoje no mundo é para você trair seu cônjuge… Mas você precisa olhar para Jesus e por amor a Ele e a pessoa com quem você se casou, deve continuar fiel.

O casal deve ficar atento para viver bem sua sexualidade. O casal tem direito ao prazer sexual, e precisa buscar se satisfazer sexualmente, sem os absurdos que existem aí do sexo anal e oral, mas eles têm esse direito. O homem precisa ajudar a mulher a ter a satisfação também, para que os dois sintam esse prazer sexual, que foi um presente de Deus dado ao casal.

Peçamos a Deus a graça para construir essa família de acordo com o projeto de Deus.

Transcrição: Kelen Galvan
  


Adquira essa pregação pelo telefone
(12) 3186-2600

Prof. Felipe Aquino


Doutor em engenharia mecânica, pregador e escritor

Facebook
Twitter
Blog

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo