Ofereça o que você tem para Deus

Daniel Godri Junior
Foto: Wesley Almeida
“Os apóstolos se reuniram junto de Jesus e lhe contaram tudo o que tinham feito e ensinado. Ele disse-lhes: 'Vinde, a sós, para um lugar deserto, e descansai um pouco!' Havia, de fato, tanta gente chegando e saindo, que não tinham nem tempo para comer. Foram, então, de barco, para um lugar deserto, a sós. Muitos os viram partir e perceberam a intenção; saíram então de todas as cidades e, a pé, correram à frente e chegaram lá antes deles. Ao sair do barco, Jesus viu uma grande multidão e encheu-se de compaixão por eles, porque eram como ovelhas que não têm pastor. E começou, então, a ensinar-lhes muitas coisas. Já estava ficando tarde, quando os discípulos se aproximaram de Jesus e disseram: 'Este lugar é deserto e já é tarde. Despede-os, para que possam ir aos sítios e povoados vizinhos e comprar algo para comer'. Mas ele respondeu: 'Vós mesmos, dai-lhes de comer!' Os discípulos perguntaram: 'Queres que gastemos duzentos denários para comprar pão e dar de comer a toda essa gente?' Jesus perguntou: 'Quantos pães tendes? Ide ver'. Eles foram ver e disseram: 'Cinco pães e dois peixes'. Então, Jesus mandou que todos se sentassem, na relva verde, em grupos para a refeição. Todos se sentaram, em grupos de cem e de cinqüenta. Em seguida, Jesus tomou os cinco pães e os dois peixes, ergueu os olhos ao céu, pronunciou a bênção, partiu os pães e ia dando-os aos discípulos, para que os distribuíssem. Dividiu, também, entre todos, os dois peixes. Todos comeram e ficaram saciados, e ainda encheram doze cestos de pedaços dos pães e dos peixes. Os que comeram dos pães foram cinco mil homens”(Marcos 6,30-44).

Tiremos uns pontos dessa passagem que aconteceram depois de um momento muito difícil: João Batista tinha acabado de ser decapitado.

O primeiro ponto é o convite que Jesus fez aos apóstolos e a nós: “Vinde, a sós, para um lugar deserto e descansai um pouco”. É preciso ter um momento de oração com o Senhor, uma conversa e um descanso com Ele.

O segundo ponto é aquele no qual Jesus, diante de todo o seu cansaço, encontra tempo para ouvir Seu povo. Jesus sempre está pronto para nos ouvir e não se importa em nos atender. Ele sente compaixão, valoriza o esforço humano. Jesus tem compaixão do mínimo de esforço que fazemos.

Se nós somos tocados pelos pequenos esforços dos nossos filhos, quanto mais o Pai do céu ao ver os esforços que o povo faz para chegar até Ele. O mundo anda sem referência e Deus se compadece disto. Mas Ele nos mostra o caminho certo a partir do momento em que deixamos Ele entrar em nossa vida; fazendo a nossa parte e deixando que Deus faça a d'Ele.

O terceiro ponto é o deserto. Não existe deserto para Deus, não existe aridez que Deus não possa regar. Não há deserto que pare a Água Viva do coração de Jesus Cristo.

"Não há deserto que pare a Água Viva do coração de Jesus Cristo"
Foto: Wesley Almeida

Já o quarto ponto é quando o apóstolo diz que já é tarde. Mas nunca é tarde para Deus. Embora não sejamos atendidos do jeito que gostaríamos, com Jesus a vitória é certa. Mesmo a morte com Deus é vitória, mesmo que aos nossos olhos não vejam, Deus sempre está ao noso lado e para Ele nunca é tarde.

O quinto ponto é quando o discípulo tenta ensinar algo ao Senhor; então lhe diz: “Despeça-os para que possam ir aos sítios e povoados vizinhos para comprar algo para comer”. Deus não deixa ninguém sair de mãos vazias, pois Ele não despede ninguém.

Sexto é a resposta de Jesus: “Vós mesmos, dai-lhes de comer!”. Diz o Evangelho de João que Jesus experimenta a fé dos apóstolos. Isso quer dizer que, muitas vezes, cabe a nós alimentar o irmão, levar a Palavra a ele, ser a ponte entre o Senhor e o mundo. Deus nos quer no mundo, mas não nos quer mundanos.

Sétimo ponto: os apóstolos fazem ainda mais uma observação racional: “Senhor, precisamos de duzentos denários para alimentar este povo”. Jesus Cristo volta a pergunta ao apóstolo dizendo-lhe: “O que vocês têm?”. O que você tem para oferecer para Deus hoje? Com quanto você pode ajudar?

O oitavo ponto é que quem doou o pão e os peixes foi um menino. Aqui, Deus quis nos lembrar de que Ele usa o menino para evangelizar. Não importa o quão pequeno eu seja, Deus pode e quer me usar para ajudar as pessoas. Ele pode e quer usar os seus cinco pães e dois peixes para suprir a diferença.

No nono ponto, Deus não nos mandou converter ninguém, Ele nos pediu que evangelizássemos. Quando tomamos sobre nós a responsabilidade de converter alguém, isso nos cansa. Por isso, devemos evangelizar e deixar que o Senhor converta, ou seja, faça a sua parte que Deus faz a d'Ele. “Não perturbe seu coração, porque para Deus tudo é possível”.

No décimo ponto, pergunte-se: “O que posso oferecer a Deus?” Tudo. Por menor que seja, ofereça ao Senhor. Use momentos do dia a dia para apresentar a Ele os seus cinco pães e dois peixes. Deus pega esses pães e os abençoa. Deus, pega aquilo que temos e também dá a Sua bênção. O Senhor não mima seus filhos; ao contrário, Ele os ama. Por isso, Ele vai abençoar aquilo que você oferece a Ele.

Décimo primeiro: Jesus deu aos discípulos os pães abençoados para que eles o levassem ao povo. O que isso quer dizer? Isso significa que nós precisamos da Igreja. Deus quis contar com ela, quis contar com seus discípulos. O Pai quer nos alimentar por meio da Igreja. Cristo dá este dom e alimenta o povo através do seu discípulo. O querer é seu, o poder é de Deus.

“Não perturbe seu coração, porque para Deus tudo é possível”
Foto: Wesley Almeida
Existe uma história que diz o seguinte: “Um pai ganhou um presente e guardou o embrulho que era muito bonito. Chegou em casa e disse que não era para ninguém mexer no papel, porque ele iria dá-lo a outra pessoa um dia. Passado uns dias, ele chegou em casa e sua filha estava picotando o papel. Ele ficou muito bravo e disse a ela que não era para fazer aquilo. Ela olhou pra ele e disse lhe que era para alguém especial. Ele brigou mais um pouco com ela, mas ela nem se importou.

No domingo seguinte, era Dia dos Pais. A garotinha chegou para seu pai com um embrulho na mão e lhe deu (com o papel bonito). Ele abriu o embrulho e dentro dele havia uma caixinha de maneira. Quando ele abriu, a caixinha estava vazia. Ele, muito bravo, olhou para ela e lhe disse: “Você está pensando que eu tenho tempo para brincadeiras?”. Ela, com os olhos cheios de lágrimas, olhou para o pai e lhe disse: “Claro que tem papai, passei o mês inteiro colocando beijinhos dentro desta caixa!'”

Às vezes, aquilo que nós não enxergamos, Deus consegue ver. Ele não valoriza somente os resultados, mas valoriza também a intenção. O Senhor consegue enxergar o menor beijo que nós jogamos nesta caixa.

Entregue o seu pão e o seu peixe ao Senhor. Peça para Ele abençoar aquilo que você tem de bom. Deus conta com você. Entre com o seu 1%, porque o Senhor vai entrar com os outros 99%. Quando entramos com o nosso querer, Deus entra com sua graça.

 
 


Daniel Godri Junior


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo