Orante como Ester

Hoje é um dia de encontro com o Senhor, pois quem teve um encontro com Ele, está com Ele. Quem está com o Senhor, supera todas as barreiras que podem vir a aparecer. Lutar sozinho é lutar com forças somente humanas. Mas aquele que está em Deus, tudo supera. Ele é forte, nós somos fracos. Sem o Senhor nada é possível ser feito com eficácia. Sem Ele, permanecemos sendo aquilo que somos: fracos.

A verdade liberta o homem. A mentira não liberta ninguém, ao contrário. Mesmo o maior pecador não perde a sua dignidade perante Deus. O Senhor ama o pecador, mas odeia o pecado. Hoje, Ele quer dizer para você que não importam os seus pecados, Ele o ama mesmo assim. Mesmo diante de sua fraqueza e de seus pecados, você não perdeu a sua dignidade diante d’Ele. O pecado pode ter lhe arrancado tudo, mas ele não retira a sua dignidade de filho de Deus!

Quem diz que ama a Deus e odeia o seu irmão é um mentiroso, como diz São João. O amor de Deus nos leva a amar cada vez mais os nossos irmãos. Ele nos leva cada vez mais a nos doar pelos que estão à nossa vida.

A rainha Ester, da qual fala a Bíblia, mesmo diante das murmurações do seu povo, não esquece dele. E diante do sofrimento deste, ela clama a Deus pela salvação dele. Ester arrisca a sua vida, indo até o rei, para salvar o seu povo.

“Naqueles dias, a rainha Ester, temendo o perigo de morte que se aproximava, buscou refúgio no Senhor. Prostrou-se por terra desde a manhã até o anoitecer, juntamente com suas servas, e disse: ‘Deus de Abraão, Deus de Isaac e Deus de Jacó, tu és bendito. Vem em meu socorro, pois estou só e não tenho outro defensor fora de ti, Senhor, pois eu mesma me expus ao perigo. Senhor, eu ouvi, dos livros de meus antepassados, que tu libertas, Senhor, até o fim, todos os que te são caros.

Agora, pois, ajuda-me, a mim que estou sozinha e não tenho mais ninguém senão a ti, Senhor meu Deus. Vem, pois, em auxílio de minha orfandade. Põe em meus lábios um discurso atraente, quando eu estiver diante do leão, e muda o seu coração para que odeie aquele que nos ataca, para que este pereça com todos os seus cúmplices. E livra-nos da mão de nossos inimigos. Transforma nosso luto em alegria e nossas dores em bem-estar (Ester 4:17ss).

A oração mudou a vida daquele povo. Se orarmos, nos encontraremos com Deus e criaremos com Ele um relacionamento. Não devemos rezar por preceito, mas sim, por um grande amor, que nos leve a desejar um relacionamento íntimo com o Senhor. E a maior oração que podemos elevar a Deus é a santa Missa. Ela é o sacrifício supremo, o louvor supremo ao Pai, elevado pelo Filho.

Mas, podemos reparar que as igrejas estão cada vez mais vazias. O povo a procura somente na hora do desespero, diante de um momento de dor. Isso é bom, mas a oração não deve ser somente no momento de desespero, porque orar é dialogar e se relacionar com Deus. Só se ama quem se conhece, com quem se relaciona.

Não podemos fazer de nossa oração um “comércio” com o Senhor. Quando estamos rezando, estamos pedindo em nome de Cristo. Quando rezamos, estamos rezando em nome de Jesus. Diante de nossa oração – feita em nome de Jesus –, o Pai nos dá o dom supremo, a graça maior do Espírito Santo. É Ele quem nos preenche, nos dá forças e nos move.

Precisamos ser pessoas de oração. Precisamos ser pessoas cheias do Espírito de Santo, para que, assim com a força divina, não com a nossa, superemos todas as barreiras, todas as tempestades.

A rainha Ester é para nós, hoje, exemplo de oração, de confiança, de perseverança. Pois precisamos ser homens e mulheres de oração, de esperança.


Padre Hamilton Nascimento


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo