Os filhos são nosso tesouro

Mazinho e Celiane
Foto: Robson Siqueira

Nós somos frutos da educação dos nossos pais, de suas orações, carinho, e correções que eles fizeram na hora certa. E assim nós também lutamos para formar a nossa família. Ela é assim, cheia de alegrias, com momentos de tristeza, com algumas decepções, somos uma família normal, mas que clama a Deus todos os dias.

E como pai o meu clamor é diário, e antes mesmo de me casar eu já pedia a Deus que Ele me desse uma paternidade coerente, vivida no amor e não no autoritarismo ou na ditadura, mas que fosse um ensinar e aprender com a minha esposa e com os meus filhos.

Então sempre peço a Deus que aconteça na vida das nossas filhas um eterno caminhar para o céu, porque o nosso lugar é lá. Meu clamor diário é: “Senhor, que o nosso olhar nunca se desvie do céu”. Muitas vezes, nós nos esquecemos disso, nos perdemos, mas Deus vem sempre em nosso auxílio, porque temos um Deus que está muito mais interessado do que nós na nossa família, Ele sonha com a nossa felicidade.

Vale a pena ser família, ter e querer filhos! Muitas coisas que aprendemos, que é a nossa base, nós encontramos nos livros do professor Felipe Aquino, e mesmo antes de vir para a comunidade nós já liamos os seus livros e também éramos formados pelas pregações do monsenhor Jonas Abib.

"Educar é algo que se aprende"
Foto: Robson Siqueira

É preciso buscar conhecimento para aprendermos a lidar com nossos filhos, por isso nós precisamos conhecer a Sagrada Escritura, o Catecismo da nossa Igreja, não podemos nos deixar levar, como diz aquela música: “Deixa a vida me levar”, a letra dessa música não pode fazer parte da nossa vida de cristãos.

O exercício é dado pelo exemplo dos pais, como, por exemplo, ir à Santa Missa com os nossos filhos, esses são valores cristãos que colocamos neles quando crianças. São ordens que vamos dando e geramos neles senso de responsabilidade, justiça, honestidade e fé. As crianças aprendem mais pela imitação do que pelo entendimento, os nossos atos falam mais do que as nossas palavras.

No livro do professor Felipe Aquino “Santuário da Vida” ele nos fala das correções que precisamos fazer, porque muitas vezes corrigimos os nossos filhos de forma errada e na frente dos amigos.

Eu como mãe precisei enxergar os meus limites e ver que eu precisava ter paciência com minhas filhas da mesma forma que eu tinha no meu trabalho, e a mesma misericórdia com que eu tratava os jovens que nos procuram na paróquia da qual participamos. Eu precisava agir também em casa assim, porque, muitas vezes, eu era uma general com minhas filhas.

"As crianças aprendem mais pela imitação do que pelo entendimento"
Foto: Robson Siqueira

O demônio tem a astúcia de fazer com que percebamos só os defeitos e os erros dos nossos filhos, e quando isso acontece, não conseguimos olhar as qualidades e habilidades que eles possuem. E como é bom ouvir das pessoas os elogios que fazem aos nossos filhos!

Em casa nós vemos as deficiências deles [nossos filhos], mas é no ambiente familiar que nós temos chance de conversar com eles, de corrigi-los, de rezar por eles e ter uma vida que agrade a Deus. Nós não temos direito de posse sobre eles, mas temos a responsabilidade de educá-los e formá-los. Não podemos ter medo de ensinar os nossos filhos a serem católicos apostólicos romanos. Eles não podem ser educados para ser católicos de IBGE, católicos só nas estatísticas, precisamos ensiná-los a viver os sacramentos e dizer a eles que somos católicos porque amamos a Deus e O respeitamos. Uma família é capaz de suportar grandes tormentos quando ela vive em Deus

É importante que, na educação moral, ética e cristã, nós ensinemos os valores da castidade a nossos filhos, não podemos ter medo de transmitir a eles valores morais e cristãos; isso é para o bem deles.

Não temos o direito de exigir, mas temos o dever de orientá-los, auxiliá-los nas dificuldades. Muitas vezes os filhos começam a namorar muito cedo por carência afetiva, porque lhes faltou carinho em casa, porque nós pais, muitas vezes, estamos preocupados em dar um futuro para eles e nos esquecemos de estar com eles. E isso é tão verdadeiro que ao perguntarmos para as nossas filhas o que mais as marcou, elas responderam que não foram os presentes, mas o dia em que pedi perdão a elas.

Nossos filhos são inteligentes, sabem ver quando acertamos e quando erramos, mas muitas vezes nos escondemos atrás da nossa autoridade de pais. Os nossos filhos percebem, no nosso comportamento, o que é justo, o que é correto. Eles não nos medem nem estão lá para apontar os nossos erros, mas são atingidos por eles.

Precisamos formar os nossos filhos na liberdade, mas também na responsabilidade. A casa não pode estar à deriva e quem é o sacerdote da casa? É o pai.

"Se o seu filho for para o inferno, vá até o inferno tirá-lo de lá e trazê-lo para Deus!" afirma professor Felipe Aquino, em seu livro "Santuário da Vida". Deus precisa de sua família para refletir ao mundo o quanto Ele ama o Seu povo, o quanto Ele ama a humanidade.


Adquira essa pregação pelo telefone
(12) 3186-2600

 

Mazinho e Celiane


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo