Os tempos estão difíceis: não podemos nos deixar ludibriar

Padre Edmilson Lopes
Foto: Maria Andrea/cancaonova.com

Temos ouvido falar a respeito da vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo. Mas o que diz a Igreja sobre isso? “O Filho do Homem virá sobre as nuvens com poder e glória”.

Segundo o Catecismo da Igreja Católica (CIC), no parágrafo 673, a partir da Ascensão, o Advento de Cristo é iminente, embora não nos "caiba conhecer os tempos e os momentos que o Pai fixou com sua própria autoridade" (At1,7). Este acontecimento escatológico pode ocorrer a qualquer momento, ainda que estejam "retidos" tanto ele como a provação final que há de precedê-lo. 

Já o parágrafo 675 do CIC fala: "Antes do Advento de Cristo, a Igreja deve passar por uma provação final, que abalará a fé de muitos crentes. A perseguição que acompanha a peregrinação dela na terra desvendará o 'mistério de iniquidade' sob a forma de uma impostura religiosa que há de trazer aos homens uma solução aparente a seus problemas, à custa da apostasia da verdade. A impostura religiosa suprema é a do anticristo, isto é, a de um pseudomessianismo, no qual o homem glorifica a si mesmo em lugar de Deus e de Seu Messias".

A nossa Igreja, amados, nos diz que, antes de Cristo vir pela segunda vez, ela passará por uma prova final, quando os cristãos serão abalados. Estamos vivendo momentos terríveis. A TV tem nos mostrado tantas situações a respeito de padres pedófilos, como também as tentações e dificuldades que o Papa Francisco tem vivido.

No Evangelho de ontem, o Senhor nos pediu que, diante de tais situações, nós não devemos nos preocupar com o que falar, pois o Espírito Santo falará por nós. É permanecendo firmes que seremos vitoriosos, pois “as portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja”.

Há algumas religiões que prometem soluções aparentes para seus problemas à custa da apostasia da verdade. Irmãos, se querem ser discípulos, renunciem a si mesmos e tomem a sua cruz; é isso o que nos ensina o Senhor. Cuidado! Nós não podemos nos deixar ludibriar. Os tempos são difíceis.

Amados, tudo o que estamos vivendo a Igreja já nos falou que iria acontecer; por isso, somos chamados a viver um tempo de espera e vigilância. O Reino de Cristo manifesta a Sua presença pelos sinais escatológicos que acompanham Seu anúncio pela história da Igreja.

"Os tempos estão difíceis: não podemos nos deixar ludibriar", exorta o padre.
Foto: Maria Andrea/cancaonova.com


Pais e mães, se vocês não têm um filho que está nas drogas, rezem muito para que ele não entre nesta vida. Portanto, se vocês perseverarem até ao fim, diante de tantas situações, serão salvos. Irmãos, o Senhor está conosco!

O jovem Daniel, sobre quem ouvimos na primeira leitura, rezava três vezes ao dia, buscava ser fiel em suas práticas religiosas, por isso Deus permanecia com ele. Certo dia, o rei ficou sabendo que ele invocava um outro Deus que não era o deus pagão.

O testemunho de Daniel é convincente, mas, mesmo assim, ele foi jogado na cova dos leões. O rei, no dia seguinte, não conseguindo dormir durante a noite, foi, pela manhã, na cova dos leões e se converteu ao ver que o jovem sobrevivera. Dessa forma, o monarca deu uma ordem para que, em todo o reino, todas as pessoas respeitassem o Deus de Daniel.

Irmãos, o testemunho de um vida fiel converteu o coração do rei, pois Daniel aceitou o martírio, mas não abriu mão da salvação em Deus. A nossa vida no Senhor precisa ser tão autêntica a ponto de ser capaz de converter as pessoas!

 

 

Transcrição e adaptação: Luana Oliveira


Padre Edimilson Lopes


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo