Participar do grande banquete

Padre José Augusto
Foto: Robson Siqueira

Ouça: Salmo 50 Sempre que Jesus contava uma parábola, Ele a comparava ao Reino dos céus, como uma festa. Como uma festa de casamento, porque geralmente numa celebração assim há muita alegria. Tudo isso Jesus quer dizer que o Reino do Céu é, isto é, só alegria.

Neste mundo existe muita decepção, tristeza, mas no Céu há só alegria. Você é convidado para o Reino do Céu. O Evangelho diz assim: '"O Reino dos Céus é como a história do rei que preparou a festa de casamento do seu filho. E mandou os seus empregados chamar os convidados para a festa, mas estes não quiseram vir.

O rei mandou outros empregados, dizendo: 'Dizei aos convidados: já preparei o banquete, os bois e os animais cevados já foram abatidos e tudo está pronto. Vinde para a festa!' Mas os convidados não deram a menor atenção: um foi para o seu campo, outro para os seus negócios, outros agarraram os empregados, bateram neles e os mataram".

“O rei ficou indignado e mandou suas tropas, para matar aqueles assassinos e incendiar a cidade deles. Em seguida, o rei disse aos empregados: 'A festa de casamento está pronta, mas os convidados não foram dignos dela. Portanto, ide às encruzilhadas dos caminhos e convidai para a festa todos os que encontrardes'.

Então os empregados saíram pelos caminhos e reuniram todos os que encontraram, maus e bons.” Jesus convida a todos: aos bons e aos maus, porque Ele chama a todos, Deus escolhe quem Ele quiser. Não deixe de atender ao pedido do Senhor, vá para a “festa” – mesmo que os seus não queiram ir, você não pode faltar. Você precisa mostrar que a melhor escolha que fazemos na vida é Jesus Cristo.

Se aqui existe um homem ou uma mulher que cometeu o pior crime da vida, ele ou ela é convidado para essa “festa” também. Deus os ama, vocês são convidados, prediletos d’Ele. Ninguém pode ficar de fora do céu! É preciso que o “salão” esteja cheio! Ainda existem muitos precisando vir para a “festa”, por isso os convide.

Padre José Augusto Prega na Canção Nova
Foto: Robson Siqueira

O pai e um filho de 10 anos tinham o hábito de chamar todos para o “banquete”, para a “festa”. Só houve um domingo em que o pai disse ao filho que não iriam porque estava chovendo. Mas o filho disse que mesmo que este não fosse, que ele iria. E foi na chuva, as ruas estavam vazias, ele chegou a uma casa em que ele bateu, bateu à porta, mas ninguém abriu. Ele estava retornando, mas sentiu vontade de retornar, e depois de muita insistência apareceu uma velhinha e ele fez o convite a ela dizendo: “Jesus te ama e te chama para uma grande festa”. Depois de uma semana o menino foi, juntamente com o pai, ao grupo de oração, e o pai durante uma fala perguntou se alguém ali tinha algo a testemunhar. Uma velhinha apareceu, pegou o microfone, e disse que ela estava pendurada em uma corda porque iria se matar, quando ouviu alguém bater à porta insistentemente, e ao abri-la, ela escutou um menino que disse que Jesus a amava. Então, ela pediu perdão a Deus. E aquela senhora não se suicidou porque alguém que, mesmo chovendo, foi convidá-la para a “festa”.

Na parábola, quando o Rei entrou na festa, percebeu que uma pessoa estava sem roupa, e naquela época quem era convidado recebia a vestimenta, mas aquela pessoa não queria nem mesmo colocar as roupas dadas. Muitas vezes, queremos o céu, mas não queremos colocar “novas vestes”. Era preciso só tirar as “roupas sujas”.

Deus quer lhe dar “roupas novas”, ou seja, vida nova. Deixe as “roupas sujas”, deixe as sujeiras do mundo! Você que está na sujeira venha enquanto é cedo. Venha que Deus quer lhe oferecer “vestes novas”.

Deus o aceita do jeito que você está, mesmo você que tenha “pisado na bola”. Mesmo que você esteja caindo, Deus está de braços abertos o acolhendo. Por isso, venha! É o Senhor que convida você. Não importa o que você fez no passado, Jesus o chama.


Padre José Augusto


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo