Pode uma nação nascer em um dia?

Marcos Volcan
Foto:Elcka Torres

“Quem jamais ouviu tal coisa, quem jamais viu coisa semelhante? É possível um país nascer num dia? Pode uma nação ser criada repentinamente? Desde as primeiras dores Sião deu à luz seus filhos” (Isaias 66,8).

A cruz é um mistério e por mais que nos aprofundemos nele, ela vai continuar sendo um mistério. Somos herdeiros, fomos restaurados na dignidade de filhos de Deus. Ela nos traz conquistas e direitos que temos como filhos de Deus. Quando falamos do mistério da cruz, ela nos revela que a morte nos resgatou da queda original.

Deus tem o poder de trazer à existência aquilo que não existe. Jesus restaurou a nossa comunhão com o Pai. Irmãos, se existe algo de nobre e elevado é alguém ser tocado pela mensagem e aceitar Jesus como Senhor e Salvador e ir pregar o Evangelho, ensinando às nações que a cruz de Cristo nos fez perceber que somos filhos de Deus e que podemos andar com a cabeça erguida, pois fomos resgatados pelo Sangue de Jesus.

Eis o tempo oportuno! Surge uma oportunidade para cada um de nós e precisamos ter uma visão ampliada de quem se eleva e percebe as coisas a partir da ótica do Espírito Santo. E o mesmo Espírito também nos dá a ótica de que alguns filhos de Deus andam temerosos; o medo é algo que nos paralisa, muitos têm medo de se atirar em Deus e fazer aquilo que Ele nos manda.

O Senhor nos manda pregar o Evangelho a todos, não podemos nos deixar guiar por essa falta de esperança que está no mundo. É tempo de vigiarmos e tomarmos cuidado com nossa conduta, com nossa vida. Na Parábola dos Talentos – São Mateus 5, 20-30 – nos é dito que cada um recebeu os talentos conforme poderia usá-los, por essa razão, não existe a possibilidade de pessoas ociosas na Igreja diante do pedido: “Ide e anunciai o Evangelho”.

João Paulo II sempre falou à Renovação Carismática Católica (RCC), sempre nos animou, via nesse tempo uma nova primavera sobre a Igreja. Ele via a RCC como uma grande esperança na Igreja, as pessoas que com nosso jeito de ser pregam o Evangelho.

“derramarei sobre a vossa terra a chuva em seu tempo, a chuva do outono e a da primavera, e recolherás o teu trigo, o teu vinho e o teu óleo” (Deut. 11,14).

Num encontro que fui à Coreia tive a oportunidade de ouvir uma pregação que falava sobre esse versículo. Nossos irmãos desse país estão vivendo uma experiência de mergulhar no Espírito, e a pregadora nos ajudava a refletir sobre a chuva de outono que permite o crescimento das plantas para a primavera.

"A RCC é uma vocação na vida da Igreja"
Foto:ElckaTorres

Eu entendo que a RCC é muitas vezes cobrada pelos frutos que ela precisa doar à Igreja, alguns frutos já começam aparecer. Irmãos, vivemos um tempo em que a planta está vistosa e todos olham para nós, pois já estamos na primavera. Essa linda semeadura que está dando plantas vistosas que somos nós e tudo que tem surgido no nosso meio. Nós devemos querer mais e não olhar para o passado com saudades, mas para o passado próximo que tem crescido.

O agricultor, quando chega a primavera, sabe que precisa da chuva e começa a rezar. Ele é um homem de fé, pois só há uma possibilidade da planta dar frutos: é se a chuva vier; se esta não vier, ficaremos somente vistosos e bonitos.

Nós ainda não mostramos ao mundo a forma plena para que viemos, é por isso que daqui surge a voz profética, o nosso movimento é um movimento profético. É tempo de pedirmos a Deus a segunda chuva da primavera, pois se ela não vier não daremos frutos.

"se meu povo, sobre o qual foi invocado o meu nome, se humilhar, se procurar minha face para orar, se renunciar ao seu mau procedimento, escutarei do alto dos céus e sanarei sua terra"
(II Crônicas 7,14). 

O Espírito do Senhor está conosco e se move sobre nós. É um tempo novo, tempo de dobrarmos os joelhos frente ao Senhor. Esse congresso quer nos levar a isso, a não simplesmente termos saudades do passado, mas um tempo de olhar para o futuro.

Temos nesses dias a graça de uma nova forma de perceber o mundo, temos a oportunidade de pedir a Deus que os frutos apareçam, e que estes produzamos mais frutos, pois queremos uma colheita abundante, queremos a chuva da primavera!

Esperar em Deus é uma condição, mas não uma espera passiva, é uma espera em que eu vou cuidando dos meus talentos e Deus vai me preparando; os soldados estão sendo preparados, é a espera de treinamento. Nesse período aprenda a sofrer as demoras de Deus, tenha uma fé expectante, pois nosso Deus cumpre o que diz.

A RCC é uma vocação na vida da Igreja. Pare de pedir licença para ser carismático, foi Deus quem lhe chamou para viver assim, é assim que Deus quer usá-lo. Esses tempos proféticos estão forjando uma nova liderança, um novo povo, creio que os frutos começam a crescer. Precisamos de um fé expectante porque Deus há de cumprir tudo o que disse a nós. Temos de dar tudo o que somos, isso é radicalidade.

O anúncio do Evangelho não pode parar
, e nós RCC também não podemos parar! Pode uma nação nascer em um dia? Estamos no período em que a planta está crescendo e os frutos estão vistosos. Vamos pedir ao Senhor que nos mande uma chuva para darmos novos frutos, para que a planta seja revigorada.

Transcrição e adaptação: Willieny Isaias


:: Gente de Fé

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo