Que o Espírito Santo inspire o nosso ministério

Ricardo Sá
Foto: Fotos CN/ Maria Andreia

Nestes dias, fiquei pensando em tudo o que pode impedir este fluir do Espírito Santo em minha vida. Existem alguns pontos a serem considerados. Tratam-se de aspectos importantes aos quais o ministro de música precisa estar atento em seu ministério, pois eles podem afetar esta ação de Deus em nosso serviço. Cito aqui cinco deles:

1º ponto: O perigo de fundamentar o seu ministério em ideais e sonhos. E aqui eu não estou dizendo para você não ter um propósito. Mas estou dizendo que fundamentar o seu ministério em sonhos e ideais irá certamente fragilizá-lo. E por quê? Porque isto impede que o Espírito Santo flua através do seu ministério e Deus o use como Ele quer. Existe uma “pressão” para você ter que realizar coisas: porque tem que fazer “isso” ou “aquilo”, tem que pagar o estúdio e assim por diante.

A experiência do nosso ministério precisa ser uma experiência dinâmica. Reflita sobre quem você é no Coração de Deus. Eu não estou dizendo que você não pode sonhar. Entenda bem isso! O que estou dizendo é que o fundamento do seu ministério precisa ser o Coração d'Aquele que o chamou. Eu e você precisamos encontrar um caminho que não nos separe do Senhor, mesmo sendo ministros de música. E esta palavra “ministério” é muito bonita… Mas o que é preciso compreender é que somos chamados ao serviço.

Certa vez, uma pessoa me procurou dizendo: “Ricardo, eu preciso descobrir o meu agir específico!” E, justamente naquela hora, o chão estava sujo e havia uma vassoura por perto. Então eu disse a ela: “Vamos juntos varrer esse chão! Porque o seu agir específico AGORA é limpar esse chão”. Compreendeu? O meu agir especifíco está ligado àquilo que eu preciso fazer naquele exato momento. E fazer bem feito!

2º ponto: O perigo de uma grande ilusão em pensar que o seu ministério traz felicidade e realização. Aqui no palco, onde ficamos cantando e animando as pessoas, é o lugar do suor, meus irmãos! A gente acaba suando por causa da luz dos holofotes da televisão… Mas também a gente acaba suando de nervoso!

Eu me recordo da vez que me deu um “branco” durante a Santa Missa e eu esqueci completamente da Oração do Pai Nosso. Meu Deus, que sufoco! Ainda bem que o povo me “salvou” iniciando a oração por mim.

Meus irmãos, o ministério da música é o ministério da cruz, do sacrifício, da entrega. A gente já cantou de tudo que é jeito: doente, em crise, no meio de provações etc. E vamos compreendendo que este ministério é uma entrega de vida, meus irmãos. Cristo é o Senhor do nosso ministério! Se eu não me doar e ficar só me “inchando” no meu ministério, é certo que não estou prestando um serviço a Deus. Este é um ministério onde a gente vai morrendo a cada dia. Por favor, não caia na ilusão de pensar que o seu ministério só lhe trará felicidade e realização!

A gente sempre cai na bobeira de achar que Deus nos escolheu por causa da nossa bela voz. Pensamos assim: “Eu fui escolhido por Deus para cantar a Ele!” Meus irmãos, Jesus é especialista em chagas e misérias! Ele escolheu aos mais miseráveis. E quanto tempo demoramos para nos aproximar d'Ele e contar as nossas fraquezas.

Precisamos de um Diretor Espiritual. Precisamos também de um confessor. E quando vamos trilhando este caminho de amadurecimento compreendemos que fomos feitos para o bem. Mas, dentro deste caminho, se faz necessário não ter medo de tocar em nossas próprias misérias.

"Músico, reflita sobre quem você é no Coração de Deus" (Ricardo Sá)
Foto: Fotos CN/ Maria Andreia

 :: Veja fotos no Flickr
:: Veja + fotos também no Facebook

3º ponto: Compreender a vulnerabilidade de seu ministério e de suas vulnerabilidades pessoais. Nenhum ministério é completo, no sentido de que, exercendo-o, você pensa que pode “fazer de tudo”. Você precisa conhecer suas vulnerabilidades. Saiba que o seu ministério deixa você também vulnerável. Você precisa ter conhecimento daquilo que vulnerabiliza o seu ministério. Existe uma canção em meu ministério que sempre me vulnerabiliza. O nome dela é “Seu nome é Jesus”. E por quê? Porque ela é uma canção sensacional. Porque ela é um cântico de ação de graças. E ela me faz dar o que eu tenho de melhor, inclusive no meu timbre de voz. Veja: o que eu tenho de bom também pode me vulnerabilizar. Eu posso cantar, dando aquilo que tenho de melhor, deixando as pessoas ao meu redor boquiabertas, e isso também me leva a tocar na minha vulnerabilidade.

Certa vez, um ministro de música me disse: “Ricardo, eu sinto Deus me usando! As pessoas cantam comigo, são animadas pelo meu ministério. Percebo a Unção de Deus em mim. Mas também eu me sinto tão sensual nesta hora! Sinto até que a minha voz, enquanto estou cantando, expressa uma certa sensualidade”. Citei este exemplo para compreendermos que o nosso ministério não está isento de vulnerabilidades. Precisamos estar atentos a isso!

4º ponto: Atenção com as falsas suposições sobre o seu ministério. Você conhece o seu ministério? Lembro-me da minha falecida mãe, a dona Edmir. Ela me dizia: “Meu filho, apareça na TV para eu mandar um beijinho a você, pois estou com saudades”. E eu aparecia no programa “Trocando Idéias” e pedia ao cinegrafista para dar um “close” em meu rosto. E daí eu mandava um beijo para minha mãe.

Lembro-me também que eu dizia a minha mãe: “Mãe, vou pregar daqui a pouco no palco” ou “Vou fazer um show agora no Rincão”. E ela me dizia: “Brilhe, meu filho! Brilhe!” (risos)

É lógico que toda mãe quer que seu filho “brilhe”. Eu entendia o que mamãe queria me dizer… Mas já pensou se eu fosse seguir “ao pé da letra” aquilo que minha mãe me dizia? Se eu quisesse apenas “brilhar” em meu ministério?

Portanto, meu irmão, você precisa estar atento às falsas suposições. Talvez você tenha adquirido, ou melhor, assimilado certas suposições sobre o seu ministério. Eu não sei se você está projetando o seu ministério em cima do ministério de outra pessoa. Talvez você esteja até magoado com o seu ministério! E isso se deve ao fato de você ainda não ter descoberto o que ele significa de fato.

Sabe aquela dona de casa que faz as coisas mal feitas por que está aborrecida com o seu serviço? Ela faz as coisas sem amor porque simplesmente não queria estar fazendo aquilo. Existem ministros de música que hoje estão desse mesmo jeito, ou seja, magoados com o seu ministério. Eles precisam, urgentemente, fazer as pazes com o seu ministério. Mas como? Resposta: buscando, em primeiro lugar, Aquele que o chamou para ser ministro de música.

Faça uma análise importante durante estes dias de retiro: veja se, de fato, você está no seu lugar e está em paz com ele. Você precisa estar em paz com o seu ministério.

5º ponto: Antes do serviço, o servo. Não me venha com este papo que “agora eu sirvo o Senhor com a minha voz”. Se você não serve com a vida, com aquilo que você é, de nada vale. É preciso se colocar à serviço em todos os lugares: em casa, no trabalho, na escola… Em todos os lugares! A sua vida precisa ser uma vida de serviço!

Guarde para sempre esta frase ao exercer seu ministério: antes do serviço, o servo. E um servo cheio da Unção do Espírito Santo. Oremos, clamando o Espírito sobre nós.

 

Assista a um trecho desta pregação:

 

 

 

Adaptação e transcrição: Alexandre Oliveira (@alexandrecn)

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo