Quem é o seu próximo?

Padre Sérgio, Salesiano de Dom Bosco
Foto: Wesley Almeida/Cancaonova.com
Sou padre Sérgio, Salesiano de Dom Bosco. Atualmente, trabalho junto às obras sociais de nossa congregação. Iniciamos hoje, oficialmente, a Semana Social; e para nós é uma grande alegria poder partilhar a partir da Palavra de Deus sobre os ensinamento de Jesus para a vivência da caridade.

A pergunta que nos norteia é: "Quem é o meu próximo?". Nós não podemos viver o amor de Deus fora da realidade da caridade quando proclamamos que Jesus é o Senhor de nossa vida. Não podemos deixar de lado nossos irmãos, mas precisamos estar próximos principalmente daqueles que estão sofrendo. Convido vocês a pegar comigo a Palavra de Deus no Evangelho de São Lucas.

"Um doutor da Lei se levantou e, querendo experimentar Jesus, perguntou: "Mestre, que devo fazer para herdar a vida eterna?" Jesus lhe disse: “Que está escrito na Lei? Como lês?” Ele respondeu: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com todo o teu entendimento; e teu próximo como a ti mesmo!” Jesus lhe disse: “Respondeste corretamente. Faze isso e viverás”. Ele, porém, querendo justificar-se, disse a Jesus: “E quem é o meu próximo?” Jesus retomou: “Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes. Estes arrancaram-lhe tudo, espancaram-no e foram-se embora, deixando-o quase morto. Por acaso, um sacerdote estava passando por aquele caminho. Quando viu o homem, seguiu adiante, pelo outro lado. O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu o homem e seguiu adiante, pelo outro lado. Mas um samaritano, que estava viajando, chegou perto dele, viu, e moveu-se de compaixão. Aproximou-se dele e tratou-lhe as feridas, derramando nelas óleo e vinho. Depois colocou-o em seu próprio animal e o levou a uma pensão, onde cuidou dele. No dia seguinte, pegou dois denários e entregou-os ao dono da pensão, recomendando: “Toma conta dele! Quando eu voltar, pagarei o que tiveres gasto a mais”. E Jesus perguntou: “Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?” Ele respondeu: “Aquele que usou de misericórdia para com ele”. Então Jesus lhe disse: “Vai e faze tu a mesma coisa” (Lc 10, 25-37).

Este trecho narra a história de um homem que questionou Jesus sobre quem era o Seu próximo. Nós, ao refletirmos sobre quem são os nossos próximos, logo imaginamos os amigos e aqueles que estão junto de nós. Mas, a partir do testemunho do Senhor, somos convidados a ouvir o chamado de Deus e irmos além dos “nossos” amigos para sermos um louvor de Deus para o outro.

Muitas vezes, na história da humanidade, vimos que os homens se afastaram do seu próximo, mas, ao olharmos a história de salvação, encontramos o Verbo que se fez carne e habitou entre nós. Deus veio ao encontro do homem, criou-o por amor e assim é que devemos olhar para nossos irmãos, com o mesmo amor que o Senhor nos olhou. E a partir da vida de Cristo precisamos olhar para o outro.

"Não há espaço para o orgulho na caridade", afirma padre Sérgio, SDB
Foto: Wesley Almeida/Cancaonova.com

O grande desafio da sociedade é mudar o mundo a partir de Cristo, mas isto requer
um compromisso de todos nós. Deus quer que saiamos dos nossos egoísmos e superemos a fragilidade humana de querer ser como  Ele, julgando os outros, colocando-nos acima dos irmãos e, por fim, ficando escravizados pelo mal.

Irmãos, vivendo o Evangelho, percebemos que o próximo é aquele que está caído à beira da estrada. Somos chamados a contribuir para a restauração da dignidade destes irmãos, assim, estaremos participando ativamente da própria vida de Cristo, colaborando com a transformação de toda a sociedade.

Assim, a ação concreta da caridade , a partir da nossa vida, precisa acontecer em toda a sociedade, pois onde o homem está presente é aí que nós precisamos trabalhar para a restauração da dignidade dele. Somos chamados a lutar para trazer este irmão de volta para o meio da sociedade. Desta forma estaremos colaborando com toda a comunidade cristã, presente na sociedade. Nossa missão é trazer de volta aqueles que estão invisíveis diante da grande massa.

Até agora, refletimos sobre a maneira que enxergamos o próximo por meio da pergunta: “Quem é o meu próximo?”. No entanto, precisamos começar a refletir a partir de um novo olhar que está no diálogo entre Jesus e este homem, ou seja, o Senhor o levou a refletir, de forma ativa, a maneira pela qual ele poderia agir para fazer como o bom Samaritano. A resposta é uma mudança de olhar. Não mais saber quem é o próximo, mas enxergar a partir do olhar daquele que está caído.

Somente nesta mudança de olhar é que, verdadeiramente, nos encontraremos com o Senhor e O seguiremos como muitos homens e mulheres que se dedicaram e se dedicam por aqueles que mais precisam.  Nós também seremos instrumentos nas mãos do Senhor.

Que possamos aprender com o Senhor a mudar o nosso olhar para, desta forma, contribuirmos, efetivamente, para a construção de toda a sociedade a partir das atitudes do próprio Jesus, e assim, seremos autênticos seguidores do Evangelho. Lembre-se: não há espaço para o orgulho na caridade.

Deus nos abençoe.

Transcrição e adaptação: Ricardo Gaiotti


Padre Sérgio, SDB


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo