Radicalidade verdadeira

Na primeira vez em que fomos à rua [evangelizar e acolher pessoas necessitadas] levamos o violão e perguntamos a uma criança o que ela queria que cantássemos. Esperávamos uma música que criança geralmente gosta, porém ela pediu uma música que fala: “sozinho eu não posso mais viver”. Depois que cantamos essa música, nós perguntamos a ela se queria que orássemos por ela, e oramos e ela repousou, lá na Praça da Sé. Ficou uns 20 minutos repousado e quando acordou disse: "Eu vi Jesus, estava todo branco, cheio de luz". E perguntamos a ela: "Ele te disse alguma coisa?" E a criança respondeu: "Sim. Ele disse que está comigo todos os dias".

Dois amigos se encontram e perguntam um para outro: "Quanto tempo que não te vejo! Como vai a tua esposa?" O outro responde: "Ah! Minha esposa é um anjo. E a tua?" E ele diz: "A minha não! Ela ainda está viva!". Quantas vezes esperamos uma pessoa falecer para então poder ver como ela era boa. Esposo, filhos, não gastem dinheiro com flores somente depois que a esposa, que a mãe morrer. Você deve gastar dinheiro com flores agora que essas pessoas ainda estão vivas.

Por que então esperar viver as coisas do céu somente depois de morrer? O amor de Deus foi derramado no nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado.

Acompanhe em Rom 8, 1: De agora em diante, pois, já não há nenhuma condenação para aqueles que estão em Jesus Cristo. A lei do Espírito de Vida me libertou, em Jesus Cristo, da lei do pecado e da morte. O que era impossível à lei, visto que a carne a tornava impotente, Deus o fez. Enviando, por causa do pecado, o seu próprio Filho numa carne semelhante à do pecado, condenou o pecado na carne, a fim de que a justiça, prescrita pela lei, fosse realizada em nós, que vivemos não segundo a carne, mas segundo o espírito. Os que vivem segundo a carne gostam do que é carnal; os que vivem segundo o espírito apreciam as coisas que são do espírito.

Jesus, quando derramou seu Espírito na cruz, morreu. Tornou-se carne fria. Quantos de vocês tocaram a cabeça de um morto no caixão? E você percebe como é estranho, pois tudo é frio. Tocar naquele corpo gelado porque a morte chegou. Depois Jesus foi levado ao túmulo. Vocês se perguntaram o que aconteceu ali dentro no túmulo nos momentos em que o corpo de Jesus estava deitado ali? Você já se questionou sobre o que aconteceu dentro daquele túmulo, daquela gruta? O que aconteceu entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo? Lá dentro, naquele túmulo, naquela pedra vazia a Trindade estava vivendo ou parou de amar? O Espírito Santo quer entrar como entrou naquela carne gelada de Jesus para explodir na potência da ressurreição. Na nossa carne, o Espírito espera explodir como "explodiu" na carne de Jesus.

Se o Espírito daquele que ressuscitou Jesus dos mortos habita em vós, ele, que ressuscitou Jesus Cristo dos mortos, também dará a vida aos vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que habita em vós (Rm 8, 11). Se a minha carne está morta e gelada, se estou morto e gelado, o Espírito Santo me dá vida agora. Não quando senti Deus verdadeiramente, não ontem, mas agora. Agora você tem que mergulhar na graça do Espírito Santo. Aquele mesmo Espírito que ressuscitou Jesus dos mortos quer me contagiar, quer me ressuscitar também.

O amor de Deus quer se derramar em nossos corações. Essa carne precisa experimentar desse amor, essa carne precisa desse amor. A ressurreição não aconteceu há dois mil anos, a ressurreição acontece agora, quando você também quer vivê-la.

Uma vez Nossa Senhora de Mediugórie ao ser questionada por que era tão bonita respondeu: – "Eu sou bonita porque amo. Amem vocês também".

Certa vez, estávamos no Vaticano e o Papa nos chamou do meio da multidão. Celebramos então dentro da capelinha do Vaticano para Madre Teresa de Calcutá. Ela não participou de nenhum concurso de beleza, era cheia de rugas no rosto, porém, tinha uma luz que a tornava bonita. Somos todos bonitos. Mas se estamos longe de Jesus, viramos monstros. A cada um que a cumprimentava ela perguntava quantos filhos tinham e de acordo com a quantidade retirava da bolsa medalinhas de Nossa Senhora milagrosa, as beijava e entregava pedindo aos pais que as levassem aos filhos.

A bênção das mulheres é um beijo de amor. Nós padres abençoamos pela imposição das mãos; vocês mulheres abençoam seus filhos e queridos com um beijo de amor. Vocês são filhos de Nossa Senhora Imaculada do Espírito Santo. E o Espírito Santo está esperando entrar em você como em Maria.
Ele [Espírito Santo] quer pessoas radicais, não pessoas que ficam "em cima do muro". Nós falamos para os nossos casais que não tem nenhuma diferença entre eles e os padres, porque a vida do Evangelho tem que ser vivida da mesma forma radical para todos. Se vocês dizem que Jesus só pode fazer até um certo ponto da sua vida, saibam que isso não é vida em Deus, porque a vida no Espírito Santo é uma vida de radicalidade e entrega.

Certa vez, um sacerdote foi até padre Pio. O secretário de padre Pio lhe disse que esse sacerdote estava mancando e que queria cura porque queria evangelizar. Então o padre Pio rezou e o padre saiu curado; mas padre Pio saiu mancando. Então o secretário dele perguntou por que ele estava mancando e ele respondeu: "Achas que é só pedir a graça? É preciso pegar as dores dos outros". Essa é a radicalidade daqueles que estão em Deus e são por Ele usados. Chegar a pegar as dores dos outros.

O jovem é capaz de viver essa radicalidade. O jovem é capaz do amor. Uma das jovens da nossa equipe de dança vivia na prostituição. Ela me procurou um dia e me disse o quanto ficou encantada com a pureza da dança, das roupas, sentiu o desejo de deixar o pecado porque se sentia feia, suja. Essa menina agora vive uma vida de castidade, e no palco dança para glorificar a Deus com o seu corpo. O nosso corpo é templo do Espírito Santo de Deus. Ela hoje vive a radicalidade necessária para que Deus habite neste templo que é o corpo dela.

O Senhor me dizia para lhes falar: “Filhos, deixem tudo! Não se amarrem, mas sejam livres para que Eu possa habitar em vocês". Mas é preciso radicalidade, ser radical e deixar o que os amarra para trás, para que na pureza, sejais livres”. Não há vida maior do que aquela que dá a vida pelo outro. Consumam-se por amor. Sejam felizes por pertencer a Cristo.

 

Transcrição: Laniér Rosa


Padre Antonello Cadeddu


Fundador da Comunidade Aliança da Misericórdia

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo