Recuperar as funções vitais

Há muitos anos, eu vi a Luzia começar a fazer o programa ‘Clube do Ouvinte’ na Rádio, no lugar da falecida Isabel Cortês. E quando começou a fazê-lo, ela sempre o iniciava não dando “bom dia”, mas desejando a paz de Jesus. Eu quero, hoje, fazer esse mesmo gesto de nossa mãe espiritual, desejando para você a paz de Jesus.

Na língua de Jesus, quando alguém deseja a paz d’Ele, este está desejando que a presença de Deus transforme, de fato, a vida daquela outra pessoa que é saudada. Eu quero dizer para você nesta manhã: a paz de Jesus! Que a presença da Santíssima Trindade traga ao seu coração a verdadeira paz.

Quando começamos a rezar, entramos no tempo de Deus e não no tempo dos homens. Entramos no “kairós”.

A Canção Nova se prepara para viver, em 2008, seu 30º ano de fundação, enquanto carisma e obra de Deus.

Padre Jonas decretou um tríduo de preparação para celebrar a iniciativa de Deus de gerar a Canção Nova nos tempos de hoje. Estamos no segundo ano de preparação, e temos como lema forte: “Reinflama o Carisma de Deus que está em ti”. Este ano também celebramos os 40 anos da RCC. É o ano do Espírito Santo.

A Canção Nova não pode e não consegue viver nada sozinha. Fomos feitos para os outros. Ela foi feita para comunicar a todos a vida que ela vive com Jesus. Então dividimos com toda a “família Canção Nova” essa graça de viver o ano do “reinflamar”.

“Por esse motivo, eu te exorto a reavivar a chama do dom de Deus que recebeste pela imposição das minhas mãos” (II Tm 1, 6).

O carisma já está em você, ele já nos foi dado. Não é algo que vem de fora, é algo que já existe em nós e foi dado por Deus.


Ouça: "Deus não muda" 


Reavivar o dom de Deus, significa fazer recuperar as funções vitais. Recuperar aquilo que nos da a vida, que nos mantém de pé. Recuperar em nós o sopro do Espírito, pois é Ele que nos a vida. Por isso, reaviva aquilo que dá vida para você. Reinflame o dom do Espírito, que está em seu interior, para que você não morra!

É importante perceber nesta ordem de Deus, que o dom já está em nós. Já nos foi dado. É graça, é iniciativa desse Deus que só sabe amar. Se ele deixar de amar, ele deixa de ser Deus. Ele não vai mudar nunca, Ele não se afasta. Nós mudamos, somos inconstantes nos nossos sentimentos, nos afastamos d’Ele, mas Ele não se afasta de nós. Ele não muda! Nós somos inconstantes, mas Ele é constante. Nós somos infiéis, mas Ele é fiel.

A palavra humana perdeu sua força, mas a Palavra de Deus não perde a sua força e seu poder. Ela [Palavra de Deus] nos garante, hoje, que o dom já está em nós. A ordem d’Ele é para que reinflamemos, reanimemos aquilo que já está dentro de nós. O Espírito Santo já está em nós desde o nosso batismo. Não por sermos dignos, mas por graça divina. Por um decreto da vontade divina, Deus já nos deu o Espírito Santo nesse momento. Por um lado, isso é graça, dom, iniciativa d’Ele. Mas por outro, exige empenho, porque é dom, mas também é tarefa. É o Senhor que toma a iniciativa, mas exige de nós uma atitude. Toda tarefa exige de nós esta atitude. Exige que nos tornemos responsáveis por aquilo com o que nos comprometemos.

Deus nos escolheu, e nós, por uma livre iniciativa, também devemos escolher por Ele. Ele quer a nossa livre adesão. O Senhor não é um Deus que nos impõe coisas, mas que as propõe. Então isso exige tarefa, empenho nosso.


Ouça: "A escolha de Deus é dom e tarefa"


Para mim, não há tempo mais lindo do que a Quaresma. Como reinflamar o carisma nesse tempo? O papa Bento XI dirigiu à Igreja uma mensagem quaresmal.

“Hão de olhar para Aquele que transpassaram” (Jo 19 , 37).


 :: Confira a mensagem do Papa Bento XVI para a Quaresma ::


Eu aprendi – ao contemplar o Cristo Crucificado – que o amor é gratuito. Que não há condições para amar. O Santo Padre diz, nessa mensagem, que quando olhamos para o Crucificado, nós penetramos no mistério do amor de Deus por nós. Só a cruz pode nos revelar o mistério de um Deus que ama a ponto de dar a sua vida. Ele se dá por cada um de forma pessoal e manifesta o Seu amor de forma única. No Cristo Crucificado, nós adentramos no mistério e na grandeza do amor que Deus tem para conosco.

Nós sempre ouvimos que Quaresma é tempo de conversão e de mudança. Eu peço ao Espírito Santo que Ele coloque em nosso coração que “desta vez é para valer!” Mais do que ontem e menos do que amanhã.

Às vezes, nós pensamos que a conversão é para as grandes situações de nossa vida. Mas, precisamos perceber que ela é uma obra de cada momento. Ela se dá no “concreto” do dia-a-dia, nas situações simples da vida. Nós precisamos de conversão no ordinário de nossa vida. E nessa Quaresma, no ano do “reinflama o carisma”, nós precisamos ter uma atitude corajosa de escolher e fazer as coisas certas, nas situações comuns do dia-a-dia.

Se alguém nos faz o mal, temos duas decisões: ou pagar com o mesmo mal, ou tomar uma atitude diferente. Quando Jesus foi preso, bateram no rosto d’Ele e Ele permaneceu em silêncio. Para muitos, naquele momento, Ele parecia um fracassado, um derrotado. Hoje, no mundo, se pensa dessa forma, só que se nós respondemos o mal com mal, perdemos a consciência cristã. E a consciência é o santuário do homem. É o lugar onde a voz de Deus se manifesta. É o templo do Espírito Santo, que habita em nós. Precisamos ouvir esta voz, que nos guia para o melhor, para o bem, para a escolha certa, para o que é de Deus.

“Reinflamar o carisma”, nesta Quaresma, é escutar o Espírito Santo que nos conduz e nos ensina o caminho para as escolhas certas. Ele já nos foi dado, nós só precisamos nos aplicar na escuta. Neste tempo quaresmal, precisamos aplicar os ouvidos para escutar o Senhor, que nos fala, pelos irmãos, pelos fatos concretos da vida. Deus fala por meio de nossa história. Mas, para aprender a escutá-Lo, é necessário aplicar-se na vida de oração. É preciso conhecer a Deus para escutá-Lo. E o conhecimento de Deus vem de uma experiência concreta d’Ele. Não se conhece o Senhor sem uma vida concreta de oração.

“Reinflamar o carisma”, neste tempo quaresmal, significa viver uma vida de oração sincera com Jesus. É nos dedicarmos à nossa vida de oração com todo o empenho. E, assim, fazer com que as nossas posturas, as nossas ações, digam da escolha que nós fizemos por Deus.

Nesta Quaresma, apliquemo-nos em nossa vida de oração, apliquemo-nos no conhecimento de Deus. É dessa forma que eu convido você a “reinflamar o dom de Deus em você”.

A paz de Jesus!

Transcrição e Áudio: Renan Félix
Foto: Natalino Ueda


Vera Lúcia Reis


Missionária da Comunidade Canção Nova e Teóloga

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo