Santa Paulina e a amizade com Jesus Eucarístico

Na manhã desta sexta-feira, dia 19, Dom Geraldo Majella, Cardeal de Salvador e presidente da CNBB, celebrou Missa no Santuário de Santa Paulina, na cidade de Nova Trento, a 80km de Florianópolis. Mais de 6 mil pessoas participaram desta solenidade que está na programação do 15º Congresso Eucarístico Nacional.

Santa Paulina foi a primeira santa brasileira, canonizada pelo Papa João Paulo II, em 1992.

O cancaonova.com traz as palavras de Dom Geraldo e fotos da Celebração.

Ouça homilia desta Missa, na íntegra


O tema de nosso encontro é \”Eucaristia e santidade\”, com o lema \”Vinde a mim\”.
Na oração que abriu essa Eucaristia em louvor da primeira santa do Brasil canonizada, vemos que Deus exalta os humildes e simples. Pedimos por seu auxílio e exemplo suportar os sofrimentos de cada dia e a graça de servir aos mais necessitados.
O testemunho do amor a Deus é próprio de quem encontrou Deus e não pôde mais viver em si mesmo, mas deixou Deus viver em si.

\”Deus resiste aos soberbos e exalta os humildes\”, como cantou a Virgem Maria. É interessante notar que a convivência humana rejeita o orgulho, ainda que muitos de nós nos deixemos levar pelo falso conceito da muita importância de si mesmo.

Adolescente, Madre Paulina saiu de sua terra. Superiora Geral obedeceu à ordem de deixar o governo da congregação e viver outra missão.

\”O Pai celeste não quer que se perca nenhum desses pequeninos\”. A benevolência se funda sobre a certeza da graça que o Senhor prepara para todos. Jesus revela no Evangelho que ouvimos a bondade de seu coração divino. É a máxima expressão da misericórdia de Deus, em tudo ser semelhante a nós, exceto no pecado.

A vida cristã não pode existir sem a fé e não pode subsistir se fé não for nutrida e crescer. Conhecer na linguagem bíblica é conhecimento através do amor íntimo e visível. Deus tornou-se vizinho de cada um de nós. É um Deus ardente, de fogo, de amor, que se comunica com amor a cada homem que O procura com amor sincero.

Em nosso mundo há um tipo de conhecimento que se desenvolve muito, mas não resolve os problemas mais profundos do homem. Muitos, jamais se abriram ao conhecimento profundo que se alcança somente na humildade e simplicidade do amor.

Jesus conheceu a fadiga do homem, porque experimentou nossos cansaços. Ser compreendidos já dá alívio. Somos muitos, hoje, a sentir-nos cansados e oprimidos e em certos momentos nos encontramos em situações de tribulações. Jesus impede que qualquer dor permaneça estéril e inútil.

Parece desconcertante que para descansar é preciso carregar um jugo. Mas o jugo de Jesus é de amor. Se ficarmos sozinhos, com a dor pode vir o desespero, porque não vemos o sentido de nossas fadigas. Com Jesus estas fadigas são fecundas.

Ser discípulo de Jesus é aprender quem é Jesus, manso e humilde. Jesus é Mestre que ensina com o exemplo.
\”Bem aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos céus\”.

Madre Paulina ficava uma hora por dia diante de Jesus Eucarístico e uma vez por mês, ficava o dia inteiro. Na tranqüilidade da adoração, a confidência amorosa de dois amigos. Neste caminho de santidade estava a coragem sem limites, como disse às suas filhas espirituais: \”Não desanimeis nunca\”.

Transcrição: Maurício Rebouças


Dom Geraldo Majella Agnelo


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo