Santíssima Trindade, mistério de comunhão

Dom Benedito Beni
Foto: Maria Andréa/Cancaonova.com

Irmãos (as), a celebração da Solenidade da Santíssima Trindade traz imensa alegria ao nosso coração. Todas as religiões do mundo falam de Deus, mas para o Cristianismo Deus não é um ser isolado, perdido em sua transcendência, Ele é a comunhão de Três Pessoas divinas. E isso nos faz crer que Deus é amor.

Podemos chamar o mistério da Trindade de sublime mistério, pois, todos os outros: Encarnação e Eucaristia decorrem deste mistério.

No Antigo Testamento já havia uma concepção pura e altíssima de Deus, como vimos na primeira leitura: o Senhor é o Deus lá em cima no céu e cá embaixo na terra, e que não há outro além dele (Dn 4,39). Deus é tão presente que fala com o ser humano, como falou com Moisés, estabelecendo uma aliança com Seu povo.

Deus se revela e nos dá os Dez Mandamentos como modelo para a nossa felicidade, desta forma, desobedecer aos mandamentos é desobedecer a Deus. Foi este Senhor que Jesus nos revelou, não apenas um Deus distante, mas Deus que é Pai, por isso, Cristo se colocou como o revelador do Pai.

Portanto, irmãos (as), Jesus se revela como Filho unigênito do Pai, Ele também revelou a Terceira Pessoa Divina, que é o Espírito Santo. Da mesma forma, deu aos discípulos o Espírito Santo como promessa do Pai, para que estes testemunhassem o amor de Deus. Jesus Cristo foi aquele que nos revelou o Senhor, somente Ele poderia nos ensinar esta realidade, Deus revelar-se a si mesmo.

Jesus, antes de sua Ascensão aos céus, falou novamente sobre o Espírito Santo, prometendo que estes seriam batizados no Espírito Santo, ou seja, mergulhados no Espírito, envolvidos por esta força extraordinária. A promessa do Senhor, celebramos semana passada no Pentecostes.

O Apóstolo Paulo, na segunda leitura (Rm 8,14-17), falou sobre a fé na Santíssima Trindade, apresenta o Senhor como o Abbá, ó Pai! O apóstolo dos gentios também diz a respeito de Jesus, o Messias, e do Espírito Santo.

Meus irmãos (as), a oração cristã verdadeira é filial, somente quando o cristão se coloca como criança diante do Pai, reza verdadeiramente.

"Sozinhos jamais seremos felizes!", afirma Dom Beni
Foto: Maria Andréa/Cancaonova.com

 

No Evangelho, Jesus nos ensina que todo ato salvífico é fruto da Santíssima Trindade. Isso significa que o Todo-poderoso não é um ser isolado, Ele é uma comunidade de Três Pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. Por isso criou o ser humano para a comunhão.

Portanto, o projeto de Deus para nós é a comunhão, ninguém é feliz sozinho, isso decorre da Santíssima Trindade. Quem não se relaciona com Ela, não gera comunhão com os outros. Devemos caminhar neste mundo com os olhos voltados na Santíssima Trindade, pois Deus nos criou para que vivamos em comunhão com Ela, e assim, cheguemos à salvação e tenhamos a vida eterna.

Prezados jovens, a sociedade no qual estamos inseridos corre o risco de nos asfixiar por causa das imoralidades, da corrupção e de tantas outras coisas, por isso, se torna cada vez mais necessário buscar, na Santíssima Trindade, o ar puro, capaz de nos dar fôlego na caminhada rumo à santidade.

O evento que hoje celebramos – Jornada Diocesana da Juventude –, apressa nossa caminhada em direção à Jornada Mundial da Juventude, a ser realizada no ano que vem no Rio de Janeiro. Jovens do mundo inteiro virão ao encontro do Senhor e nós não podemos ficar para trás, precisamos apressar cada passo para encontrá-Lo também.

Que a Santíssima Virgem Maria nos ensine a caminharmos em comunhão rumo sempre à vontade de Deus.

 

Transcrição e adaptação: Ricardo Gaiotti


Dom Benedito Beni


Bispo emérito da diocese de Lorena (SP)

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo