Seguimos o Cristo ou o matamos?

Missa com Padre Anderson Marçal  - 269x329

Padre Anderson Marçal – Foto: arquivo cancaonova.com

“Senhor, meu Deus, em Vós procuro meu refúgio.”

O único lugar seguro é justamente o Senhor. Por isto, vivemos o Acampamento: “Encontramos o Cristo”. Não existe melhor lugar que nos dê segurança do que no Senhor.

O encontro se dá entre a vontade de duas pessoas. Por isto, o encontro com Deus se dá quando queremos nos encontrar com Ele.

O Cristo feito carne fala ao nosso coração. Podemos ter as duas posições, como as pessoas do Evangelho, em que alguns afirmavam que Ele era o Profeta, outros questionavam se o Messias poderia vir da Galileia.

As palavras de Jesus causam divisão. Este Cristo que fala ao meu coração, vai causar divisão dentro de mim, pois metade vai querer segui-lo e outra metade não.

A quem estamos dando ouvidos? Àquilo que em nós quer matar o Cristo ou ao que nos impulsiona a segui-lo?

O que é a decisão pelo Senhor? É aderir profundamente ao que Ele nos propõe.

É preciso, a partir de um encontro com Cristo, tomar uma decisão pessoal. Não podemos seguir o que a massa tem seguido, como no tempo de Jesus, que tomaram a decisão de matá-lo. Precisamos comprometermo-nos com o que nos decidimos. Se não nos comprometermos com as escolhas que fizemos, as escolhas que não fizemos fortalecem-se dentro de nós.

Temos três opções: seguir o Cristo; matá-lo dentro do coração; ou ficar em cima do muro.

Aqueles que querem seguir ao Senhor, se comprometem com o caminho e o destino de Jesus. Quais caminhos e destino são estes?

Quem quer seguir ao Senhor, trilha o caminho que Ele trilhou. Quiseram eliminá-lo do mundo dos vivos, de modo que ninguém se lembrasse Dele.

É muito fácil seguir ao Senhor quando tudo está muito bem, quando Ele é o pastor que nos pega no colo, faz milagres e prodígios. Mas, quando precisamos estar sob a Árvore, à qual Ele foi crucificado, não queremos.

Leia também: 

:: O Senhor é o extremo amor
:: Maria nas Bodas de Caná

“Eu era como manso cordeiro, levado ao sacrifício, sem saber que eles tramavam contra mim”. Quem quer seguir ao Senhor, deve estar embaixo da Árvore da Cruz.

“E tu, Senhor dos exércitos, que julgas com justiça e perscrutas os afetos do coração, concede que eu veja a vingança que tomarás contra eles, pois eu te confiei a minha causa”. O destino de Jesus é a Ressurreição. O caminho é esta vida, mas o fim é o Céu.

Ninguém é filho de chocadeira. Todos nós saímos de Deus. Nosso destino é o Céu! Quando encontro o Cristo, a primeira coisa que posso escolher é segui-lo não apenas quando Ele nos dá milagres, mas quando a Cruz bate à nossa porta.

Missa com Padre Anderson Marçal  - 595x420

Padre Anderson prega neste sábado de acampamento “Encontramos o Cristo”

É na hora do sofrimento, da dor que vemos se estamos seguindo o Cristo ou se O estamos matando dentro de nós. Quando escolho seguir ao Senhor, também escolho seguir o caminho que Ele trilhou. Louvado seja o sacrifício do Senhor, que nos trouxe a Salvação.

Santo Agostinho diz: “Bendita morte que nos trouxe a Salvação. Bendita culpa que nos trouxe tão grande Redentor”. É preciso saber seguir ao Senhor a partir de um encontro com Ele.

Os que conspiravam contra Jesus preferiam tirar Jesus de cena para fazerem a própria Lei. Quem quer ser mestre nunca vai conseguir ser discípulo.

Por que conseguiram matar Jesus? Porque não tinham humildade em reconhecer quem Ele era. Quem quer matar Jesus é porque não quer comprometer-se com Ele.

Em nossa sociedade isto é muito comum; as pessoas querem tirar Jesus de cena. E quem faz isto é porque tem medo Dele.

Aqueles que querem matar Jesus é porque não têm coragem de segui-lo. Somente aquele que quer ser mestre, mandar, ser tirano, dono do mundo quer matar Deus. Aqueles que querem manipular os outros querem tirar Deus de sua vida e da vida dos outros.

Quem não deve não teme a verdade. Quem não deve à verdade não precisa autodefender-se, pois a verdade o defende.

Quando você tira Jesus de cena, é você quem perde. Tirá-lo de cena depois de tê-lo encontrado é querer matá-lo.

Deus nos ama de maneira tão infinita que nos dá liberdade. Podemos ser daqueles que, quando está tudo certo, seguem ao Senhor, mas, quando a coisa começa a apertar, largam Jesus. Aqueles que ficam em cima do muro, ora matam o Senhor, ora o seguem.

Quem está em cima do muro tem medo de falar de Deus; não assumiu a própria personalidade; esperam que outros tomem a decisão por ele. Quem se mantém em cima do muro fica no joguinho do lado mais forte: toda hora troca de lado. Quem está em cima do muro ainda não se encontrou com o Senhor.

Somente quem encontrou o Cristo pode fazer a escolha de reconhecê-lo como Messias, Profeta.

Há um século tentam tirar Deus de cena. Hoje, sofremos as consequências.

Podem fazer o que quiserem, mas, Deus nunca vai sair de cena. Deus continua em cena, querendo abraçá-lo e fazer você voltar para a casa Dele.

Transcrição a adaptação: Rogéria Nair

Adquira esta pregação pelo telefone: (12) 3186 – 2600

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo