Seremos felizes se amarmos como Deus nos ama

Padre Fabiano
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com
É tão bonita a vocação dos meninos da Comunidade Jesus Menino, porque ali se faz presente, verdadeiramente, a família de Nazaré. Lá, as crianças são Jesus, as mulheres são Maria e os homens são José. Eles rezam como consagrados e trabalham como um casal, administrando a família, fazendo um trabalho de pai e mãe.

Ser pai e mãe não é só gerar, pois a geração sem a educação seria um ato incompleto. “Mãe é aquela que cria”, já diz a expressão.

Esses consagrados da comunidade Jesus Menino encontram nas crianças seus filhos. Nunca os vi reclamando das crianças, pois encontram nelas, o seu amor e, ao mesmo tempo, o Cristo.

Sempre que chego na Comunidade, encontro as crianças limpas, bem cuidadas, nenhum dos meninos com barba por fazer; e quem cuida deles é o pai e a mãe. Lá, encontramos uma casa de verdade.

Os voluntários que lá trabalham também aprendem muito, pois dão testemunho de entrega, de doação e aprendem a educar e amar seus filhos de forma diferente. No convívio com as crianças, percebemos a generosidade delas, pois aprenderam com seus pais a ser generosa, a lidar com a necessidade de cada irmão.

Hoje, não sabemos preparar nossos filhos para viver as coisas do mundo, não estamos sabendo educá-los, porque está faltando o amor. Por isso devemos pensar: “Com que amor amamos nossos filhos? O que queremos transmitir a eles?”. Existem graus de amor que se misturam em nós, mas o mais básico é aquilo que nos apetece, que nos dá prazer, como tomar um sorvete, assistir um filme. Será que é assim que amamos nossos filhos, com esse amor primário?

"A maior escola de amor da família é o exemplo."
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

O amor ao qual Jesus nos chama é amar o outro como ele precisa. É amar o outro quando vemos a necessidade de amor que ele tem. Nosso coração não foi feito apenas para receber amor, mas para doá-lo, realizar essa potência em nós de amar; e só seremos felizes se amarmos como Deus nos ama.

Amar exige muito esforço, é sacrificar-se pelo outro. A maior escola de amor da família é o exemplo. Ela tem essa missão de gerar filhos e educá-los para Deus. Esse é o caminho para a santidade.

O máximo que podemos dar às crianças não é o tênis importado ou o celular, mas o amor. Dê o amor de sacrifício. Quem tem filho pequeno, sabe o sacrifício que é estar cansado e ir brincar com a criança. Não precisa se ajoelhar no caroço de milho para fazer sacrifícios, basta dedicar-se ao amor dos filhos, doando a eles o seu tempo, a sua atenção.

Transcrição e adaptação: Michelle Mimoso

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo