Sobre nós veio o esplendor

Padre Fabrício
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Assim como a colher é frágil, mas tem a capacidade de segurar um alimento mais forte do que ela: “Pedro e João iam subindo ao templo para rezar à hora nona. Nisto levavam um homem que era coxo de nascença e que punham todos os dias à porta do templo, chamada Formosa, para que pedisse esmolas aos que entravam no templo. Quando ele viu que Pedro e João iam entrando no templo, implorou a eles uma esmola” (At 3, 1-3). Pedro e João são como duas colheres frágeis, mas eles vencem seus medos e deixam-se ser conduzidos por Deus. A maturidade dos dois se reflete em: “Pedro fitou nele os olhos, como também João, e disse: Olha para nós” (At 3, 4), esse olhar não é de vanglória, mas é de quem tem certeza de ser nas mãos de Deus apenas um instrumento sendo usado por Ele.

.: Conheça o Canal da Música

Você ministro precisa ter a capacidade de ser como uma colher. Tenha a capacidade de "seduzir" por intermédio da sua arte para o bem, pois para o mal já existem muitas pessoas fazendo isso! “Pedro, porém, disse: Não tenho nem ouro nem prata, mas o que tenho eu te dou: em nome de Jesus Cristo Nazareno, levanta-te e anda!” (At 3,6). Toda colher deve dar daquilo que tem. Pedro ofertou o que tinha: a vida dele estava cheia da presença de Deus.

Saiba tudo o que aconteceu no Acampamento para Músicos

Precisamos ensinar as pessoas a tirar os olhos de nós e a olhar para Aquele que nos deu o dom. Existe um povo faminto por isso. Monsenhor Jonas é um exemplo de quem se deixou conduzir pelas mãos do Mestre, se tornando apenas uma colher nas mãos de Deus. Ele ensinou a seus filhos a, mesmo diante da dor, ter a capacidade de fazer música.

Pedro foi apenas uma colher que se ofereceu como alimento. Músico, o que encanta o povo é a luz, você não é essa luz, é apenas o reflexo. Tenha a capacidade de saber desaparecer e não de aparecer. O Salmo de hoje nos diz: “Sobre nós fazei brilhar o esplendor de vossa face!” (Sl 4). Muitos de nós traz em nós a vontade de aparecer, queiramos, no entanto, apenas refletir a Luz de Deus.

De onde vem a unção? Vem da Palavra de Deus, do cantar que vem dela! Quer saber como se realizar? Aprenda-o na segunda leitura de hoje: “Naquele, porém, que guarda a sua palavra, o amor de Deus é plenamente realizado” (I Jo 2,5).

Precisamos ser provocados pela Palavra!
Vocês, músicos, precisam cantar o que está na Palavra, as músicas precisam deixar de atiçar os ouvidos, e fazer isso com o coração. Cuidado, compositores, colher que não se deixa preencher por Deus, acaba oferecendo o que possui de si mesma. Saiba que você não tem a capacidade de saciar ninguém, você não é Deus. Precisamos ser espelhos dessa experiência!

Mergulhe em Deus e alimente os outros. Queira ser como uma colher!

Você, músico, precisa cantar uma “canção nova”, a canção do céu! A promessa de hoje é esta: Fazer brotar em você o esplendor da face de Deus,
Lc 24, 25 : “Então ele lhes disse: Como sois sem inteligência e lentos para crer em tudo o que os profetas falaram!” Quantas profecias nós já testemunhamos em nossas vidas.

“Não era necessário que o Cristo sofresse tudo isso para entrar na sua glória?” E, começando por Moisés e passando por todos os Profetas, explicou-lhes, em todas as Escrituras, as passagens que se referiam a ele”.
Músicos, voltem para a Sagrada Escritura, antes de aquecer sua voz, aqueça seu coração.
Não substitua a Santa Missa pelos ensaios.

“Depois que se sentou à mesa com eles, tomou o pão, pronunciou a bênção, partiu-o e deu a eles. Neste momento, seus olhos se abriram, e eles o reconheceram. Ele, porém, desapareceu da vista deles" (
Lc 24,31).

"Músicos, antes de aquecer sua voz, aqueça seu coração", exorta padre Fabrício
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

   :: Veja fotos no Flickr
:: Veja + fotos também no Facebook

Jesus chega junto deles e deseja-lhes a paz e eles ficaram assustados, cheios de medo, pensando que estavam vendo um fantasma. Vocês se lembram das vezes em que tinham medo, mas venciam seus medos e cantavam: “O sentimento é o fluído da ação de Deus”? Não tenham vergonha dos seus sentimentos, da sua sensibilidade. Você é músico, sua sensibilidade é dom e veio de Deus.

O limite pode ser pequeno entre graça e desgraça, pois você, muitas vezes, tem vergonha de ter uma sensibilidade aguçada, mas Deus vai lhe dar a graça da perseverança.

Mas ele disse: "Por que estais preocupados, e por que tendes dúvidas no coração?" (Lc 24, 38). Não duvide de seu ministério, daquilo que Deus pode fazer em você. Não tenha medo!

As marcas de um músico devem ser sinais de maturidade. Não tenha medo de mostrar suas marcas, Jesus se revelou mostrando as Suas: “Vede minhas mãos e meus pés: sou eu mesmo! Tocai em mim e vede! Um espírito não tem carne, nem ossos, como estais vendo que eu tenho” (Lc 24, 39).

Precisamos aprender a lidar com a nossa sensibilidade, pois ela é uma arma de evangelização. É momento de abrirmos nossa cabeça.

Depois o Senhor lhes disse: “São estas as coisas que eu vos falei quando ainda estava convosco: era necessário que se cumprisse tudo o que está escrito sobre mim na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos” (Lc 24, 44). Jesus é o Novo Testamento. Sejamos, portanto, músicos da Palavra. Peçamos ao Senhor que, da mesma forma que Ele abriu a inteligência dos discípulos, também abra a nossa.

O seu ministério só tem eficácia segundo o testemunho que você dá: “Vós sereis testemunhas de tudo isso” (Lc 24,48).


Transcrição e Adaptação: Luana Oliveira

 



Adquira essa pregação pelo telefone (12) 3186-2600



Padre Fabrício Andrade


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo