Somos curados para amar

Roberto Tannus
Foto: Clarissa Oliveira

Eu sou curado para amar. Não existe coisa mais linda do que a pessoa se abrir à cura para amar. Para sermos curados para amar, vamos olhar dois personagens da Bíblia, amigos de Jesus. Vamos ver a vida de Judas Iscariotes e a vida de Pedro e vamos ver por que um se deixou ser curado para amar e o outro não. Vamos olhar para eles e buscar nossa cura interior.

Vamos ler o Evangelho de João, capítulo 12, para vermos a vida do primeiro. Judas, diante do milagre de Jesus, continuou na mesma vida. Não se deixou ser curado para amar, nem ele nem os fariseus. Corremos o grande risco de participar das coisas de Deus e não deixarmos Jesus curar as nossas feridas. Até quando você vai ficar adiando a sua verdadeira cura, que é a conversão? Corremos o grande risco de ser como Judas, que guardava a sua disseminação. Judas não admitia que o amor o currasse, ele tinha outras prioridades. Quando a pessoa não se abre à cura, ela não é capaz de amar.

Mateus 27. Judas deixou o pecado e assumiu o remorso, não admitiu o perdão de Deus. Ele foi o autor de sua condenação. Você não pode se condenar. O que Judas precisava? Voltar a Jesus com seu erro e sua miséria, essa deve ser nossa atitude, pois aí seremos curados para amar. Devemos voltar a Jesus depois do erro, o passado não vai mudar, mas o presente pode ser diferente com a misericórdia de Deus. Judas não quis se deixar amar.

Roberto Tannus recebe oração dos fiéis antes da pregação
Foto: Clarissa Oliveira

Vamos ver a vida de Pedro em Lucas 22,54ss. As lágrimas são palavras que Deus entende. O jeito de Pedro denotava que ele era seguidor de Jesus, pois quando você convive com uma pessoa, você passa a falar como ela. Jesus conseguiu esculpir na face de Pedro a Sua própria face. Pedro viu Jesus transfigurado, sabia que Aquele homem era verdadeiro Deus, verdadeiro Homem.

Pedro era o escolhido, mas ainda havia algumas coisas em que ele precisava ser curado, ainda não conseguia ser a rocha firme de confiança. Jesus cura Pedro de tal maneira que ele passa ser a rocha firme onde Deus colocou Sua Igreja. Pedro negou Jesus três vezes, mas quando os olhos de Cristo se encontram com os desse apóstolo, ele [Pedro] encontrou olhos de puro amor, ele se viu sendo amado em sua fraqueza, e não saiu se sentindo condenado, porque ele não tirou os olhos de Jesus Nazareno. Pedro chorou e essas lágrimas foram de cura. Ele deixou Jesus olhar seu pecado, suas misérias.

“Tendo eles comido, Jesus perguntou a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes? Respondeu ele: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta os meus cordeiros. Perguntou-lhe outra vez: Simão, filho de João, amas-me? Respondeu-lhe: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta os meus cordeiros. Perguntou-lhe pela terceira vez: Simão, filho de João, amas-me? Pedro entristeceu-se porque lhe perguntou pela terceira vez: Amas-me?, e respondeu-lhe: Senhor, sabes tudo, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta as minhas ovelhas” (João 21, 15-17).

Quando Deus toca na ferida, Ele o faz com amor. Jesus vai pedir de Pedro três confissões de amor. Só não é curado quem abandona Jesus. Devemos ser como Pedro, que se deixou ser curado no amor.

Deus é amoroso, é perdão. O amor cura, gestos de bondade curam. Jesus acolheu Pedro com tanta bondade que este se deixou curar; no entanto Judas não aceitou a bondade de Deus. Quando eu sou curado para amar, eu amo.

Pedro deixou-se ser curado pela misericórdia. Faça você também essa experiência.

Transcrição: Willieny Isaias

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo