Sou Pescador de Pessoas!

Junto ao Senhor buscaremos outros mares cantando essa música: “Senhor, tu me olhastes nos olhos, a sorrir pronunciastes meu nome. Lá na praia eu larguei o meu barco, junto a ti, buscarei outro mar!” Se imaginarmos que aqui fosse noite e não houvesse luz, ficaríamos com medo de estarmos neste lugar, porque a luz é uma necessidade nossa! Quando uma mulher vai ter um bêbê, dizemos que ela foi ‘dar a luz’. Quando uma pessoa morre; dizemos que ela ‘apagou’ ou ainda quando uma pessoa desmaia, também dizemos que ela ‘apagou’. Muitas vezes a luz que nós acostumamos a pegar, a sentir, a viver, não é a luz de Deus, pois a luz Dele é a luz que veio para brilhar nas trevas. Ao contrário, vamos para outro caminho que não é o da luz. Temos essa luz pois somos templos do Espírito Santo. Uma luz que, apontam os nossos pecados… Temos também as trevas; que são os nossos pecados e também situações que nos levam ao pecado; e como porcos rolamos na lama, lançando-nos ao pecado, não tomando posse da graça que Deus têm para nós, pois pecar é gostoso e não há pecado que não o seja! Mas, é preciso voltar o nosso olhar para Deus, perceber o que ele quer realizar em nós. Eu digo a você: “Saia do pecado de estimação que você tem, pois ele existe dentro de nós! Olhe para a luz que há em você, luz que Deus diz; ser você!”

Jesus não diz que o Reino de Deus está se aproximando! Ele está no meio de nós. Eu não posso brincar mais um pouquinho de ser cristão, não posso brincar, é hora de parar de brincar; é hora de ser luz! Ninguém saiu do ‘encardido’, sendo cada um de nós luz para iluminar o outro. Parece que o cristão não conhece a palavra “compromisso”! Não temos compromisso com a oração, com Deus, com a nossa fé, rezamos quando dá; e quero aqui dizer dos nossos irmãos evangélicos; eles têm compromisso. Reúnem-se para construir a igreja, para orar onde for… Enquanto nós, quando chamamos para ir ao grupo de oração, damos desculpas; Ah, agora, não! Acorda, minha irmã, acorda meu irmão!

O anúncio mexe conosco! Chamando os primeiros discípulos naquele tempo, Jesus fez deles pescadores de homens! Deus não aliena ninguém, não prende, mas, ás vezes, não queremos nos doar, nos compromissar com a paróquia, com o grupo de oração! Deus quer fazer de você, não importa a profissão que tenha; pescador de homens! Os homens estão se afogando na lama do pecado, tirando a nossa liberdade. Tudo o que nos mandam fazer, abaixamos a cabeça e agimos como vaquinha de presépio! Um exemplo; um padre, em uma novela, está tendo uma paixão por uma jovem, não falo a novela e nem mais nada, pois sei que estão assistindo. Mas enfim, você olha para o seu pároco e diz: “Será?” Chegando a dizer: “Eu não gosto de fofoca, mas eu acho que o padre está muito junto da Maricota!” Então, você fica falando mal, jogando vômito para outros comerem. Não tem que ser assim! É mentira, porque ainda hoje, temos muitos ‘padres santos’ por aí!

Como vou viver uma vida séria, na santidade se eu for um; na minha família, na minha casa, na sociedade… Existem várias famílias desestruturadas, perdendo o seu espaço, comendo o vômito que a TV está oferecendo, ou está escutando, dividindo assim; as famílias, as pastorais da igreja, os coordenadores… As nossas igrejas também estão bem divididas; padre que não conversa com outro de outra paróquia; filho que não conversa com a mãe, com o pai, sendo que São Paulo exorta: “Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos estejais em pleno acordo e que não haja entre vós divisões. Vivei em boa harmonia, no mesmo espírito e no mesmo sentimento.” (I Coríntios capítulo 1, versículo 10) , não haja divisões…! Se eu dividir, não conseguirei ser um com os outros, fechando-me em meu ‘mundinho’. É o meu carro, a minha casa, meu guarda-roupas, é o meu…, é o meu…, é o meu… A religião não é uma divisão, e Jesus não disse também ‘Pai Meu’, mas sim, “Pai-Nosso”. Preciso ser luz, e vou gerando vida no outro, nas pessoas que convivem comigo, que estudam comigo… E se eu for uma vela, e tem mais uma, e outra, mas não juntar-me para iluminar, vou ser como um zumbi! Jesus não olha a sua vida. Ele te chama a ser luz, tendo você, metas a atingir! Ou será que a minha meta é; pagar academia da minha filha, comprar um carro novo, se for, que meta ‘mais chula’! Eu vou deixando a vida me levar, como tem uma música por aí: “Deixa a vida me levar, vida leva eu!” Espero que você somente esteja cantando e não vivendo isso. E, às vezes, pensamos que somos livres vivendo assim. Os jovens pensam que viver uma vida boa é experimentar uma relação; homem com homem, mulher com mulher, fazendo uma experiência do homossexualismo, mas não é isso!

Como tem gente que pensa estar no lugar errado! E tem pessoas em nossas paróquias, que estão lá, agarrados à túnica do padre e na hora de viver; “Deixe a vida me levar!” E não se perguntam o que fazer, achando-se velhos demais, ou pensando não ter capacidade de cantar como os músicos da Canção Nova, tocar como os músicos da Canção Nova, mas, o importante é estarmos compromissados com a vontade de Deus em nossa vida. Às vezes, as pessoas do nosso lado estão morrendo e nós muitas vezes não estamos nem aí para o outro. Você não está sozinho, mas precisa estar com os outros. Pode dizer que não conhece, mas é preciso ajudar, começando em casa. Você pode até dizer; eu gostaria tanto que meu filho estivesse aqui para escutar tudo o que este padre está dizendo, mas, temos o compromisso de levar para casa em atos concretos, tudo o que vivemos neste dia de hoje, pois o amanhã é um novo dia. Não deixe a sua vida escapar pelos vãos de seus dedos, pois amanhã a sua vida continua do mesmo jeito, as pessoas estarão do mesmo jeito, mas você que está aqui é que tem de ser diferente, independente da idade que você tenha!


Padre Anderson Marçal


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo