Sou revolução Jesus

Adriano Gonçalves
Foto: Robson Siqueira/ Fotos CN

Você está preparado para perder? É preciso perder tudo, tudo o que o prende no mundo, para ganhar a Deus. É preciso perder para ganhar nova vida.

E vamos lutar, é preciso lutar, mas, muitas vezes, vamos cair.

Bento XVI afirma que a fé não constrói sozinha e pede aos jovens que construam seu futuro com seus irmãos, em uma vida de fé.

Deus está interessado em você; haverá momentos em que vamos precisar lutar para colocar em prática o amor de Deus.

O “Revolução Jesus” comporta perdas, monsenhor Jonas Abib deu início a esse movimento de fé na década de 70, época em que ele teve de perder sua congregação, e o seu nome era motivo de bochicho por causa da sua amizade com a Luzia Santiago [cofundadora da Comunidade Canção Nova].

Monsenhor Jonas disse no ano passado, no Acampamento Revolução Jesus, “Eu sou revolução Jesus!”. (confira aqui)

Eu perdi sonhos, eu perdi namoro, eu perdi tanta coisa para estar aqui hoje. Quando íamos dar início ao programa “Revolução Jesus”, há 5 anos, minha irmã me ligou e pediu que eu voltasse para casa, porque minha mãe havia tido um surto psicótico. Fui para casa e tinha uma semana para permanecer lá, porque, na quinta-feira, começaria o programa, e minha mãe teve outro surto, precisei levá-la novamente para a clínica.

No último dia lá eu entendi o sentido da perda, fui lá à clinica visitar a minha mãe, e ela me disse: “Meu filho, me deixa ir para casa fazer sua comida” e isso me cortou o coração. E ali apareceu uma outra senhora com problemas mentais, que estava mais louca que minha mãe. E disse: “Obrigada por você me acolher naquela tarde!”. E essas palavras dela foram uma das maiores pregações que já ouvi.

E foram precisos apenas 5 meses de recuperação. Minha mãe é um milagre! Tenho certeza de que Deus viu as perdas do meu coração.

Os jovens reza pelos participantes do Acampamento Revolução Jesus, na pregação
Foto: Robson Siqueira/ Fotos CN

De nada valerá se você rezou muito aqui na Canção Nova e não levar essa experiência para sua casa. Eu não lhe prometo um caminho fácil, mas lhe prometo que valerá a pena! Que entre você e sua realidade esteja a cruz de Cristo! Porque o grito de guerra não é só um grito, mas é uma realidade: “Quem como Deus?”.

É preciso perder para ganhar. A cruz de Cristo traz a vitória, porque Ele não está morto, está ressuscitado!

Acompanhe os testemunhos do Acampamento Revolução Jesus:

Amanda, da “equipe de laranja”, testemunha: “Eu trazia um sentimento de alguém que me fez um mal na minha infância e aqui, na trilha (confira), em meio à lama, eu assumi a verdade e partilhei.  E ali na lama eu me levantei, renovada, porque a minha verdade me salva e nasci para dar certo!”.

Geovana partilha: “Meu pai tinha esquizofrenia e, em uma vez, briguei com ele e ele tentou me estrangular. E no 'Revolução Jesus', no primeiro módulo em que entrei, na casa, eu escrevi: 'Pai esquizofrênico'. Ali senti Deus me falando: 'Procure seu pai. Você vai cuidar dele'. Meus pais se separaram e a partir disso nunca mais eu o procurei”.

Melina relatou: “O que mais me tocou foi na casa ( veja o que aconteceu no modulo ), pois sou filha adotiva e morei em um orfanato até os 3 anos de idade. Quando entrei na casa e vi o fogão e li: 'Filha, volta que a mamãe tá preparando a comida para você', isso me tocou muito. Família é tudo na nossa vida, só ela pode nos salvar!”.

Jovens testemunham no Acampamento Revolução Jesus
Foto: Robson Siqueira/ Fotos CN

Diogo, 21 anos, afirma: “Eu comprava e consumia drogas, mas gostava de ouvir a música 'Eu navegarei'. Sou pai de três filhos, mas perdi minha família, moto, tudo… Levei vários tiros nas costas. Tinha vergonha de ver meus filhos, tinha vergonha de Deus. Em 2009, por vontade própria, conheci a Fazenda Esperança. Hoje sou 'Fazenda Esperança' e também sou 'Revolução Jesus'!”.

Larissa, 18 anos, partilhou: “Eu nasci e cresci na Igreja, e em 2009, por intermédio do Adriano, eu tive o meu encontro pessoal com Deus. Vim no “Acampamento PHN” sozinha, mas queria trazer mais gente para experimentar. E chegando à minha cidade organizei uma caravana para vir aqui, consegui o ônibus com a prefeitura. Trouxe mais de 40 jovens que nunca vieram à Canção Nova. Eu comecei o caminho vocacional para Canção Nova, mas meus pais não gostam da Canção Nova. E antes de vir para cá, discuti com minha mãe e fiquei meio ressentida com o que ela me disse, mas após o show da Eliana Ribeiro, ela mandou um SMS me pedindo perdão e dizendo que eu era instrumento para a salvação de muitos jovens”.

Transcrição e adapitaçao: Elcka Torres


Adquira esta pregação pelo telefone (12) 3186-2600


Veja mais:

:: "No labirinto, jovens refletem sobre as escolhas feitas na vida'
:: "Sempre tive vontade de ter uma foto de família"
:: Trilha no Acampamento Revolução Jesus

:: Meu pai não é quadrado – pregação da Magda
:: Quero um amor maior- pregação padre Paulo Ricardo

:: Quero pegar, mas Cristo me pegou- pregação Emanuel
:: Modulo "Anazopiren"

Assista:

Conheça mais do nosso conteúdo:

:: WebTVCN, muitos vídeos para você
:: Gente de fé, a sua comunidade de relacionamento cristã
:: Podcasts: ouça áudios sobre variados assuntos
:: Cadastre sua paróquia ou capela no Portal Canção Nova

Para o seu celular:

:: Canção Nova Mobile
:: CN Chama, a Palavra de Deus no seu celular
:: Iphone

Mais canais na web:

:: meadiciona.com/cancaonova


Adriano Gonçalves


Missionário da Comunidade Canção Nova

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo