Ternura de Deus

Osvaldo Luiz
Foto: Maria Andrea/cancaonova.com
Quantas mães e quantos pais, neste momento, não sabem o que seus filhos estão fazendo ou se estão bem. Muitos corações hoje sofrem com essa incerteza e não fazem como o pai da parábola do filho pródigo, que todos os dias ia ao portão da sua propriedade para tentar avistar o filho na estrada.

As pessoas estão cada vez mais isoladas, e os relacionamentos familiares estão ficando cada vez mais vazios. Há quanto tempo faz que você não diz "eu te amo" para para o seu marido ou para sua esposa? Há quando tempo você não abraça o seu filho?

A parábola não nos conta por quanto tempo o pai aguardou o retorno do seu filho, mas isso não era importante. Assim como também não importa quanto tempo Deus precisa esperar por você, porque Ele sempre estará pronto para recebê-lo.

Assim como Santa Mônica, que precisou rezar durante trinta anos pela conversão do seu filho, Santo Agostinho, o qual, após a conversão, se tornaria um dos pilares da doutrina da Igreja.

Nosso mundo, muitas vezes, não acreditamos no amor do Pai, e tudo isso acontece porque não conseguimos transmitir este verdadeiro amor. O Senhor nos confiou a missão de ir e pregar o Evangelho a todos aqueles que queiram ouvir.

E quando dizemos isso, de levar esse amor, não precisamos ir muito longe, podemos começar dentro da nossa casa. Será que você tem transmitido esse amor aos seus filhos? É seu dever ser a expressão desse amor no seu lar.

O primeiro santo nascido no Brasil, Frei Galvão, também era conhecido por aqueles que eram próximos dele como “Ternura de Deus”. E era por meio dessa ternura que ele levava o cuidado de Deus à vida daqueles que o procuravam.

A ternura é um sentimento que não podemos disfarçar, é um amor expresso. Podemos dizer que amamos alguém da boca para fora, mas jamais seremos capazes de demonstrar, de forma verdadeira, um amor que não existe.

"Precisamos experimentar a ternura de Deus," aconselha Osvaldo Luiz
Foto: Maria Andrea/cancaonova.com

Nós precisamos experimentar a ternura e saborear a suavidade do Senhor. Você é convidado a saborear o amor e a ternura de Deus, e em troca Ele só lhe pede uma única coisa: Que você faça o mesmo por aqueles que necessitam.

Suavidade não quer dizer fraqueza ou falta de atitude, mas sim que o nosso Deus é um Deus compreensível, amável e carinhoso, que acolhe todas as nossas misérias.

Faça essa experiência com as pessoas próximas a você, procure se relacionar com sua família, seus amigos na escola, seus colegas de trabalho, e não deixe que tudo fique na superficialidade, porque a vontade de Deus é para irmos muito mais além.

Na sua vida, como tem sido o relacionamento com as pessoas? Somos imagem e semelhança de Deus, por isso, precisamos nos dar por inteiro para a obra d'Ele. Jesus sempre está disposto a abraçar quem precisa e a acolher quem está abandonado, Ele é Aquele capaz de chamar todos nós pelo nome.

 
Transcrição e adaptação: Gustavo Souza

Osvaldo Luiz


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo