Teve misericórdia e escolheu-me

Padre Paulo Ricardo
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

O Evangelho de hoje é muito propício para falar do mensageiro de Deus que iremos receber: o Papa Francisco. Pouca gente sabe, mas o Evangelho de hoje é, justamente, o lema do Papa Francisco.

Este lema é tirado da homilia de um monge inglês chamado São Beda. Nesta homilia, ele destaca a misericórdia presente no chamado vocacional do apóstolo Mateus.

Muitas pessoas acreditam que Deus olha para a humanidade e, entre tantas pessoas, encontra uma pessoa cheia de virtudes e com características de santo. Porém, é justamente o contrário, como nos mostra as Escrituras de hoje, quando ele escolhe Mateus, no meio do seu pecado, que era a coleta de impostos.

Quando Papa Francisco foi escolhido bispo, ele era um padre jesuíta e assumia como bispo auxiliar. Desde aquele momento, ele escolheu esse lema, pois compreendeu que o olhar de Deus sobre ele tinha sido por pura misericórdia.

Assim como Mateus saiu da banca de impostos, você precisa sair da sua miséria, sair da mundanidade. Nós não podemos ser mundanos, pois, se optamos por isso, não seremos de Cristo, e transformaremos a Igreja em apenas uma ONG.

Se você olha para os outros como se fossem coisas, e olha para as coisas, mas as trata como se fossem deuses, isso quer dizer que você está vivendo uma idolatria. Tendo os olhos virados para algo que não merece sua reverência; assim como Mateus, que idolatrava suas moedas e se transformava cada vez mais em metal frio e insensível.

Jesus não disse para Mateus se afastar do pecado, mas, após um período livre do vício, Ele voltou para convocá-lo  a ser apóstolo. Ele fez diferente do que o mundo geralmente faria, Ele olhou para Mateus e disse: "Segue-me".

Agora, se você quer ter fé, mas não quer transformar a sua vida, então esqueça, você não irá transformar a sua vida, porque a fé significa uma ruptura com o pecado, significa estar diferente aos olhos do mundo.

"Deus escolheu você para ser santo!", diz padre Paulo Ricardo
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Eu tenho certeza que Jesus olha, hoje, para você, assim como olhou para Mateus, e o chama para uma longa viagem. Exatamente por isso, o Beato João Paulo II sempre quis que a JMJ fosse marcada por um momento de peregrinação, como acontece com o deslocamento até a vigília.

Com isso, ele mostra que é preciso caminhar e gastar sua vida para chegar em nossa meta. O caminhar não significa falta de organização, mas um estímulo ao coração que deseja romper com a mundanidade.

A pergunta que Deus quer fazer hoje é: Você não está com saudade de você mesmo? De quem você verdadeiramente é e da forma com que foi sonhado por Deus? Se a sua resposta for positiva, deixe tudo e siga-O.

Deus escolheu você para ser santo! Não importa o que o mundo diga a respeito de você, muito menos o que você viveu até chegar o dia de hoje, pois a Misericórdia Divina é muito maior do que tudo isso.

Transcrição e adaptação: Gustavo Souza

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo