Trabalhar pelo amor

Padre Rafael Soares
Foto: Maria Andrea/cancaonova.com

No Evangelho de hoje, o Senhor continua a falar do que nos foi apresentado no Evangelho de ontem, no qual Ele nos ensina a oração do Pai-Nosso, que é uma forma de vivermos a intimidade com Deus.

Na passagem de hoje, o Senhor Jesus nos ensina como devemos nos apresentar a Deus: com coragem e confiança de filhos, porque, como Ele diz: O pai é capaz de negar algo a seu filho? Mesmo quando não sabemos exatamente como pedir ou o que pedir, o Senhor sempre nos dá o melhor.

Nosso Senhor Jesus Cristo afirma que esse melhor é o Espírito Santo, o próprio Deus, pois nenhuma graça é capaz de chegar até nós se esta não nos for entregue pelo próprio Espírito Santo de Deus. Muitas vezes, pedimos coisas a Deus, quando deveríamos Lhe pedir o próprio Cristo, pois quando O temos já estamos repletos, e tudo virá por acréscimo.

No início do Evangelho de hoje, Jesus apresenta um homem que bate à porta do vizinho, muito tarde, para pedir algo de comer para seus convidados que chegaram. A vontade dele era realmente não atender o vizinho, porém, ele depara com a insistência do homem e se rende ao pedido feito por ele.

Assim deve ser nossa oração: insistente. Não podemos parar diante das dificuldades e negações que vamos encontrar, mas sim ver isso como uma oportunidade de crescimento. Nós nos esforçamos para fazer tantas coisas em nossa vida, somos persistentes em tantas situações, até mesmo no pecado, não é? Por que não empregamos essa mesma vontade na luta pela santidade?

"Precisamos ser agentes de modificação da nossa sociedade", disse Padre Rafael
Foto: Maria Andrea/cancaonova.com

Infelizmente, vivemos a realidade da acomodação. Ao encontrarmos alguma dificuldade, logo optamos pela solução mais fácil, que é desistir. Não precisamos ir muito longe, pois temos inúmeros exemplos muito próximos de nós. Quantas vezes, nós nos acomodamos diante da aprovação de leis que desejam liberar o aborto, o uso de drogas, entre tantas outras realidades.

Infelizmente, situações desse tipo são fruto do nosso desânimo, pois temos sido displicentes na oração e na luta pela defesa da vida e do bem. Mais do que mudar nossa vida, precisamos ser agentes de modificação da nossa sociedade.

A maior felicidade é estar e viver com Deus, pois só assim poderemos levar o bem às pessoas sem qualquer tipo de restrição ou sentimento de incapacidade. Provavelmente, muitas pessoas dependam de você, seja material ou espiritualmente. Talvez você seja o único a levar a Palavra de Deus para seu lar. Por isso, eu lhe digo: se as coisas já estão difíceis assim, imagine, então, se você desistir. Não tenha medo ou receio de ser insistente na sua oração, pois, se realmente confiamos em Deus, precisamos orar com autoridade. O próprio Cristo nos disse que basta pedirmos para sermos atendidos em nossas súplicas.

Transcrição e adaptação: Gustavo Souza

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo