Um Deus que se fez pobre para nos enriquecer

Padre Paulinho
Foto: Carlos Eduardo/CN

Domingo, dia do Senhor, nós celebramos a Paixão, Morte e Ressurreição do nosso Deus, e que bom poder estarmos juntos nesse Canção Nova Sertaneja e fazer memória da nossa história de salvação, quando mais uma vez Jesus se dá a nós nesse sacrifício. Não sei se você sabe, mas a nossa fé é uma fé de memória. Em cada Eucaristia quando o padre levanta o pão e vinho para ser consagrado, ele diz: “Fazei isto em memória de mim”. Em um outro momento quando o sacerdote diz: “Tudo isso é mistério da fé. E a assembleia responde: “Todas as vezes que se come deste pão e se bebe deste vinho, se recorda a paixão de Jesus Cristo e se fica esperando a sua volta”.

Aqui nós fazemos memória, o mistério da paixão e morte de Jesus se atualiza, se faz novo, e por isso a Igreja nos ensina que a santa Missa é o ponto mais alto da nossa fé. Que bom estarmos todos juntos ao redor do altar, fazendo memória e deixando que o Senhor da história o Rei do universo nos alimente, permitindo que o Rei do universo trabalhe na terra do nosso coração.

Assim o Senhor está fazendo comigo e com você, está mexendo, e remexendo a terra do nosso coração, retirando os tocos, e se preciso colocar adubo, porque a terra do nosso coração precisa ser trabalhada, porque com o tempo, as preocupações, as coisas que vão dando errado, as decepções com tudo isso o nosso coração vai endurecendo. Mas hoje e durante todo esse acampamento, muitas pessoas estão sendo tocadas e sendo trabalhadas por Deus.

Hoje é dia de ação de graças é dia de alegria. É dia de dar graças porque hoje celebramos Jesus Rei do Universo.

Assim como acontece com a semente que cai na terra, se ela não morre não pode dar fruto, o reinado de Jesus é na cruz, pois é através dela que nós alcançamos a salvação. Se hoje podemos celebrar a vida do sertanejo, se hoje também podemos fazer memoria da nossa história é graças ao homem que teve coragem de subir numa cruz e por amor ao Pai quis dar a sua vida por nós.

Um Deus que se fez pobre para nos enriquecer
Foto: Carlos Eduardo/CN

É certo que vamos viver na nossa vida coisa não muito boas, mas precisamos fazer memória da nossa história, porque nela existem muitas lembranças boas.

Jesus nasceu em Belém, mas Ele como Rei do universo não nasceu em palácios, mas nasceu numa manjedoura, e o seu reinado é de serviço. E as pessoas vão reconhecer Jesus em você na sua maneira de servir. Jesus se fez pobres para que nós fossemos ricos, somos ricos porque temos o maior tesouro que é Jesus Cristo. Deixe que esse tesouro que é Jesus, ser o centro da sua vida, e com certeza ela será sempre um ato de louvor mesmo em momentos de dor. Quando Jesus for o centro, o Senhor da nossa vida, nada vai nos abalar, porque sabemos onde encontrar o Senhor.

Nós fazemos parte do corpo místico da Igreja e por isso precisamos estar unidos, interligados para que de Jesus venha o comando para a nossa vida. Não é fazer aquilo que vem da nossa cabeça, mas obedecer a Cristo que é a cabeça da Igreja. Quando um sacerdote nos atende, é Cristo nos atendendo, é a voz de Deus para as nossas vidas.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo