Vamos aos pobres!

Temos como tema do nosso encontro: “Vamos aos pobres” e este é o chamado de todo os vicentinos, que aqui no Brasil já somos 250 mil. O nosso trabalho precisa ser de equipe, de amizade. Somos pessoas diferentes, mas essas diferenças não podem ser barreira, precisamos estrar unidos na intenção de amar e de servir aos pobres.

Confrade Carlos Henrique Davis (Kaike)
Foto: Maria Andrea/cancaonova.com

Frederico Ozanan, em 23 de abril 1833, na cidade de Paris, convocou seus amigos para que juntos fundassem uma comunidade, chamada de Conferência da Caridade.

Ozanan, começou com um grupo de seis pessoas, mas ele foi ousado e hoje podemos contemplar os frutos que ele plantou ainda naquela época. A rede de caridade, iniciou-se de maneira simples. Nessa primeira reunião, tomaram a decisão de incluir neste trabalho também as mulheres, após o término deste encontro todos saíram maneira vibrante pela ruas daquela cidade.

Amados irmãos, nós não podemos perder a alegria de servir aos pobres!

A decisão de ir aos mais necessitados partiu da amizade de Ozanan e de seus seis amigos. E com isso, nós vicentinos, devemos nutrir tal desejo de união e procurar visitar os pobres onde quer que estejam, esta é a nossa maneira de amar a Deus: amando aos pobres. E como seguidores de São Vicente de Paulo, não podemos desanimar diante das diferentes realidades. Servindo os pobres e organizando nossos trabalhos, faz com que queiramos trazer uma vida nova a eles.

Nós vicentinos, queremos seguir o exemplo de Ozanan, que saiu do seu comodismo e vai ao encontro dos mais necessitados. Devemos buscar maneiras de trabalhar melhor por aqueles que precisam. Sabemos que a nossa sociedade, nos influência a possuir tudo o que vemos, enquanto os pobres ficam às margens desta mesma sociedade. Os vicentinos precisamos ser diferentes, devemos criar situações para um mundo novo!

"Não desanimemos diante das dificuldades"
Foto: Maria Andrea/cancaonova.com

Nós não podemos nos acostumar com as situações de injustiça social no Brasil e no mundo, temos que nos entristecer diante das pessoas de ruas que vemos. Busquemos continuar a nossa luta em busca de ajudar aos pobres.

Os vicentinos devem abraçar cada vez mais o serviço que lhe é destinado. Não desanimemos diante das famílias mas problemáticas, só conseguiremos ajudá-las a partir do momento, em que nos aproximemos de tais situações.

Precisamos promover os pobres, pois os vicentinos, não são apenas “entregadores de sacolas”, mas devemos nos comprometer com os necessitados. Para isso é importante que cada um de nós busque agir conforme Ozanan: sermos ousados.

“Existem várias maneiras de amar o próximo, mas existe apenas uma maneira de amar a Deus, que é amar ao próximo”, filósofo desconhecido.

 
Transcrição e adaptação: Luana Oliveira

Carlos Henrique David (Kaike)


Confrade e vice-presidente do Conselho Nacional do Brasil

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo