Vida de oração, paz no coração

Padre Bruno Costa
Foto: Maria Andrea/ cancaonova.com

Estamos no último dia do acampamento 'No combate da oração'. Durante todo o encontro, trabalhou-se a necessidade vital da oração na vida do cristão. “Orar é sempre possível. O tempo do cristão é o de Cristo Ressuscitado, que está «conosco todos os dias» (Mt 28,20), sejam quais forem as tempestades. O nosso tempo está nas mãos de Deus. É possível, mesmo no mercado ou durante um passeio solitário, fazer oração frequente e fervorosa.

Orar é uma necessidade vital. A demonstração do contrário não é menos convincente: se não nos deixarmos conduzir pelo Espírito Santo, recairemos na escravidão do pecado. Ora, como pode o Espírito Santo ser a «nossa vida» se o nosso coração estiver longe d'Ele?

Nada se iguala ao valor da oração; ela torna possível o impossível, fácil o difícil. […] É impossível […] que o homem que ora caia no pecado (34). Quem reza salva-se, de certeza; quem não reza condena-se, de certeza”. (CIC 2743 e 2744)

Nós vacilamos, por vezes, ao não persistimos na oração e caimos na desistência. Devemos pedir e agradecer na certeza de que Deus fará; é assim que deve agir o combatente. “Fé é acredita naquilo que não se vê” (Hb 11,1).

O combatente não é aquele que tem um vida de oração apenas em alguns momentos, mas sim aquele que, em tudo o que faz, glorifica a Deus. Vivencie, cada vez mais, a Palavra. Quando deixamos que a murmuração ultrapasse o louvor ao Senhor, não nos permitimos ser alcançados por Ele.

Na Carta de São Paulo a Timóteo, somos convocados a ser intercessores. Não busquemos a oração apenas quando precisamos dela, mas tenhamos uma vida em constante oração. Existe diferença entre empolgação e entusiasmo. Não viva apenas de empolgação, mas seja entusiasmado. Quem nos impulsiona a uma vida de oração é o Espírito Santo!

"Nossas atitudes devem revelar a Deus!", exortou padre Bruno
Foto: Maria Andrea/cancaonova.com

Temos que rezar 24h por dia, pois a Palavra nos ensina a orar e vigiar. Se não tivermos olhos fixos em Jesus e não nos alimentarmos da Palavra, não aguentaremos e satanás nos pegará! Precisamos acreditar e orar.

Em Dn 6,10, lemos que, três vezes ao dia, Daniel se ajoelhava e rezava ao Senhor. Nós temos rezado e nos prostrado na presença d'Ele? Estamos acomodados e sempre esperamos o outro. Tudo tem a sua hora e o seu momento. Sim! O desânimo vem, mas nada pode tirar a nossa paz. Se temos um vida de oração, mesmo em meio às tribulações, teremos paz em nosso coração! A nossa vida de oração não tem sido disciplinada, precisamos nos rever, ser disciplinados. O Senhor nos dará a graça de sermos conduzidos, mas é preciso ser insistentes na oração.

Combatente tem que rezar com autoridade. Onde quer que estejamos, devemos falar o nome do Senhor. Sejamos ousados! A nossa oração deve traduzir-se na vida. Será que as pessoas, ao olhar para nós, enxergam um homem de Deus? Nossas atitudes devem revelar o Senhor! A oração é a força vital do avivamento, por isso não devemos viver apenas na empolgação, mas mudarmos de vida!

Vida de oração não é fácil, pois requer sacrifício. O combatente deve ser atrevido e ousado!

 

Transcrição e adaptação: Luana Oliveira

Confira um trecho desta pregação:


Padre Bruno Costa


Sacerdote da Comunidade Canção Nova.

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo