Vigilância constante

Estamos no Advento e, neste tempo, precisamos ter a certeza de que Jesus virá. A vitória já nos foi dada na Cruz, o que precisamos agora é alcançar essa vitória. Todos os dias, temos de orar e pedir a Deus a graça da conversão, mas, especialmente neste tempo, a Igreja nos convida para intensificarmos essas orações. Este é o tempo da expectativa.

A vigilância da nossa fé deve se basear na sensibilidade da segunda vinda do Senhor. Todos os dias, deve estar presente o sentimento de busca do Espírito Santo. Durante o dia, se fizermos tudo com a presença do Espírito Santo, estaremos cheios da graça de Deus.

Neste tempo, precisamos esvaziar-nos de nós mesmos para ficarmos cheios de Deus. O que impede que a graça aconteça, muitas vezes, são os nossos melindres, é o nosso próprio querer. Mas este é um tempo curto, três ou quatro semanas somente. E, por ser um tempo curto, precisamos correr, agir. As empresas, geralmente, no final do ano, fazem um balanço de como foi o ano que está terminando e das expectativas para o ano vindouro. Deus nos convida, hoje, para também fazermos um balanço das nossas vidas, procurando ser melhores.

O que cada um de nós precisa melhorar? Você teria coragem de se olhar no espelho e dizer "sou imagem e semelhança de Deus?" Nós precisamos chegar a ponto de olhar no espelho e dizer essas palavras assumindo a nossa conversão.

Mateus 24,37-43 – "Assim como foi nos tempos de Noé, assim acontecerá na vinda do Filho do Homem. Nos dias que precederam o dilúvio, comiam, bebiam, casavam-se e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca. E os homens de nada sabiam, até o momento em que veio o dilúvio e os levou a todos. Assim será também na volta do Filho do Homem. Dois homens estarão no campo: um será tomado, o outro será deixado. Duas mulheres estarão moendo no mesmo moinho: uma será tomada a outra será deixada. Vigiai, pois, porque não sabeis a hora em que virá o Senhor. Sabei que se o pai de família soubesse em que hora da noite viria o ladrão, vigiaria e não deixaria arrombar a sua casa."

Acaso alguém sabe quando Jesus vai vir pela segunda vez? Se Ele viesse hoje? Como seria? Por isso, precisamos viver a expectativa. Na época de Noé, o povo estava vivendo sua vida normalmente, até o momento em que ele [Noé] entrou na arca. O dilúvio veio e arrasou a todos, porque ninguém estava esperando, exceto Noé. Não houve vigilância.

A vinda do Senhor vai acontecer a qualquer momento, quando menos se espera. A vigilância, portanto, é um gesto ativo. O único sinal que o povo de Deus tinha naquela época era a presença de Noé. Ele era um homem justo, e estava construindo uma arca, calado. Nos dias de hoje, devemos ser tal como Noé: fiéis ao chamado de Deus.

Não tenho receio de dizer: "Eu preciso fazer a diferença no meu sacerdócio". No ano 2000, senti um chamado e dei o meu "sim". A cada dia quero me esvaziar para que o Senhor Jesus venha me encher com Seu amor. É preciso coragem! Perseverança! Precisamos querer ser santos. É preciso vigiar!

A Palavra de Deus diz que no dia do arrebatamento, duas pessoas estarão fazendo a mesma coisa, porém, uma será tirada e outra será deixada. O que quer dizer isso? As duas pessoas estavam fazendo a mesma coisa, mas cada uma teve a sua sorte, diferente da do outro. Isso acontece por causa do agir. Nosso agir é o que diferencia a ação de Deus em nossa vida.

Transcrição: Anderson Machado
Fotos: Natalino Ueda


Diácono Bruno Costa


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo