Viver a Quaresma com o espírito novo

Estamos no primeiro domingo da Quaresma, entre tantas coisas que aprendemos neste tempo se destaca o amor ao irmão. No tempo quaresmal a tradição cristã nos propõe algumas práticas penitenciais, que devem ser realizadas com um espírito novo, principalmente com humildade. A Quaresma é tempo de nos dedicarmos mais à oração, momentos de estarmos unidos à Palavra de Deus.

"Precisamos estar com os ouvidos atentos para tudo o que o Espírito Santo quer nos falar"
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Vimos na liturgia de hoje que a Palavra de Deus é um caminho para conhecermos melhor Jesus, além da leitura da Palavra de Deus, a Igreja nos ensina alguns outros caminhos de aproximação com o Senhor, os quais devem ser vividos com bastante empenho, principalmente na Quaresma. Dentre estes se destacam a prática penitencial – confissão, a Via-Sacra, que é um excelente exercício piedoso de encontro com os mistérios da Paixão de Jesus, a reza do terço, a oração em grupos, e é tempo de nos aprofundarmos nas sugestões da Campanha da Fraternidade. Estas são algumas dicas que a Igreja nos dá para nos prepararmos devidamente para a Páscoa do Senhor.

A Quaresma deste ano nos convida a mergulharmos, sobretudo, a partir da Campanha da Fraternidade, na temática da Fraternidade e Saúde Pública, e lema "Que a saúde se difunda sobre a terra!" (cf. Eclo, 38,8). Sendo assim, é um dever do Estado e um direito do cidadão ter acesso à Saúde Pública, pois esta é um direito fundamental, porém, para isso todos os cidadãos devem se empenhar a fim de que os homens tenham a oportunidade de gozar de tal direito.

O Evangelho nos indica três práticas: a oração, a esmola e o jejum como instrumentos de santificação do homem. A oração nos aproxima pela meditação dos mistérios da vida de Jesus; a esmola abre-nos ao outro, à caridade cristã, e o jejum, que infelizmente não está muito em voga ultimamente, tem a finalidade de mortificar nossos instintos e abrir o nosso coração ao outro.

Uma boa sugestão é oferecermos o que poupamos na Quaresma ao Fundo de Solidariedade da Campanha da Fraternidade, os recursos arrecadados por eles serão destinados aos projetos relativos à Campanha da Fraternidade. Destaco a importância dos pais educarem seus filhos para a renúncia a fim de que estes se abram à solidariedade e à partilha.

Meus irmãos, na primeira leitura vimos o Senhor que salva Noé das águas do dilúvio, na segunda leitura vimos as águas como instrumento para o batismo, e no Evangelho encontramos Jesus sendo levado pelo Espírito ao deserto, sendo tentado, mas superando pelo poder da oração e, posteriormente, começando o tempo definitivo da salvação, ordenando a conversão. Portanto, Jesus afirma que o tempo definitivo se completará em Sua segunda vinda, mas agora é o tempo favorável, por isso a ordem de Cristo é: convertei-vos e crede no Evangelho, buscando a vontade de Deus. O Reino de Deus acontece quando os homens fazem a vontade de Deus.

Enfim, a Quaresma é tempo de conversão, de amor a Deus e a próximo, tempo de procurar a vontade de Deus a todo instante. Que a Campanha da Fraternidade possa despertar, a partir de uma reflexão a respeito da Saúde Pública, a produção dos frutos que a Igreja deseja em todo o Brasil.

Desta forma, desejo que a vida seja melhor para todos, desejo que nossos enfermos possam gozar de uma melhor qualidade de atendimento, desejo, por fim, que os políticos e os agentes de pastorais se dediquem a uma séria reflexão, e principalmente com relação à prática de políticas públicas que atendam devidamente os cidadãos.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.



ADQUIRA ESSA PREGAÇÃO PELA TELEFONE
(12) 3186-2600



Cardeal Raymundo Damasceno Assis


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo