Viver a verdade no amor

Diácono Pedro
Foto: Wesley Almeida
O Evangelho não é uma Palavra que transforma nossa vida para nós mesmos, mas toca vidas para que suas conversões sejam canal para chegar até outras pessoas que necessitam.

Viver em um mundo de sabedoria é viver em um mundo de misericórdia, pois a sua vida cristã deve ser edificada com a sabedoria, pois só conhecendo aquilo que foi nos deixado por Jesus é que seremos capazes de chegar até as chagas do irmão.

Na Parábola do Bom Samaritano nos defrontamos com quatro realidades que nos apresentam a importância da sabedoria e da misericórdia na vida de todo cristão.

Quando o homem é espancado e despojado de todas suas roupas e bens, vemos ali uma das leis mais cruéis, em que somente o mais forte sobrevive. E assim é no mundo, muitas pessoas torcendo para o nosso fracasso e, por nos acharmos fracos, aceitamos essa imposição que vem até nós pelas opressões.

E sua missão hoje é levar a misericórdia para a vida daqueles que sofreram por nunca terem sido amados. E assim como nos disse o beato João Paulo II: “Se o amor não dói, ele não é verdadeiro”, pois devemos amar e quando acreditamos não ser mais possível, amar ainda mais, até doer.

Quando não somos capazes de tal misericórdia, nos tornamos cruéis e impiedosos. E a partir desse ponto nos deparamos com a segunda verdade: o descaso. Muitas vezes, somos negligentes com aqueles que são confiados a nós por Deus, e acabamos não sendo responsáveis por aqueles que cativamos.

Nesse tempo de Quaresma o Papa Bento XVI nos convida a termos atenção redobrada com nossos irmãos, pois tudo aquilo que é nos dado por Deus, todos Seus dons, não são para uso próprio, mas sim para o bem de nossos irmãos.

Jesus nos ensina que não devemos desistir de ninguém, porque o Senhor quer a ovelha perdida da casa de Israel. Mas, infelizmente, vivemos em relacionamentos no quais buscamos encontrar o pior do outro. E o maior pecado do mundo moderno é o orgulho de não aceitar e reconhecer o próprio pecado.

"A vida cristã deve ser edificada com a sabedoria", exorta diácono Pedro
Foto: Wesley Almeida

O mau exemplo, presente na atitude do levita na Parábola do Bom Samaritano, nos apresenta a terceira verdade: observamos erros cometidos por outras pessoas e nos apoiamos neles para trazer uma vivência errada para nós.

Hoje Deus o convida para viver Seus ensinamentos e não se deixar influenciar por outros erros, porque sua vida deve pregar o Evangelho que você proclama, ela deve ser exemplo e gerar conversão, mesmo que sua boca não diga uma só palavra.

A quarta e última verdade desse trecho bíblico é o amor e a verdade do próximo. Quando vivemos a dimensão da compaixão e da misericórdia, estamos em um terreno de graça. Não importa com quem estejamos lidando ou em que local estamos, não há coração que não se quebre pela força do amor.

A capacidade de aproximação e identificação com as misérias do próximo nos permite nos doar desinteressadamente. E o samaritano, mesmo vivendo um sincretismo, tinha o conhecimento necessário para viver a misericórdia da verdade do amor pelo próximo.

Precisamos sair dos relacionamentos baseados na força, no descaso, no mau exemplo e, a partir deste momento, aceitar a misericórdia e o amor de Deus em nossa vida! Essas virtudes vão gestar em nós os mais puros sentimentos por nossos irmãos. A nós nos faltam a compaixão e a misericórdia, mas Deus não desiste de nós, assim como o Bom Pastor não abandona nenhuma de Suas ovelhas.

 
Transcrição e adaptação: Gustavo Souza
 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo