Volte para os braços do Pai

“Confiei no teu amor e voltei… sim, aqui, é o meu lugar….” [canto]

Várias vezes, nós repetiremos esta música, porque ela fala muito do tema deste acampamento: “O Pai rico em misericórdia”. Eu tinha preparado uma pregação, mas agora, que vi essa tela, resolvi mudá-la.

“Pródigo” quer dizer “esbanjador”. Mas se o filho esbanjou os bens, o pai muito mais “esbanjou” em amor e em misericórdia. Talvez você não tenha nada mais a dar ao Pai a não ser o seu pranto, derramando as suas lágrimas.

Ouça: Retome a alegria da salvação

Essa música [“Confiei no teu amor e voltei… sim, aqui, é o meu lugar….”] foi feita pelo Valdecir Farias. Ele tocava e animava encontros de jovens; era muito talentoso. Ele fez escola de música e tornou-se maestro. Ele fez letras [de músicas] lindíssimas. Então, Valdecir contraiu AIDS. Nós não julgamos o motivo pelo qual ele contraiu essa doença. Mas, quando ele a contraiu, todos o foram abandonando. Ele dizia que parecia que era um leproso. Isso foi se tornando decepção e em revolta para ele. Quando a doença se encaminhou, ele veio aqui para o Vale do Paraíba. Eu conheci bem uma senhora que cantava com ele. Ela e a sua própria filha vieram para o Vale do Paraíba para dar assistência a ele. Veio também uma psicóloga consagrada. Elas foram trabalhando de tal maneira que, mais do que isso, a doença deu abertura no seu coração. A revolta o tinha deixado em uma situação lastimável, mas a misericórdia o foi transformando. No final, ele estava translúcido. A pele dele não era aquela pele empalidecida, havia uma luz nesta por causa da graça que havia entrado no coração dele.

Nos últimos momentos, ele pegou o violão (e ele tocava muito bem) e o dedilhando foi cantando: “Confiei no teu amor e voltei, sim, aqui, é o meu lugar. Eu gastei meus bens, oh Pai, e te dou este pranto em minhas mãos.” Foram os últimos momentos do Valdecir…

Ouça: Volte hoje para o colo do pastor

Jesus está dizendo que você era um filho perdido assim. Você é um filho reencontrado. Você estava perdido, o Pai tomou a iniciativa e o reencontrou. Você é como uma moeda perdida. Em Lucas, capítulo 15, estão estas três parábolas: a da “A Moeda Perdida”, da “Ovelha Perdida” e do “Filho Pródigo”. Nós traduzimos como “a moeda reencontrada” e a “ovelha reencontrada”. No começo desse capítulo diz que todos os publicanos e pecadores se aproximavam de Jesus para ouvi-Lo. Os publicanos eram aqueles que coletavam o dinheiro do povo, eram considerados pecadores, e eram odiados. E justamente porque eram odiados, então se tornavam ruins mesmo. Os próprios publicanos e pecadores aproximavam-se de Jesus. Os doutores da lei, porém, apenas O julgavam. Jesus, em vez de responder às acusações deles, contou-lhes essas parábolas. No versículo 4, o Senhor fala: “Quem de vós que, tendo cem ovelhas e perdendo uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto e vai em busca da que se perdeu, até encontrá-la?”Eles foram obrigados a se colocar nesta situação, pois, para eles, a ovelha era o único meio de se ter carne e leite. Por isso, o Senhor diz isso a eles: “Quem de vós que, tendo cem ovelhas e perdendo uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto e vai em busca da que se perdeu, até encontrá-la?” Ele apresenta-lhes uma situação extrema.

Ao se deixar as 99 no deserto, portanto, corre-se o risco de estas se perderem, de vir um ladrão, de vir um lobo. Jesus fala que vai atrás dela [perdida] e a encontra, põe-na nos ombros, com todo carinho, não a julga, mas a põe no colo, porque certamente está cansada, machucada, ferida. Então, o Senhor diz que aquele que perdeu a sua ovelha, chegando em casa, diz aos seu vizinhos: “Encontrei a minha ovelha que estava perdida”. Ele põe os escribas e doutores da lei nessa situação, de forma que assim, teriam de entender.

É isso que Jesus está fazendo neste tempo de misericórdia, nestes dias que Ele escolheu para nos trazer a sua misericórdia. Hoje, Ele está realizando a sua Palavra. Qual é a sua posição? Jesus está perseguindo você. Ele está o seguindo de perto. Quando você abandonou Jesus, Ele não o abandonou. Quando você O desobedeceu, Ele não abandonou você. Você, que abandonou a Igreja, Ele não o abandonou! Se você teve a graça de ter a conversão e voltar, que beleza! Muitas vezes, depois de nos convertermos, nós nos acostumamos, dizemos que deixamos tudo por nós mesmos. Mas é como a ovelha no deserto, não existem caminhos, não existem retornos, mas o Senhor é o Pastor.

Eu preciso retomar a alegria da salvação. Eu preciso retomar a graça da salvação. Isso precisa ser sempre novo em nós. Nosso coração pode talvez se endurecer na salvação, pois nos vamos acostumando [com as coisas de Deus] e entramos numa vida rotineira, num cristianismo “light”, andando sempre assim “na coluna do meio”. Mas não há “uma coluna do meio”, só duas colunas: uma que leva para o céu, para a eternidade; e outra que leva para a perdição, que parece muito linda, mas que, na verdade, leva para o inferno. O inimigo quer levar justamente os convertidos para o inferno, porque muitos vão caminhando e acabam “escorregando” para o caminho da perdição.

Muitos pensam que podem caminhar em um cristianismo normal… Mas Jesus diz que são os violentos que conquistam o Reino de Deus. Mas o tentador está sempre tentando cercar os que são convertidos. Porque os que já estão no caminho da perdição – vão cada vez mais escorregando para o inferno. Isso é muito sério. Não é isso que o Senhor quer para você se você está ainda como uma “ovelha perdida”. Ele tem perseguido você. Se você for olhar para si mesmo vai perceber como o Senhor tem estado perto. Hoje, Jesus, o Pastor, chegou até você! Ele agora estende os braços para pegá-lo na situação em que você está. Ele não vai bater em você, Ele não ficar bravo com você, como você pensava. Não! A tentação lhe diz que você vai ter de deixar “isso ou aquilo”. Isso é bobagem, isso é a “comida de porco” que o “filho pródigo” estava comendo. Isso não é felicidade!

“Confie no teu amor e voltei”…

Ouça: Confiei em teu amor e voltei

Talvez você só tenha o pranto, talvez você tenha perdido a dignidade, mas, deixe-se pegar, deixe-se levar no colo do Pastor.

“Sim, aqui, é o meu lugar… Este pranto em minhas mãos…” Dê esses prantos nas mãos do Senhor. Eu lhes digo: assim haverá mais alegria no céu por um só pecador que se converte do que pelos mais de 99 justos que não precisam de conversão! Volte para valer!

Mas, logo em seguida, o Senhor conta outra parábola. Ele quer mostrar como era o coração d’Ele e de seu Pai no versículo 8. Nesta parábola, também, Ele apresenta a esses homens acusadores uma situação semelhante. Fala de uma mulher que perdeu uma moeda, acende a luz, varre a casa, procura-a… Eles tinham de admitir que era assim. O Senhor coloca a pessoa numa situação em que tem de se decidir. Se ela perde uma moeda de ouro, esta não a procura cuidadosamente até encontrá-la? Ele estava querendo dizer: “É assim que Eu faço: Eu me aproximo e estou com eles. Vou a casa deles. Eu faço isso porque o meu Pai também é misericordioso”.

Não se trata apenas de uma moeda. Porque para o povo de Israel não somente o homem tinha de ter um dote, de mobiliar a casa, mas também a moça tinha de demonstrar que tinha um dote para montar um enxoval e levar dinheiro para comprar comida para a casa. Por isso, as moças, que queriam se casar, iam juntando dinheiro para se casar. Elas iam ostentando isso e faziam um colar de prata com várias moedas. Elas mostravam isso para as famílias. Imagine o desespero de uma dessas jovens ao perceber que havia pedido uma dessas moedas, porque tinham custado muito a ela. Por isso ela faz essas três coisas.

1° ela acende a lâmpada, põe luz no ambiente
2° ela varre a casa, até os cantinhos, agachando-se
3° procura, cuidadosamente, até encontrá-la.

Jesus está dizendo que é assim que Ele faz com todas as “moedas” [nós todos] que são preciosas para Ele.

Você é precioso (a) para Jesus! E Ele quer presentear o Pai dando-Lhe você. Você não foi criado para o inferno. É o inimigo de Deus que o está fazendo cair nisto. Deixe-se encontrar por Ele, deixe de ser teimoso (a) e desobediente! Veja o quanto o mundo o está enganando e o Pai o está amando.

O Senhor procura por você. Ele que reencontrar você. Ele quer colocar você no colo d’Ele. Por isso:

1º) Acenda a luz, meu irmão, não tenha medo de que o Senhor acenda a luz e mostre os seus erros. Não tenha medo como Adão e Eva, que se esconderam. Deixe que o Senhor ilumine você, sua vida. Se você é um “cristão light”, relaxado, que “nem cheira nem fede”, deixe de ser assim! O Senhor precisa que você seja um cristão decidido, que pegue o caminho certo.

2°) Deixe que o Senhor ilumine você. Porque nos pequenos erros não estamos na subida, mas sim, na descida. É como descer de salto alto: você vai descendo escorregando e não consegue mais voltar. Esta é a verdade da Palavra de Deus. Deixe-O iluminar a sua vida. Não é para mostrar os seus erros, mas porque Ele o ama e quer colocá-lo no colo. Deixe Deus “varrer” a sua vida, tirando todas as sujeiras. A moça [citada na Palavra] acabou deixando a casa limpinha. Deixe o Senhor fazer isso em você. Até mesmo nos lugares e nas coisas erradas que você foi e fez, procurando bens, prazer. Talvez você tenha freqüentado o espiritismo, a benzedeira, mas, isso é como “comida de porco”. Deixe Deus “varrer” você, pois é nessa varredura que Ele vai “encontrá-lo”, talvez “debaixo da sujeira”. O inimigo quer esconder você no lixo. Deus não tem lixo, Ele só tem filhos e filhas. Ele nunca irá colocar você no lixo!

3°) O Senhor procura cuidadosamente por você, até encontrá-lo. Deixe-se encontrar para estar no colo d’Ele. Depois, Ele diz: “Alegrai-vos comigo!” Se você é um desses pecadores perdidos, cante comigo: “Confiei no teu amor e voltei, sim, aqui é o meu lugar. Eu gastei teus bens, oh Pai… Sim, aqui, é o meu lugar…”

Depois, Jesus contou a parábola do “Filho Pródigo”. Como nesta pintura [no telão], você vê o filho pródigo de costas e o pai de frente. O que mais aparece nesta pintura são as mãos do pai, até mesmo de forma desproporcional, grandes, em primeiro plano. É assim que as mãos do Pai estão nos seus ombros. Deixe-se agarrar, abraçar pelo Pai. O Pai de longe o avistou, porque o coração do Pai vê muito mais longe, porque Ele não vê com os olhos, mas com o coração. Com compaixão, Ele não o condena nem o acusa, mas sofre com a situação de seu filho. Você vai deixar o Pai sofrendo com a sua situação? Você vai ser como um burro que somente nas rédeas se consegue manobrá-lo? Deixe-se estar no jugo suave do Senhor.

Muitos homens torraram tudo por causa de mulheres e amantes. E quantos deles, que na hora da doença, até mesmo na AIDS, quem é que os acolhe? É a amante? Não, é a esposa. Muito mais do que a esposa, o Pai o acolhe. Eles levam uma vida de prazeres, mas não de felicidade; sem paz. Volte porque as mãos do Pai estão abertas: TOMADAS DE COMPAIXÃO, SOFRENDO POR VOCÊ. Ele corre ao seu encontro, o abraça e o cobre de beijos. Olhe a misericórdia. O filho pródigo já foi falando: “Pai, pequei contra o céu e contra ti”. Mas o pai já lhe traz o anel, anel de filho, põe sandálias nos pés dele e lhe oferece uma festa. É assim que Deus Pai faz com você.

Transcrição: Maria Eduarda Cunha
Fotos: Robson Siqueira
Aúdio: Willieny Isaias




ADQUIRA ESSA PREGAÇÃO PELO NOSSO TELEFONE
(12)3186-2600


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo