As três obras quaresmais

Joelson Figueiredo

Joelson

Joelson Figueiredo / Foto: Wesley Almeida/ cancaonova.com

Começou um novo tempo na Igreja: a Quaresma. Por que Quaresma? Porque vem de 40 dias.

Dessa vez, é pra valer! Precisamos viver a Quaresma para valer, e esta não pode ser mais uma, precisa ser única. A Igreja proporciona este tempo para nos convertermos. Não para amanhã, mas “desta vez”, a partir de agora, precisamos viver a santidade, para a qual somos chamados.

“Guardai-vos de fazer vossas boas obras diante dos homens, para serdes vistos por eles. Do contrário, não tereis recompensa junto de vosso Pai que está no céu. Quando, pois, dás esmola, não toques a trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem louvados pelos homens. Em verdade eu vos digo: já receberam sua recompensa. Quando deres esmola, que tua mão esquerda não saiba o que fez a direita. Assim, a tua esmola se fará em segredo; e teu Pai, que vê o escondido, irá recompensar-te. Quando orardes, não façais como os hipócritas, que gostam de orar de pé nas sinagogas e nas esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade eu vos digo: já receberam sua recompensa… Quando jejuardes, não tomeis um ar triste como os hipócritas, que mostram um semblante abatido para manifestar aos homens que jejuam. Em verdade eu vos digo: já receberam sua recompensa.Quando jejuares, perfuma a tua cabeça e lava o teu rosto. Assim, não parecerá aos homens que jejuas, mas somente a teu Pai que está presente ao oculto; e teu Pai, que vê num lugar oculto, te recompensará.” (Mateus 6, 1-5. 16-18)

A oração, a esmola e o jejum formam o tripé fundamental na lei judaica, e nós, como cristãos, também precisamos vivê-lo. O Senhor nos diz: “Não sejais como os hipócritas!”, que fala uma coisa, mas pensa outra, é um fingido, dissimulado. Precisamos ser verdadeiros.

De quem você quer receber as recompensas: dos homens ou de Deus? Precisamos viver o que o Senhor nos diz no Evangelho citado acima, sem hipocrisia! “O homem vê a aparência; Deus vê o coração!” (1 Sm 16,7b)

Obras quaresmais

O jejum é para nossa mudança interior, para as lutas que travamos interiormente e precisamos vencer. É um meio de domar o corpo e sermos mais íntimos de Deus. No livro “Práticas de Jejum”, o fundador da Canção Nova, monsenhor Jonas Abib, ensina-nos alguns métodos de vivê-lo de forma eficaz.

A oração é o nosso sustento, por isso precisamos rezar. Rezemos, primeiro, por nós; depois, para auxiliarmos os outros. Deus nos dá conforme Sua vontade, e não aquilo que queremos.

Você sabe o que Ele quer para você? Em 1 Tessalonicenses, é dito a nós que “a vontade de Deus é a nossa santificação”, e só conheceremos a vontade d’Ele se rezarmos de forma prática e entrarmos em diálogo com Deus.

A esmola é a caridade, e a caridade é a intenção que temos em relação aos irmãos. Não podemos fazer a caridade de forma fingida, hipócrita, mas fazê-la, porque faz parte de nós… “Deus é amor!” (1 Jo 4,8) e nós somos Seus filhos, por isso devemos amar.

É necessário vivermos esta Quaresma como se fosse a primeira e a última, pois não sabemos o dia de amanhã. É preciso termos uma firme decisão de conversão diária para que as pessoas com quem convivemos percebam que não é uma brincadeira.
Você tem brincado de ser católico? No céu, só morarão aqueles que vivem o amor aqui na Terra!

Leia mais: 
:: O tempo da Quaresma
:: O católico e a Igreja

 A prática desse tripé é para aqueles que querem amar, que desejam viver no céu. Nem sempre fazemos o bem que gostaríamos, mas é preciso recomeçar sempre, determinados na prática do bem.

 

A caridade é um ato de justiça

A caridade é um ato de justiça que agrada a Deus. “Ninguém é tão pobre que não possa dar…”. Existem muitas pessoas que estão necessitadas de ouvidos que apenas escutem, elas nem sempre precisam de soluções para seus problemas, mas apenas de alguém que as escute, que acolha suas lágrimas. Isso é obra de misericórdia!

Comece de forma pequena. Talvez, você não tenha uma cesta básica para dar, mas pode dar um pacote de arroz, e se não tiver o arroz, pode dar seu ombro para acolher o outro, pois assim estaremos vivendo o espírito verdadeiro da Quaresma.

“Dá esmola dos teus bens, e não te desvies de nenhum pobre, pois, assim fazendo, Deus tampouco se desviará de ti” (Tb 4,7-8).

Transcrição e Adaptação: Bruna Marta 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo