Somos chamados a deixar a murmuração

Luciano Alves Moreira

Luciano Alves Moreira prega na Quinta de Adoração na Canção Nova

Luciano Alves Moreira
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

O chamado de Deus para nós é que tenhamos uma vida de gratidão e proclamação da Sua graça

Deus nos convida a trilhar um caminho de gratidão por Sua providência, mas, para isso, é necessário que meditemos na Palavra, para aprendermos este caminho. Comecemos com a leitura de Mateus 28,20:

“Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo”

Ele está no nosso meio, e precisamos tomar consciência disso, conforme Mateus 18,20:

“Porque onde dois ou três estão reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.”

É preciso ser grato pela presença de Deus

Deus está conosco neste momento, Ele está sempre conosco, mas isso é algo que, muitas vezes, nos esquecemos. Precisamos, no entanto, proclamar Sua presença, pois essa certeza necessita estar em nosso viver. Se estamos com Ele, nossa vida é transformada e nós somos curados. Como está escrito em I Pedro 2.24b: “… por suas chagas fomos curados”.

As chagas de Cristo nos garantiram a vitória

O sofrimento de Cristo nos redimiu e nos salvou. Se, hoje, somos libertos, é porque, um dia, Ele acolheu as chagas por nós; e se temos dúvidas, precisamos apenas olharmos para Isaías 53,3-6:

“Era desprezado, era a escória da humanidade, homem das dores, experimentado nos sofrimentos; como aqueles, diante dos quais se cobre o rosto, era amaldiçoado e não fazíamos caso dele. Em verdade, ele tomou sobre si nossas enfermidades, e carregou os nossos sofrimentos: e nós o reputávamos como um castigado, ferido por Deus e humilhado. Mas ele foi castigado por nossos crimes, e esmagado por nossas iniquidades; o castigo que nos salva pesou sobre ele; fomos curados graças às suas chagas.* Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, seguíamos cada qual nosso caminho; o Senhor fazia recair sobre ele o castigo das faltas de todos nós.”

Por isso, tenho a certeza de que, hoje, está disponível, para você, a cura e a libertação que vem de Cristo, pois, pelo sacrifício d’Ele, somos vitoriosos! Nós somos murmuradores e falhos, esquecemos daquilo que Ele faz por nós. Preciso, contudo, hoje, romper com a murmuração, pois isso atrapalha a graça de Deus de ter eficácia sobre nossa vida.

A natureza humana é murmurar

Um exemplo de como o ser humano é ingrato está em Número 21,4-5:

“Partiram do monte Hor em direção ao mar Vermelho, para contornar a terra de Edom. 5.Mas o povo perdeu a coragem no caminho, e começou a murmurar contra Deus e contra Moisés: ‘Por que – diziam eles – nos tirastes do Egito, para morrermos no deserto onde não há pão nem água? Estamos enjoados desse miserável alimento’.”

O povo de Israel estava sendo sustentado por Deus, no deserto; estava recebendo maná, e ainda se achando no direito de reclamar da providência de Deus. Assim acontece com muitos de nós: nossos lares são abençoados por Deus, temos um emprego, a oportunidade de estudar, mas nos achamos no direito de murmurar contra a providência de Deus.

Ele nos dá a oportunidade de viver em gratidão

Hoje, Deus está nos dando a libertação dessa murmuração, Ele nos dá a oportunidade de aprendermos a viver a gratidão pela providência divina. O convite é aprendermos a fazer como o salmista no Salmo 103,1:

“Bendize, ó minha alma, o Senhor! Senhor, meu Deus, vós sois imensamente grande!”

Deus chama cada um de nós a deixar uma vida de murmuração e ingratidão, e a viver uma vida de proclamação da graça e misericórdia divina. Conforme nos diz o Evangelho, em Lucas 4. 17 e 18:

“O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu e me enviou para anunciar a Boa-Nova aos pobres, para sarar os contritos de coração, para anunciar aos cativos a redenção, aos cegos a restauração da vista, para pôr em liberdade os cativos, para publicar o ano da graça do Senhor.”

É preciso seguir o propósito de Cristo

Se não seguirmos o propósito de Cristo, seguiremos os propósitos do mundo. Se Deus não é nosso padrão, nosso alvo, alguém vai ocupar esse lugar em nossa vida e nos fazer ingratos para com a graça d’Ele.

Somos responsáveis por levar a palavra as nossas famílias

Somos os principais responsáveis por trazer salvação para as nossas famílias, porque, se nós não temos cuidado, alguém vai cuidar. Nós temos a obrigação de apresentar o Evangelho para nossas famílias, nossos filhos, nossos amigos, pois é a responsabilidade que Deus nos dá.

Leia também:
Uma geração apaixonada por Deus
Deus quer que sejamos agradecidos e confiantes na esperança
Curados para honrar o nome do Senhor

Hoje, é dia de nos voltarmos para Cristo, como podemos ler em Marcos 16,15-18:

“E disse-lhes: ‘Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. Estes milagres acompanharão os que crerem: expulsarão os demônios em meu nome, falarão novas línguas, manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados’.”

Hoje, é o dia de revermos nossas atitudes, perceber nossos hábitos de ingratidão e murmuração, e escolher mudar, escolher acolher o chamado de Deus para nós.

Vivamos como proclamadores do Evangelho da graça de Cristo.

Transcrição e adaptação por Jonatas Passos

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo
Livro - E Se Nós Orarmos?